Arquivos

Posts Tagged ‘voz do Brasil’

Radioamantes no Ar fala sobre a não votação da lei da Voz do Brasil e pergunta: estão acabando os narradores esportivos?

Nesta semana, o Radioamantes no Ar falou sobre a não-votação da medida provisória que desobriga a transmissão da Voz do Brasil no horário fixo das 19h. Além disso, foi registrada a nova empreitada do narrador Deva Pascovicci, que vai passar a ser dono de rádio (que será afiliada da CBN), em um caso curioso de quem vai se pedra (como proprietário de rádio) e vidraça (como funcionário de outra emissora). E mais: estão acabando os narradores esportivos? Em recente entrevista à Milton Neves, o narrador Flávio Araújo fez esse diagnóstico. O Radioamantes no Ar é veiculado todos os sábados pela web rádio Showtime (http://www.showtimeradio.com.br/) todos os sábados, sempre a partir das 09h. Apresentação de Rodney Brocanelli com participação de João Alkmin e Flavio Ashcar.

showtime2

33% das rádios flexibilizaram A Voz do Brasil durante a Copa

da Assessoria de Comunicação da Abert

Levantamento da Abert mostra que 33% das emissoras de rádio de todo o país flexibilizaram a Voz do Brasil durante a realização dos jogos da Copa do Mundo. A flexibilização foi permitida entre 19h e 22h, no período de 12 de junho a 13 de julho, pela Medida Provisória de nº 648.

Na avaliação do diretor-geral da Abert, Luis Roberto Antonik, o dado demonstra que somente uma parcela das emissoras precisa adaptar o horário de transmissão à preferência de seus ouvintes. “Poderíamos imaginar que, permitindo a flexibilização, todas as emissoras deixariam para transmitir A Voz do Brasil no último horário. Mas não foi o que aconteceu”, declara.

Segundo Antonik, as emissoras flexibilizaram o horário de transmissão do programa por uma questão de preferência dos próprios ouvintes. “O rádio é muito segmentado, e o horário nobre varia conforme o público da emissora”, explica.

O prazo determinado para a flexibilização expirou no dia 13 de julho, mas a medida provisória que autorizou a mudança ainda tramita no Congresso Nacional. Até setembro, deputados e senadores vão analisar se o programa deve ser flexibilizado de forma permanente. Caso essa proposta seja aprovada nas duas Casas, dependerá de sanção presidencial para entrar em vigência.

AUDIÊNCIA – Pesquisa DataFolha aponta que, com a flexibilização, a audiência da Voz do Brasil aumentaria em 13 pontos percentuais. “O sonho do radiodifusor é melhorar a audiência de um programa da sua grade. E como fazer isso? Flexibilizando. A Flexibilização naturalmente aumenta a exposição do programa ao ouvinte”, afirma Antonik.

rádio

CategoriasNotícias Tags:,

Radioamantes no Ar fala da flexbilização da Voz do Brasil, da sucessão da Jovem Pan e dos 15 anos do fim da Musical FM

Nesta semana, o Radioamantes no Ar falou sobre flexbilização da Voz do Brasil durante o perídio da Copa do Mundo, por intermédio de uma media provisória assinada pela presidente Dilma Rouseff. Outro tema: a sucessão na Rádio Jovem Pan. Tutinha é agora o novo presidente da empresa que administra as emissoras. No final, uma lembrança: os 15 anos do fim da Musical MPB, emissora que fez sucesso em São Paulo, como o próprio nome já diz, abrindo espaço para a Música Popular Brasileira. O Radioamantes no Ar é veiculado todos os sábados pela web rádio Showtime (http://www.showtimeradio.com.br/) entre 09h e 09h30.

showtime2

Rádio Guaíba ficará fora do ar nesta terça

Por Rodney Brocanelli

Segue comunicado oficial da Rádio Guaíba.

Em atendimento à portaria 2187, de 4 de outubro de 2012, da Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações, a Rádio Guaíba suspenderá a programação durante esta terça-feira, 13 de maio, da zero hora às 23 horas e 59 minutos. No período, será realizada manutenção e qualificação nos transmissores da emissora para que a Rádio Guaíba continue a levar informação com credibilidade a todos os seus ouvintes.

A portaria esta neste link:

http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/servlet/INPDFViewer?jornal=1&pagina=25&data=10/12/2013&captchafield=firistAccess

E o Código Brasileiro de Telecomunicações está aqui:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l4117.htm

 

guaibeiro

 

 

 

 

Radioamantes no Ar fala de Diguinho Coruja, Beto Brito, Voz do Brasil e até de tv por assinatura

Nesta edição, o Radioamantes no Ar falou sobre a estreia de Diguinho Coruja na Tropical FM, do processo trabalhista que Milton Neves move contra a Jovem Pan, do qual saiu vitorioso nesta semana, de Beto Brito, que deixou a Rádio Globo, da Voz do Brasil e até sobre TV por assinatura. O programa é veiculado todos os sábados pela web rádio Showtime, entre 09h e 09h30. Acesse http://www.showtimeradio.com.br/

showtime2

Radioamantes no Ar fala sobre demissões na Guaíba, Voz do Brasil e Bradesco Esportes FM (e até sobre o Metrô)

29/03/2014 1 comentário

A edição do Radioamantes no Ar desta semana falou sobre as recentes demissões da Rádio Guaíba, de Porto Alegre, da nova fase de Bradesco Esportes FM, de São Paulo, da polêmica envolvendo o Metrô e a Rádio Transamérica e de mais uma campanha em favor da flexbilização da Voz do Brasil. O programa é veiculado todos os sábados, a partir das 09h, na web rádio Showtime (http://www.showtimeradio.com.br/). Com Rodney Brocanelli e participação de João Alkmin e Flávio Ashcar.

showtime2

Radioamantes no Ar analisa as notícias do rádio

O Radioamantes no Ar desta semana falou sobre a volta da Rádio Cidade, no Rio de Janeiro, do fim das transmissões esportivas na Band News FM, de Belo Horizonte e da pesquisa que apontou um alto número de pessoas que não conhece a Voz do Brasil. O programa é veículado todos os sábados, a partir das 09h, pela web rádio Showtime (http://www.showtimeradio.com.br/). Com Rodney Brocanelli e participação de João Alkmin e Flavio Ashcar.

showtime2

Voz do Brasil: STJ suspenderá SulAmérica Trânsito FM

07/11/2013 3 comentários

Por Rodney Brocanelli

Por intermédio de sua assessoria de imprensa, o STJ divulgou a informação de que a Rádio Metropolitana Paulista Ltda. foi suspensa por um dia devido à não transmissão obrigatória da Voz do Brasil.

http://www.stj.gov.br/portal_stj/publicacao/engine.wsp?tmp.area=448&tmp.texto=112053

Portais de notícias dedicados à comunicação reproduziram (com os devidos ajustes) a mesma informação:

http://www.portalimprensa.com.br/noticias/brasil/62172/stj+suspende+radio+por+nao+respeitar+horario+de+transmissao+da+voz+do+brasil

A razão social é, de fato, da Rádio Metropolitana Paulista Ltda. Entretanto, em pesquisa no site da Anatel, é possível saber mais detalhes:  sua concessão pertence à Mogi das Cruzes e a emissora opera em 92,1Mhz (clique na imagem abaixo para ampliar).

imagem

Quem ligar o rádio nessa freqüência vai ouvir a programação da Rádio SulAmérica Trânsito.

Procurada pelo blog Radioamantes, a assessoria de comunicação do Grupo Bandeirantes não quis se pronunciar sobre o caso, limitando-se a dizer que o caso está com o departamento jurídico da empresa.  Com isso, não é possível saber ao menos por agora quais serão os próximos passos que serão seguidos pelos advogados da empresa.

Portuguesa espera fim da Voz do Brasil para sair na frente do marcador no Olímpico

16/08/2012 2 comentários

Com a obrigatoriedade da veiculação do tradicional “A Voz do Brasil”, várias emissoras são obrigadas a usar o streaming da internet para transmitir as partidas do campeonato brasileiro de futebol que se iniciam as 19h30. A partir das 20h, já entra direto a jornada esportiva e bola rolando. Nesta quarta, algo curioso aconteceu na partida entre Grêmio x Portuguesa, disputada no estádio Olímpico. Pouco depois de terminada “A Voz’, saiu o primeiro gol da Lusa do Canindé. Na Rádio Bandeirantes, de Porto Alegre, Marcos Couto, o Gigante do Vale, saudava os ouvintes quando Ananias resolveu mandar a gorduchinha para a rede. Ouça no player abaixo.

A Voz do Brasil ganha transmissão em vídeo pela Internet

01/08/2012 5 comentários

No ar desde 1935, A Voz do Brasil entra numa nova fase. A partir desta quarta-feira, o programa terá seus primeiros 25 minutos transmitidos simultâneamente em vídeo pela Internet. Os estúdios da Empresa Brasil de Comunicações, a EBC, foram reformulados justamente para essa dupla transmissão. O horário é o mesmo de sempre: 19h. O link para quem deseja assistir A Voz é

http://www.ebcservicos.ebc.com.br/avozdobrasil

 

 

CategoriasNotícias Tags:,

Ouça A Voz do Brasil….em 1978

20/05/2011 1 comentário

Por Rodney Brocanelli

É o programa de rádio mais controvertido do rádio brasileiro, por causa da obrigatoriedade da sua transmissão. No player abaixo você pode acompanhar uma edição veiculada em setembro de 1978, que faz parte dos arquivos de Onofre Favotto. Nessa época, sua estética era baseada na leitura, pura e simples, de notícias. A estrutura era a mesma de hoje. A primeira meia hora dedicada ao Executivo e Judiciário, enquanto que a segunda meia hora divulgava as coisas do Legislativo (Senado e Câmara). Não havia espaço para repórteres, como acontece hoje em dia. Curioso é que existia um bloco dedicado ao esporte, ainda na primeira meia hora, com breve duração. As vinhetas são um caso a parte. Só mesmo ouvindo.

CategoriasMemória Tags:

Exclusivo: João Lara Mesquita fala das mudanças nas emissoras do Grupo Estado

08/04/2011 10 comentários

Por Rodney Brocanelli

Autor de uma pequena revolução nas emissoras de rádio do  Grupo Estado no começo dos anos 80, João Lara Mesquita é hoje um homem mais ligado à televisão. “Ela tem sido generosa comigo”, diz satisfeito por conta da receptividade do veículo em relação aos seus documentários, cujos focos principais são a natureza e o meio ambiente. Ainda assim, ele teve participação decisiva nas recentes mudanças pelas quais passaram a Eldorado FM, hoje transmitindo em 107,3Mhz, e a Estadão/ESPN, que opera tanto no AM (700Khz) e FM (92,9Mhz). “No geral gostei do que vi”, afirma sobre o projeto que lhe foi apresentado.

Entretanto ele lembra que todo acordo como esse tem um custo, especialmente o da questão do alcance de sinal. A frequência do 107,3Mhz, que hoje abriga a Eldorado Brasil 3000 não tem boa propagação em muitos pontos da cidade. Vários leitores têm reclamado disso no sistema de comentários do blog. João Lara diz que todas as emissoras tem um “lapso técnico”. Contudo, o mais importante, segundo ele,  é que o canal estava disponível.

Com relação a parceria que deu origem a Rádio Estadão/ESPN, João Lara diz que é uma excelente oportunidade para a emissora ter um futuro promissor. A Disney, que hoje controla a ESPN, adquiriu 30% das ações da Rádio Eldorado.

Uma das grandes campanhas em  que a Eldorado de João Lara Mesquita entrou foi a que pregava a extinção da Voz do Brasil. Contudo, a guerra está perdida. O 107,3 Mhz hoje transmite o programa obrigatório, algo que deixou os tradicionais ouvintes insatisfeitos. Resignado, ele se diz triste em ter que engolir aquilo que chama de engodo.

Acompanhe a íntegra da entrevista concedida por e-mail ao blog Radioamantes

Qual a participação atual do senhor nas emissoras de rádio do Grupo Estado?

Desde que saí da direção executiva, em Abril de 2003, participo como acionista.

O senhor foi consultado de alguma forma a respeito das atuais mudanças tanto no AM, como no FM?

O projeto nos foi apresentado, a mim, e aos meus irmãos, pelos gestores, Silvio Genesini, e o presidente do Conselho, Aurélio Almeida Prado Cidade. No geral gostei do que vi. E demos nosso voto favorável.

Qual a sua opinião acerca da mudança da Eldorado FM para a frequência dos 107,3Mhz, que possui 30 mil watts de potência, contra os 60 mil watts dos 92,9Mhz?

Tudo tem um custo. A emissora, do ponto de vista da transmissão, pode ter algum lapso técnico. É comum no meio. Umas mais, outras menos. Mas quase todas têm. O importante, num mercado rarefeito, é que a 107,3 Mhz estava disponível e disposta.

O que o sr. pensa a respeito das atuais transmissões de futebol nas rádios do Grupo Estado?

O acordo de venda de 30% das ações da Rádio Eldorado para um dos maiores grupos de comunicação do planeta, a Disney, é uma excelente oportunidade  para a emissora ter um futuro promissor. Através do braço da companhia, a ESPN, que chega com seus equipamentos, grande equipe, e notória competência no trato da matéria, a nova rádio entra no mundo do futebol com o pé direito. O esporte nacional é apoiado por verbas publicitárias vultuosas, e crescentes, com as quais, até então, a Eldorado não contava. Fechar este acordo no mesmo ano em que o país ganha o direito de sediar a próxima Copa do Mundo é uma senhora virada. Necessária, oportuna e bem-vinda, para que a Eldorado perenize o cumprimento de seu papel social: entrando no futebol através desta porta peculiar, e aliando o esporte à massa de informações, equipe, e credibilidade do jornal O Estado de S. Paulo, a rádio Estadão/ESPN, AM e FM, nasce ousando. Ela agora tem as condições para atingir o pleno vigor financeiro, condição essencial para remunerar o capital investido, continuar gerando empregos, e participar ativamente, sempre em alto nível, da vida da comunidade.

O senhor ouve as rádios do Grupo Estado? E outras rádios?

Sim, ouço as rádios do Grupo Estado. E frequêntemente ainda mantenho o hábito de xeretar a programação das  outras.

A atual Eldorado FM, nos 107,3 Mhz, está transmitindo A Voz do Brasil. Não deixa de ser uma derrota numa campanha contra a obrigatoriedade do programa que foi proposta pelo senhor?

Infelizmente, sim. É incrível, e muito triste, ser obrigado a engolir este engôdo. Filho da ditadura de Getúlio Vargas, é anacrônico e chato. Ruim pra dedéu! Entramos no terceiro milênio e acompanhamos, ávidamente, os saltos tecnológicos diários, especialmente agudos nas comunicações. Mas, no caso do enfadonho programa, andamos pra trás. E põe atrás nisto!

E por falar na Voz do Brasil, como o senhor tem acompanhado as atuais movimentações no Congresso em torno da flexibilização de horário, em vez da simples extinção?

Como disse, acompanho um engôdo. Os maus politicos, aqueles que não têm o que oferecer para a sociedade, se apegam à ela. Fingem que acreditam na Voz. E nos igualam a Cuba, China, Coréia do Norte e que tais. Me sinto particularmente triste, e decepcionado, pela surpreendente decisão judicial que nos obrigou a voltar a transmitir um programa inútil, que bem pode ser considerado uma “jóia da cafonice” do rádio brasileiro. Não há nada tão brega, e atrasado, como a obrigação da Voz.

O senhor tem algum projeto atual relacionado ao rádio?

Por falta de espaço no dial, não. Decidi guinar para outras mídias. A TV tem sido generosa comigo. A concorrência é enorme. Tem muita gente boa. Mesmo assim, depois de 20 anos fazendo rádio, já consegui produzir e apresentar duas séries de documentários. Uma bem longa, com dois anos de duração, e 90 episódios, mostrando as virtudes e mazelas da costa brasileira. O público, parece, gostou. A série Mar Sem Fim, no ar entre Abril de 2005, e Abril de 2007, foi um dos programas de maior audiência da TV Cultura, atingindo três pontos de média, com picos de até 4.6. Foi uma honra trabalhar, e ter esta audiência, na TV Pública brasileira. Um raro privilégio que procurei aproveitar. Esta mesma série virou um belíssimo livro. Do ponto de vista da edição, um  magnífico trabalho gráfico. Bem completo, em dois volumes com quase 500 fotos, editado pela Terceiro Nome, Loqui e Albatroz.  “O Brasil Visto do Mar Sem Fim” foi indicado ao prêmio Jabuti, na categoria reportagem, em 2009. Perdi para o 1808, do Laurentino Gomes. Posteriormente, o selo Lua Music lançou uma coleção com cinco DVDs, e quase sete horas de programas, a coleção Mar Sem Fim- Navegando do Oiapoque ao Chuí. Recentemente, em Abril do ano passado, produzi e apresentei mais cinco documentários, Mar Sem Fim- Viagem à Antártica (aproveito para informar que em breve serão lançados os DVDs via o selo ST2 Music), para uma das redes nacionais, a TV Bandeirantes. Não, não é fácil. Nem a toda hora que um free lancer, como eu, consegue abertura. Mas fazer documentários para a TV é apaixonante. Vale persistir.

Retrospectiva 2010

02/01/2011 4 comentários

Nos links a seguir, o amigo leitor terá um painel do que de bom (e ruim) aconteceu no rádio em 2010.

JANEIRO

Éder Luiz finalmente estreia na Rádio Record

Zé Béttio deixa Rádio Record

Rádio 9 de Julho “invade” o Globo Esporte

Repórter de rádio narra queda de ponte no Rio Grande do Sul

CBN Manaus acusada de manipular informações

Não basta dividir o céu, é preciso lotear o éter – por Flávio Guimarães

Futebol é na Kiss FM?

Lúcia Hippólito enfrenta problemas durante uma entrada ao vivo na CBN

Tutinha diz no Twitter que pensa em lançar um programa sobre…o Twitter (tal idéia nunca se concretizou até agora)

Rádio 730 AM x Goiás EC e Hélio dos Anjos: mais um round (Em 2011, Hélio dos Anjos vai treinar o Vila Nova. Grandes emoções à vista)

Preta Gil estreia programa na MPB FM (RJ)

O caso das interferências da Rádio 9 de Julho

FEVEREIRO

Emissoras de rádio enfrentam problemas no Palestra Itália

CBN deixa de lado futebol e informa sobre a chuva

Paulista no escuro = rádios mudas

SulAmérica Trânsito comemora seu terceiro aniversário

José Paulo de Andrade apresenta o Primeira Hora

Exemplos do Carnaval no rádio

O Carnaval do Rio pelo rádio

Troca de comando no Arquivo Musical, da Rádio Bandeirantes

Blog da Rádio Banda B destaca o rádio esportivo

Morre Murilo Antunes Alves

Rádio FX deixa registros na web

Abaixo a modernidade: Mauro Beting não está no Twitter; Claudio Zaidan não tem celular

Rafael Colombo no Jornal Gente

Roberto Maia agora no UOL

MARÇO

Rádio clandestina era usada para vender medicamentos não-autorizados

Flávio Araújo no programa Expressão da Bola

Walter Abrahão no programa Expressão da Bola

Terceiro Tempo em 1984

Rádio Trianon transmite programa homenageando Hélio Ribeiro

Locutor Ciro Cesar (Jovem Pan)  morre aos 72 em São Paulo

Grupo de torcedores do Grêmio prega boicote à Rádio Bandeirantes, de Porto Alegre

A poderosa briga da Rádio Jovem Pan contra a TV – por Flávio Ricco

Relembrando Ciro Cesar

Narrador de futebol paraguaio sofre com gol de Ronaldo

Rádio Bandeirantes e Band News chegam à Ribeirão Preto

Narração paraguaia para gol de Ronaldo repercute na web

Publicidade recicla idéia de união em campanha para banco

Grupo Bandeirantes de Rádio investe em inglês pelas ondas do rádio

Globo não permite transmissão da Copa pela Rádio Record

Morre Armando Nogueira

Deixem a Rádio USP na mão dos alunos

Dos arquivos sonoros: Kid Vinil em entrevista à Rádio Onze – 1995

Pitty estreia programa na Transamérica Pop

Dos arquivos sonoros: recordando a loja Wop Bop

Dos arquivos sonoros: o Oscar de 1996 pelo rádio

É dura a vida de repórter que vai entrevistar torcedor…

Dos arquivos sonoros: uma entrevista com Mauricio Pereira (ex-Mulheres Negras)

Uma jornada esportiva com a equipe Expressão da Bola

MAIO

Fausto Silva, 60

Rádio Camanducaia de volta ao dial

50 mil computadores ligados na Rádio Globo

Dos arquivos sonoros: Minhocão – Maluf, deixe-nos dormir em paz

Dos arquivos sonoros: a Fórmula 1 pelo rádio

Técnico do Internacional e repórter da Rádio Bandeirantes, de Porto Alegre, quase saem no tapa

Grupo Bandeirantes tem mais um sintoma de Datenodependência (dependência de José Luis Datena)

Rádio Capital volta a investir em Belo Horizonte

Elimination? (um dos grandes assuntos de 2010: Daniel Oliveira , da Bandeirantes, canta Elimination para o time do Santos.

Rádio Band News comemora quinto aniversário

Em Porto Alegre, Voz do Brasil volta para o horário das 19h – por Edu Cesar

Sergio Noronha de volta aos microfones (começa a fase Radioamantes)

JUNHO

A recuperação de Flávio Guimarães

91,3 FM muda de cara (preparação para a Rádio Disney)

91,3 FM retransmite programação da Rede Aleluia

Ouvinte reclama de interferência na Jovem Pan

Áudiopost entrevista: André York (Banda B)

Rádio América fora do ar

Haroldo de Souza assume dificuldades na Rádio Guaíba

Morre o DJ Ricardo Guedes, da Energia 97 FM

Morre Geraldo Anhaia Melo

Bastidores da Copa

JULHO

Morre Abílio Manoel

20 anos sem João Saldanha

Transmissão esportiva é interrompida por agressão a narrador em SC

Tri FM transmite jogos do Santos

Kaká Siqueira apresenta quadro que homenageia Barros de Alencar

Jogadores e técnico do Goiás agridem repórteres de rádio

Bruno Levinson deixa MPB FM

AGOSTO

CBN/Globo lança site em homenagem ao Corinthians

CBN e Globo voltam a transmitir Voz do Brasil em SP

Pelo Twitter, seu Tuta, da Jovem Pan, critica Rádio Bradesco

A última do Pedro Ernesto Denardin…

SETEMBRO

Mauro Beting faz aniversário

Em Entrevista ao Arremate Final, uma homenagem ao rádio esportivo

Terceiro Tempo em 1984

Equipe Expressão da Bola retorna com jornadas pela web

Mauro Beting descobre Pintópolis

O rádio esportivo pelo Brasil

OUTUBRO

Cláudio Humberto estreia coluna na Rádio Bandeirantes‏

Rádio Trianon volta a ter áudio na web

Fim do mistério: vem aí a Rádio Disney

Recordasom by Night deixa grade da Rádio USP FM

Pelé 70 anos

BandNews FM 96,9 dá início a transmissões esportivas em 2011

Telma Emerick se despede da Jovem Pan FM

Confirmado: Roberto Hais está na 91.3

Haroldo de Souza deixa Rádio Guaíba. Seu destino pode ser a Bandeirantes

É Odnei Edson…

Um  fim de semana com a equipe Expressão da Bola

NOVEMBRO

Haroldo de Souza estreia dia 14 na Band/RS

Mario Lima pode substituir Haroldo de Souza na Guaiba – por André York

Marcos Couto quer uma oportunidade em São Paulo

Rádio Facul na Rádio USP

Mario Lima é da Guaíba

107,3 FM, a ex-Brasil 2000, pode virar Eldorado FM

Marcos Couto acerta com a Rádio ABC, de Novo Hamburgo

Equipe Expressão da Bola lança em 2011 a Rede Expressão da Bola

Milton Neves chama Grace Kelly de horrorosa

O rádio ganha mais um blog

Loteria Esportiva Tupi

Rádio Capital trabalha para ter comentário diário de Lula

Morre a esposa do narrador José Silvério

Conheça as cabines de rádio do Pacaembu

A estreia da Rádio Disney

DEZEMBRO

Onde há fumaça, há fogo? – Por Flávio Guimarães

Obrigado, Flávio Araújo

Depois do luto, José Silvério volta a narrar na Rádio Bandeirantes

Rádio no iPhone! Até que enfim…

Jovem Pan reúne seus funcionários para comemorar Natal com vinheta especial

Tiros ao vivo

APCA elege os melhores do Rádio em 2010

Helicóptero da rádio Eldorado faz pouso forçado na avenida Tiradentes, em SP

“Eu não vou narrar…”

Desabafo

Narrador Mario Lima sofre AVC

Futebol na Band News FM (SP) estreia em março

Morre Toninho Spessoto

Prefeitura perpetua nome de Flávio Araújo em Centro de Formação de atletas em Presidente Prudente

Lobão versus Transa Louca

Voz do Brasil em debate na TV Câmara

Uma herança da era Vargas vai ao ar em todas as rádios do Brasil quando o relógio marca 19 horas em Brasília. Com transmissão obrigatória desde 1938, a antiga Hora do Brasil mudou de nome em 1962. A Voz do Brasil, o mais antigo e conhecido programa de rádio do país, foi durante a ditadura militar o único espaço onde a oposição podia divulgar suas opiniões. E esse é o principal argumento para que nada mude e a veiculação compulsória, e em rede, continue. Há várias propostas no Congresso e uma delas é a que flexibiliza o horário de emissão. Por isso, o programa Comitê de Imprensa da TV Câmara, apresentado por Paulo José Cunha, exibe uma edição inédita que discute a Voz do Brasil o radialista da EBC, e ex-locutor daVoz, Airton Medeiros, e o professor de rádio e televisão da Universidade Católica de Brasília, o jornalista Paulo Marcelo Lopes.

Estréia, hoje, sexta-feira, 27 de Agosto, às 22h

Reprises >>> Sábado, 28 de Agosto, às 2h30, às 12h30 e às 23h

Domingo, 29 de Agosto, às 8h30 e às 17h30

Segunda, 30 de Agosto, às 2h e às 13h

Terça, 31 de Agosto, às 9h30

Quinta, 2 de Setembro, às 8h30

CategoriasNotícias Tags:

A revolta dos sem-rádio

04/08/2010 1 comentário

Por Rodney Brocanelli

Aproveitando que está se falando novamente da Voz do Brasil, publico aqui o texto de Paulo Lima, jornalista e publisher da revista Trip, publicado no Jornal da Tarde em 17/07/1996. Pouco mais de 14 anos após sua publicação original, o texto está um pouco datado. Alguns dados e informações já não valem mais. Contudo, alguns dos conceitos de Lima sobre o programa obrigatório continuam atuais.

Contra a minha vontade, fui jantar numa dessas churrascarias supostamente classe A. Na recepção havia algumas mesinhas baixas para quem aguarda ir acalmando o próprio estomago e afiando os caninos. Próximo a essas mesinhas havia dois balcões de promoção. Um oferecia doses de degustação de um certo vinho espanhol, ao qual os comensais teriam direito se consumissem acima de um certo valor. Sobre o outro balcão, repousava um abaixo-assinado com o cabeçalho pomposo e exigindo o fim da Hora do Brasil. Algumas assinaturas logo abaixo e uma caneta deitada solitária sobre a toalha, amarrada pela cabeça à lombada do livro. No dia seguinte, fui bombardeado por anúncios em várias emissoras, matérias em jornais e revistas, um verdadeiro movimento democrático exigindo a degola incondicional do programa oficial que ocupa o horário nobre de todas as emissoras de AM e FM do país.

O programa é, antes de mais nada, muito ruim. Qualquer estagiário de comunicação não teria grandes dificuldades para dar um upgrade no alto-falante do Congresso. Os redatores são ruins e, o principal, os deputados e os senadores são péssimos. Não há dúvida que a única e melhor solução é extirpar este furúnculo sonoro que ainda insiste em purgar nos ouvidos de um corpo já refeito de boa parte das feridas da doença da ditadura. Só o que podemos, porém, é terminar a análise por aí, fabricando o abaixo assinado e devorando a picanha com a sensação de dever cívico cumprido. Não questiono as intenções democráticas daqueles que iniciaram o movimento pelo fim da Hora do Brasil – antes de mais nada, um espólio do autoritarismo, ainda por cima anticonstitucional.

Desconfio, porém, da adesão rápida de incondicional de todas as emissoras do dial. Será que o espírito democrático seria o catalisador que faltava para unir uma classe tão desunida como a dos donos de rádios num passe de mágica? Um comercial de 30 segundos numa radio FM bem posicionada no dial paulistano vale cerca de R$ 300,00. São R$ 10,00 por segundo, valor que supera o cobrado por várias emissoras de TV por assinatura. O faturamento de que são privados os donos de rádios pela obrigatoriedade de transmissão da Hora do Brasil foi, sem qualquer duvida, o dado responsável por transformar a maioria deles em verdadeiros cara-pintadas, empunhado a bandeira da liberdade de expressão. Basta ouvir a maioria das vinte e tantas emissoras de FM e das dezenas de AMs para perceber que qualidade de programação não é exatamente o objetivo principal destes concessionários.

Já que o espírito democrático está tão aceso e já que a união nunca esteve tão forte em favor da liberdade de expressão, por que não acoplar à campanha pelo fim da Hora do Brasil outra pela democratização do sistema de rádio e teledifusão no país?

Se o ingênuo leitor ainda não sabe, canais de rádio e TV são concessões dadas pelo poder público a meia dúzia de ungidos, geralmente afilhados de peixes graúdos de Brasília, quase todos políticos de segundo escalão cuja intimidade com jornalismo e entretenimento é tão grande quanto a pata de uma tanajura. Recentemente a Justiça Federal em São Paulo sentenciou que não é crime instalar uma rádio de bairro com fins lucrativos.

Há um projeto tramitando no Congresso que cria a Lei da Informação Democrática, que acaba com o monopólio das grandes famílias, libera as ondas de ar para as emissoras de rádio e TV de baixa potência e manda todas as emissoras se dedicarem à educação, à cultura, às artes e ao jornalismo em primeiro lugar. Alguns dados fornecidos pelo professor Jose Carlos Rocha, da Escola de Comunicação de São Paulo: nos Estados Unidos há 11 mil canais de TV e 17 mil emissoras de radio. No Brasil, são 266 canais de TV e 1900 de radio. Nos EUA, há rádios para todos os segmentos sociais, inclusive minorias como lésbicas, sapateiros, estudantes… Há rádios no quarteirão e TVs de bairro.

No Brasil, a lei 4.117 diz que a concessão de radio e TV cabe ao Presidente da Republica. A Constituição de 1988 acrescenta que a concessão tem de ter o aval do Congresso. O que aconteceria se no Brasil fossem dadas concessões de emissoras a sindicatos, universidades, clubes, associações esportivas? As “College Radios” nos EUA (rádios operadas por estudantes) fizeram mais pela musica jovem que qualquer emissora “tradicional”. Há uma campanha no ar, em emissoras da FM em São Paulo, incitando os ouvintes a denunciar rádios piratas. Segundo a campanha, o Ministério da Aeronáutica e o órgão que coordena a aviação civil estariam reclamando da interferência dessas rádios nos sistemas de comunicação das aeronaves.

Em pela era de hiperdemocratizacao, que se dá pela Internet, a solução deste problema parece mais do que clara. Abrir, liberar, democratizar. Não há quem não reconheça a melhora do panorama geral com a abertura da importação de carros ou a criação das dezenas de novos canais de TV por assinatura.

Convido as emissoras serias de AM e FM a provarem suas verdadeiras convicções democráticas pela liberdade de expressão, lançando imediatamente uma campanha nacional pelo fim da política de concessões de emissoras de rádios pelo executivo e pelo legislativo.

Democratização da comunicação já! Rádios para os nordestinos de São Paulo, para os surfistas de Camburi, para os ecologistas da Jureia, para os playboys da Mooca, rádios para os sem-terra. Rádios para os Sem-Radios.

%d blogueiros gostam disto: