Morre Jimmy Raw

Por Rodney Brocanelli

Morreu na noite da última terça (03), o apresentador Jimmy Raw. Ele estava internado no hospital Ronaldo Gazolla, no Rio de Janeiro,  devido ao Covid-19, popularmente conhecido como Coronavírus. Tinha 58 anos.

Conforme comunicado da Secretaria Municipal de Saúde, o comunicador estava internado desde o dia 11 de maio. No dia 20, ele deixou a Unidade de Terapia Intensiva e foi transferido para a enfermaria. Nove dias depois, teve uma piora em seu estado de saúde e voltou para a UTI. Não haverá velório e seu corpo será cremado, em uma cerimônia restrita.

Jimmy começou sua carreira como produtor do programa Aqui Agora, da extinta TV Tupi, no Rio de Janeiro. Trabalhou por muitos anos na cidade de Curitiba, e em rádio foi comunicador da 104 FM. No Rio de Janeiro, trabalhou na Antena 1 e na 98 FM. Em televisão, esteve na extinta TV Manchete à frente de programas voltados ao público jovem. Na emissora, comandou o Shock, uma revista de cultura pop, ao lado de Angélica (ela mesma) e Lorena Calábria. Depois, se transferiu para a Rede Globo, e lá apresentou o Globo de Ouro.

Em 2006, foi contratado pela Super Rádio Tupi, do Rio de Janeiro, ficando à frente do Baú da Tupi, aos finais de semana. Deixou depois deixou a emissora, em meio a uma de suas crises.

Para encerrar, uma reflexão: nos últimos dias, temos noticiado que muitos profissionais de rádio foram infectados com o Coronavírus. Alguns se recuperaram (veja aqui), porém outros, infelizmente, não (veja aqui). Será que isso não serve para sensibilizar colegas que no ar ou em redes sociais procuram minimizar o impacto desta pandemia? Será que muitos ainda acham que se trata apenas de uma “gripezinha”.

E por que será que parte dos radialistas ainda pensa dessa maneira? Para agradar amigos, ídolos na política ou (possíveis) patrocinadores?  Apesar de todo o impacto futuro e presente na economia, essa pandemia não pode ser relativizada de uma forma tão irresponsável.

Vamos relembrar Jimmy Raw. Abaixo, a chamada de seu programa na Super Rádio Tupi.

Ouça a introdução do programa de Raw na Tupi (Obrigado ao amigo Celso Gallo).

O apresentador Garcia Duarte anuncia a morte do antigo companheiro na Super Rádio Tupi.

Jimmy Raw

A história de Miriam Lane

Por Rodney Brocanelli

No começo de 1984, um crime abalou São Paulo, em especial radialistas e ouvintes. Um tiro dado pelas costas abreviava a carreira de uma jovem profissional que aos 21 anos trabalhava em uma das principais emissoras da capital.  Na ocasião, ela era uma das poucas vozes femininas atuando em Frequência Modulada. Conquistou fãs durante sua breve passagem pela emissora, mesmo ocupando um horário fora daqueles que atraem bastante público. Estamos falando de Miriam Lane, da Rádio Jovem Pan FM.

Miriam Lane, ou Miriam Clea dos Santos Tavares Barcelos Garcia, nasceu em Muzambinho (MG). Mudou-se para Campinas, onde começou a cursar a faculdade de Jornalismo na PUC.

Ainda em Campinas, conseguiu uma vaga no departamento de jornalismo na Rádio Educadora AM. Por ter uma voz bonita, começou a apresentar um programa de músicas de Roberto Carlos chamado Nossa Canção. Posteriormente, o passou a ser locutora da Educadora FM. Seu nome artístico nessa ocasião era Miriam Tavares.

Pedro Bondaczuk, jornalista que conviveu com ela naquela época, publicou um texto sobre Miriam no jornal Correio Popular, logo depois de sua morte. Segundo ele, a colega “irradiava simpatia, quebrando um pouco aquele clima sisudo, que muitas vezes nos dominava”.

Outras impressões de Bondaczuk: “Lembro-me, nitidamente, da sua figura, morena, bonita, sempre sorrindo (Mírian sorria com os olhos, profundos, românticos e sonhadores), ora brincando com a turma do Departamento de Esportes e de Jornalismo, ora se divertindo com as piadas do Ari Costa, ou trocando ideias com a Lucinha de Fátima na discoteca, sobre determinada canção do seu ídolo, ou pedindo algum esclarecimento ao nosso chefe, o Alair Beline, quando não mexendo com o pessoal da Técnica, o Wagnaldo Silva, o Carioca, o Joãozinho ou o Marcelo de Almeida”. (leia a versão integral aqui).

Na Rádio Educadora, Miram conheceu Pablo Garcia, que na época era coordenador de programação da emissora. Já casados, se mudaram para São Paulo no início de 1983. Ele conseguiu uma vaga na Bandeirantes FM (hoje Band FM). Ela, por sua vez, arrumou uma vaga na Rádio Jovem Pan FM (na época a Jovem Pan) e passou a comandar o horário noturno, entre 22h e 02h, adotando o pseudônimo de Miriam Lane.

Não se sabe quem foi que a batizou dessa maneira na Pan, mas esse era o nome da namorada do Super Homem nas edições brasileiras de suas histórias em quadrinhos publicadas no Brasil naquele período (somente depois é que o nome Lois passou a ser adotado).

Segundo o Jornal do Brasil do dia 01 de fevereiro de 1984 , seus colegas de Pan a definiram como “uma mulher simpática e alegre, que chegava cedo ao estúdio para pretar melhor seu horário, com leituras e conselhos de amigos”. Além disso, como registrou o diário, ela “recebia muitas cartas e telefonemas, principalmente depois de ter sido apresentadora de um show de aniversário da rádio, no Ginásio do Ibirapuera”.

Na Pan, Miriam encontrou um conterrâneo: Milton Neves, que na época fazia o plantão das transmissões esportivas do AM. Ambos conversavam muito nas noites de quarta e quinta, quando Neves estava na emissora (veja aqui). Ele conheceu os pais dela, Zélia e Lincoln, ainda em Muzambinho (veja aqui).

Como Miriam saia muito tarde da rádio, um colega ou então um amigo sempre ficava encarregado de levá-la para casa, no bairro do Itaim Bibi.  Na madrugada do dia 28 de janeiro, um sábado, Beto Rivera, então locutor da emissora, foi o encarregado de dar carona.

Conforme relatos da imprensa, a radialista desceu na rua Itacolomi, onde morava. Depois de descer do carro de Rivera, um Escort, ela se dirigiu até a porta do prédio. No entanto, ela foi cercada por dois ladrões que anunciaram um assalto. Assustada, ela empurrou um deles e correu para o veículo dirigido por Rivera. Um dos bandidos estava armado com um revólver calibre 22 e atirou nela. Depois do disparo, a dupla entrou em um veículo, um Volks branco,  no qual outra pessoa os aguardava.

Miriam foi socorrida por Beto e levada para o hospital São Luís. Ao ser atendida, foi constatado que o tiro acertara sua cabeça. Já chegou em estado de coma. O Jornal do Brasil informou que “só seu coração funcionava devido à juventude e à ajuda de instrumentos”. Ela morreu em 31 de janeiro de 1984.

Depois do anúncio oficial, a Jovem Pan passou a veicular uma chamada em sua programação com a voz de Miriam identificando a emissora e, em seguida, o seguinte editorial: “Miriam Lane está morta. Miriam Lane é mais uma vitima fatal da violência da cidade. Miriam Lane foi baleada por assaltantes na porta de sua residência, quando voltava de suas apresentações diárias na Rádio Jovem Pan FM. Mirian Lane está morta. Nós estamos sós diante da violência da cidade.”

O enterro aconteceu em sua cidade natal.

Um boletim de ocorrência foi lavrado no 15º Distrito Policial, próximo ao prédio onde Miram morava. A Polícia Civil trabalhou com várias linhas de investigação, entre elas a de uma possível vingança. O caso foi desvendado mais de dois anos depois e praticamente por acaso.

Em julho de 1986, ao investigar um assalto a uma loja de automóveis, a  Polícia prendeu um  suspeito de praticar esse crime. Durante o depoimento, ele confessou ter participado de uma tentativa de assalto que não chegou a ser concluída após ter feito um disparo.  No dia seguinte, pela mídia, ficou sabendo que a vítima, segundo suas palavras, era “uma garota famosa da rádio FM”.

O então delegado do 27º Distrito que efetuou a prisão quis saber o motivo do disparo. “Fiquei assustado”, foi a resposta. Outro dos bandidos, que dirigia o Volks branco, também foi preso na mesma época. Faltava apenas localizar o terceiro integrante dessa gangue.

Demorou um pouco, mas ele logo foi identificado. A grande ironia dessa história (se é que dá para colocar dessa forma) é que mais de dois anos depois, esse sujeito deixou o mundo do crime e arrumou emprego como caixa em um grande banco. Na ocasião, havia acabado de se casar e estava em lua de mel. Com sua prisão, a Policia Civil considerou esclarecida a morte de Miriam Lane.

O trio foi levado à julgamento e posteriormente condenado. As penas variaram de 15 a 18 anos de reclusão, segundo informações do Jornal do Brasil em 16 de outubro de 1986.

Voltando a 1984, pouco antes da tragédia, Miriam Lane participou das gravações de um especial produzido pela BB Vídeo para a TV Record. Ao lado de Bob Floriano, outro conhecido nome do rádio, ela fez a introdução de clipes musicais com artistas do porte de Lionel Ritchie, Dalto, Beth Carvalho, Martinho da Vila, entre outros. Mesmo depois de sua morte, a emissora manteve a veiculação do programa, programado para o dia 7 de fevereiro daquele ano. Quem quiser assisti-lo, basta clicar neste link (é necessário estar logado no VK).

Deste programa, destacamos dois trechos com a voz de Miriam Lane. Talvez os únicos registros que restaram de uma voz tão marcante. Ouça abaixo.

Miriam Lane

Rádio Bandeirantes: nova identidade visual e programação sênior para publico sênior

Por Rodney Brocanelli

Além da nova programação, a Rádio Bandeirantes estreou hoje a sua nova identidade visual. O  logotipo a partir de agora vai apresentar o nome completo da emissora, ao lado de um microfone de mesa, com um fundo azul marinho. Este blog já havia antecipado a novidade em post da última sexta-feira, anunciando a coluna de finanças de Carol Sandler na nova programação (veja aqui).

A marca repaginada já está presente em nas redes sociais (Facebook e Twitter e no perfil da emissora no YouTube. Por enquanto não houve mudança no site, que ainda está com o logotipo antigo.

A ideia é abandonar a tradicional marca RB (lembre dela aqui), usada até a semana passada.  A justificativa, conforme apurou o blog, é que a marca dava um ar jovem e moderno à emissora. A nova proposta é ser uma rádio sênior para um público sênior. Por causa disso, o Resenha, Futebol e Humor,  um programa com uma linguagem mais jovem, deixou a grade de programação no pacote de mudanças (veja aqui).

No entanto, nunca é demais lembrar é que o RB  foi usado por Helio Ribeiro em seu programa “O Poder da Mensagem”, veiculado em grande parte dos anos 1970 na própria Bandeirantes, e aperfeiçoado e transformado em logomarca por Luiz Fernando Magliocca quando esteve no cargo de direção na década de 1990 (saiba mais aqui).

Rádio Bandeirantes logo novo

 

 

 

 

 

 

Rádio Bandeirantes logo novo

Rádio Globo deixa a praça de São Paulo sem surpresas

Por Rodney Brocanelli

Não houve qualquer surpresa na despedida definitiva da Rádio Globo em São Paulo. Tal como ocorreu durante o desligamento dos transmissores dos 1100Khz em fevereiro deste anos (clique aqui para ver). Não houve qualquer tipo de agradecimento ou anúncio oficial na virada do domingo para a segunda. A transmissão foi simplesmente interrompida durante a música que estava no ar. A Rádio Globo vinha ocupando a frequência dos 94,1Mhz.

No lugar da Globo, entrou uma programação musical, tal como já acontecerá logo após o término das transmissões da saudosa Bradesco Esportes FM, que até março de 2017  ocupava a mesma frequência. Não se sabe qual será seu destino e mesmo se ela terá algum destino imediato na atual conjuntura nacional. Vale destacar que os 94,1Mhz são administrados pelos herdeiros de José de Abreu, irmão de Paulo Abreu, conhecido nome da radiodifusão da Grande São Paulo.

Resta apenas lamentar que a atual direção da Rádio Globo não tenha desenvolvido um projeto de rádio específico para São Paulo, praça que deu a liderança absoluta no ranking de audiência do AM por muitos anos, especialmente em grande parte da década de 1980. A matriz carioca seguirá no ar, com uma programação direcionada para os jovens daquela região.

Para encerrar: foi muito comovente acompanhar a preocupação de Cosme Rímoli, colunista/blogueiro do Portal R7 com o fim da Rádio Globo. Em seu espaço, o jornalista dedicou dois textos ao tema (leia aqui e aqui).  Ele poderia informar também se o conglomerado onde ele trabalha tem algum projeto para a Rádio Record AM, de São Paulo, que opera em 1000Khz?

Ouça abaixo os últimos instantes da Rádio Globo

radiogloboantiga

Carol Sandler terá coluna sobre finanças na Rádio Bandeirantes

A jornalista Carol Sandler – criadora do Finanças Femininas, a maior plataforma online do Brasil de empoderamento feminino através da educação financeira vai estrear na Rádio Bandeirantes nesta próxima segunda-feira (1º). Ela vai comandar a coluna “Meu Dinheiro, Minhas Regras”, que vai abordar a recuperação da saúde financeira das famílias e das pequenas empresas. A coluna será levada ao ar nos programas “O Pulo do Gato” e “Repórter Bandeirantes”.

Além da estreia de Sandler, a Bandeirantes promove uma série de alterações em sua grade de programação que também começam nesta segunda. O Radioamantes antecipou quais são em post do dia 22 de maio (clique aqui pra ver).

Rádio Bandeirantes logo

Eduardo Barão estreia como correspondente do Grupo Bandeirantes nos Estados Unidos

Eduardo Barão estreou nesta segunda-feira (25) como novo correspondente do Grupo Bandeirantes de Comunicação em Nova York, nos Estados Unidos. Depois de 15 anos de trabalho na BandNews FM em São Paulo, o jornalista decidiu deixar o Brasil com a família, mas continuará participando da programação da emissora. Em breve ele irá ancorar um noticiário nacional. “Antes de lançarmos esse novo projeto, vou ter entradas diárias nas rádios BandNews FM e Bandeirantes, no canal BandNews TV, na Band e também no esporte, então vai ter bastante coisa. Todo mundo vai conseguir me ver ao longo do dia em algum desses veículos. Vou estar cada vez mais presente em diferentes canais do rádio ou da televisão”, garante. 

A chegada ao país americano em meio à pandemia do novo coronavírus não o assusta. Inclusive, ele aproveitará o momento para mostrar a retomada da rotina após o surto da doença. “Estou numa expectativa enorme. Já conheço Nova York, mas por causa da pandemia é uma situação completamente diferente de qualquer outra época. As notícias estarão muito mais ligadas a isso considerando a rotina de lá. Como os americanos estão um passo à frente do nosso, quero tentar identificar como vai ser o retorno da atividade comercial e talvez seja algo bacana para seguirmos no Brasil ou não, dependendo do que eles acertarem ou errarem”.

Segundo Barão, a mudança já era um desejo antigo e surgiu em um momento oportuno para ele e para sua mulher, Michelle Achkar, que é jornalista e instrutora de meditação. “Sempre tive o sonho de morar fora. Já vivi um tempo nos Estados Unidos, mas eu queria proporcionar isso para os meus filhos (Rafael, de 11 anos, e Tomás, de 8). Minha esposa conseguiu uma bolsa de mestrado para estudar nos EUA e isso acabou unindo as ideias”. 

A despedida, no entanto, não foi fácil. Barão deixou a BandNews FM no dia 20 de maio, mesmo dia em que a rádio comemorou seus 15 anos de existência. “O que mais me marcou ao longo desses anos foram as grandes coberturas, como Copa do Mundo, Olimpíadas, e algumas tragédias, como a morte do Boechat. Também levamos ao ar durante todo esse tempo as trocas de presidentes, governadores, mas o que nunca vou esquecer mesmo é da parceria com o pessoal da redação e com os ouvintes. Convivi com aquelas pessoas mais do que com a minha família. Sempre foi muito intenso, mas muito prazeroso trabalhar na BandNews, que tem uma característica especial, e isso é para sempre”, diz. 

O público poderá continuar acompanhando o âncora diariamente, só que um pouco mais distante. “Espero que gostem desta nova fase. O Barão continuará sendo o Barão em qualquer lugar do mundo”, conclui.

Eduardo Barão NY

BandNews FM promove série de “rádio webinar” com seus colunistas nesta semana

A BandNews FM, que completou 15 anos na última quarta-feira (20), dá seguimento às comemorações de aniversário nesta semana. A partir desta segunda-feira, a emissora promove uma série de “rádio webinar” com seus colunistas sobre assuntos relacionados à pandemia do coronavírus. A série será apresentada pelos jornalistas André Coutinho e Débora Alfano sempre das 16h às 17h. Os colunistas vão participar por Skype com transmissão no YouTube, Facebook e Twitter da BandNews FM. Confira a programação:

Segunda-feira (25) – Rádio Webinar: Tecnologia durante a pandemia, com Wharrysson Lacerda

Terça-feira (26) – Rádio Webinar: Isolamento social com e para os bichinhos de estimação, com Manu Karsten

Quarta-feira (27) – Rádio Webinar: Sua Carreira diante do coronavírus, com Vicky Block

Quinta-feira (28) – Rádio Webinar: Seu dinheiro em tempos de coronavírus, com Marcos Silvestre

Sexta-feira (29) – Rádio Webinar:  Seus Filhos, as relações familiares durante a pandemia, com Rosely Sayão e Thais Dias

 

Band News 15 anos