Fantasma do Coronavírus assombra bastidores de uma emissora de rádio

Por Rodney Brocanelli

O fantasma da Covid-19 tem assombrado os bastidores de uma importante emissora de rádio de São Paulo.

Um de seus profissionais não tomou as duas doses da vacina e deixou bem claro aos seus colegas que não pretende se vacinar. Entretanto, com essa postura negacionista, ele foi apanhado pelo vírus.

Um outro também foi diagnosticado com vírus e desfalcou seu setor em um recente plantão de final de semana. Seu colega acabou sobrecarregado.

Nunca é demais lembrar que o ambiente de rádio é bem propício para a disseminação do Covid-19, popularmente conhecido como Coronavírus.

Muitos dos que frequentam a emissora já estão acima dos 75 anos, especialmente um de seus profissionais que é bastante querido grande parte do público.

Essa situação é preocupante. E o homem lá de Brasília tem muita culpa nisso.

Fabio Piperno estreia no 3 em 1, da Jovem Pan

Por Rodney Brocanelli

O jornalista Fabio Piperno é o mais novo integrante da bancada de comentaristas do programa 3 em 1, da Jovem Pan. Sua estreia aconteceu nesta terça-feira (14). Ele vai se juntar ao trio formado por Bruna Torlay, Jorge Serrão e o controvertido Rodrigo Constantino. O comando da atração segue a cargo de Paulo Mathias.

Em televisão, Piperno atuou pelos canais por assinatura Band News, cuidando do noticiário internacional, e no Band Sports. Em rádio, trabalhou em duas emissoras nas rádios Bandeirantes e Bradesco Esportes FM. Seu trabalho é mais reconhecido do público como analista de futebol. Entretanto, ele se aventurou pela análise de política nacional e internacional no site Brasil Decide (veja aqui). É é autor dos livros “Jogada Política no Esporte e “Vai Valer a Pena”.

Veja abaixo a participação de Fabio Piperno no 3 e 1.

Colunista questiona Antena 1 e critica Nova Brasil FM

Por Rodney Brocanelli

Repetcutiu muito nas redes sociais a coluna de Flávio Ricco, publicada no R7, neste sábado (11). Ele expressou sua inquietação em relação à programação musical da Antena 1. “Intrigante: por que a Antena 1 não toca música brasileira?”, questiona ele logo de cara no título. No texto, mais indagações: “Será que no meio dessa indiscutível abundância, abundância de qualidade, nenhuma das nossas se inclui? Existe alguma explicação para este impedimento?”

E sobrou também para a Nova Brasil FM. Ricco diz que a emissora veicula músicas “antigas e que são repetidas, mais de uma vez, todos os dias”. E acrescenta: “É como se a o repertório da MPB fosse só aquele e tivesse parado há uns 20 ou 30 anos”.

Clique abaixo no link para ver.

https://entretenimento.r7.com/prisma/flavio-ricco/intrigante-por-que-a-antena-1-nao-toca-musica-brasileira-11092021

No mais, nunca é demais recordar a Rádio Difusora de Camanducaia, ou simplesmente Rádio Camanducaia (uma criação genial de Odayr Baptista), que sempre dava um jeito de prestigiar o produto nacional. “Enlatado só doce”, dizia um de seus slogans. Ouça abaixo.

Programação especial comemora os 85 anos da Rádio Nacional (RJ)

Presente na memória afetiva da população como “a mais querida do Brasil”, a Rádio Nacional do Rio de Janeiro comemora 85 anos no próximo domingo, dia 12. Para festejar a data, a emissora preparou uma programação especial para todo o mês de setembro.

Além da divulgação de depoimentos de artistas e personalidades de diversas gerações parabenizando a Nacional, as atrações diárias também vão trazer pautas e entrevistas temáticas sobre a história da Rádio. Os grandes destaques comemorativos serão exibidos no final de semana do aniversário.

No sábado (11), as homenagens pontuam as transmissões do Alô Rio, com Waldir Luiz, das 8h às 10h, do Ponto do Samba, apresentado por Rubem Confete, de 11h a 12h, e do Musishow, exibido de 20h à meia-noite.

Já no domingo (12), a comemoração está garantida pela manhã com Histórias do Frazão, de 8h a 10h, e Painel Nacional, com Dylan Araújo, ao vivo, das 10h às 12h. Na parte da tarde, de 12h a 13h, será transmitido um programa especial sobre cantores do rádio, com Astrid Nick. E das 13h às 14h, vai ao ar uma edição festiva do Ponto do Samba.

Museu da Rádio eterniza relevância da emissora na história do país

Como parte das celebrações de 85 anos da emissora que conquistou os brasileiros na década de 1930 e marcou a Era de Ouro do Rádio, foi inaugurado em agosto o Museu da Rádio Nacional, nas instalações da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) no Rio de Janeiro. O evento de abertura contou com a presença do Ministro das Comunicações, Fábio Faria, e do diretor-presidente da EBC, Glen Valente.

O museu reúne itens usados por atores e locutores que fizeram história na Nacional, além de  fotos, prêmios, roteiros e revistas da época. Um dos destaques é a réplica do estúdio onde foram gravadas as principais radionovelas da emissora, como “Direito de Nascer” e “Em Busca da Felicidade” – a primeira do país. Lá também são relembrados os programas de auditório que abriram espaço para artistas como Orlando Silva, Ataulfo Alves, Dalva de Oliveira, Nelson Gonçalves, Cauby Peixoto e Luiz Gonzaga.

Em razão da pandemia, ainda não há previsão de data para abertura do museu ao público.

Referência de programação plural e popular

Inaugurada em 12 de setembro de 1936 ao som de “Luar do Sertão”, de João Pernambuco e Catulo da Paixão Cearense, a Nacional do Rio de Janeiro é responsável pelas matrizes que formam hoje o rádio brasileiro: a música, a informação, o humor, a dramaturgia, o esporte e os programas de auditório.

Na chamada “época de ouro do rádio”, a emissora levou os melhores programas de variedades e radionovelas a ouvintes de todo o país e de parte do mundo. Pelas ondas da Nacional, os maiores nomes da Música Popular Brasileira se consagraram.

Historicamente reconhecida como referência de programação plural e popular, a Rádio Nacional do Rio de Janeiro foi ainda pioneira no radiojornalismo com o programa O Repórter Esso, no ar entre os anos de 1941 e 1968. O slogan “a testemunha ocular da história” serviu de modelo para outras atrações jornalísticas do país.

Do surgimento até os anos 1960, a Nacional se firmou como grande fenômeno de expressão da cultura popular brasileira, tornando-se uma das cinco maiores rádios do mundo. A emissora criou formatos que passariam a se estabelecer como padrões comerciais para a comunicação de massa, como os programas de auditório, que contavam com presença do público no histórico Edifício A Noite – primeiro arranha-céu da América Latina, instalado na Praça Mauá, centro do Rio de Janeiro. Grandes maestros, músicos, cantores, cantoras, locutores, radioatores, radioatrizes, apresentadores e repórteres fizeram a história da Rádio.

Em 2008, a emissora passou a ser integrante da EBC e teve uma ampla reformulação estrutural, técnica e de programação. Ajustes feitos com os olhos no futuro, porém sem esquecer as suas características históricas. Se antes a Nacional tinha como filosofia uma programação patrocinada e comercial, atualmente, ela tem caráter cidadão, musical, cultural, noticioso e esportivo.
 

Serviço

85 Anos Rádio Nacional do Rio de Janeiro – Programação especial

Alô Rio – sábado, dia 11/09, às 8h, na Rádio Nacional do Rio

Musishow – sábado, dia 11/09, às 20h, na Rádio Nacional do Rio

Histórias do Frazão – domingo, dia 12/09, às 8h, na Rádio Nacional do Rio

Painel Nacional – domingo, dia 12/09, ao vivo, às 10h, na Rádio Nacional do Rio

Especial sobre cantores do rádio – domingo, dia 12/09, às 12h, na Rádio Nacional do Rio

Ponto do Samba – domingo, dia 12/09, às 13h, na Rádio Nacional do Rio

Rádio Nacional do Rio de Janeiro

Sintonize FM 87,1 MHz | AM 1130 kHz

Ouça também pela internet em https://radios.ebc.com.br/nacionalrioam ou no aplicativo ‘Rádios EBC’.

Atualidade e Gaúcha Mais anunciam reforços no time de apresentadores

Os ouvintes da Gaúcha terão ainda mais companhia no início da manhã e no período da tarde, a partir desta segunda-feira (13), quando dois nomes já conhecidos do público passam a ganhar novos espaços na programação: a data marca a estreia de Giane Guerra no time de apresentadores do Gaúcha Atualidade e de Paulo Germano no Gaúcha Mais.

Com o objetivo de valorizar temas que contribuam para o desenvolvimento do Estado e amplificar a voz de quem investe e produz no Rio Grande do Sul, Giane Guerra levará informação e debate sobre economia para o Atualidade. A jornalista ampliará o espaço que tinha no programa e participará da atração de segunda a sexta-feira, das 8h10 às 10h, ao lado de Andressa Xavier, âncora interina durante tratamento médico do Daniel Scola, e Rosane de Oliveira. 

– Vamos trazer ainda mais assuntos de economia para o programa. As pautas abordarão as necessidades, as preocupações e, claro, as oportunidades para o setor produtivo. Vou ampliar o que já busco fazer há tantos anos na RBS: mostrar como grandes assuntos econômicos afetam o dia a dia dos gaúchos – afirma Giane.

Conhecido por dar voz às notícias de Porto Alegre, Paulo Germano ganha ainda mais conexão com o público. O comunicador, que é colunista fixo do Gaúcha Mais desde que o programa foi lançado, em setembro de 2017, agora ficará no ar das 14h30 às 16h30, durante toda a atração, ao lado dos colegas Leandro Staudt e Kelly Matos.

– É uma guinada maravilhosa na minha carreira. Embora minha formação seja toda na mídia escrita, a cada dia me apaixono mais pelo ritmo e pela espontaneidade que o rádio exige. O que eu espero, ao lado de dois colegas tão talentosos, é ajudar na interpretação das notícias do dia a dia e, se as pessoas me permitirem, me aproximar ainda mais do público, porque é isso o que me realiza – destaca Paulo Germano.

Grupo Bandeirantes divulga nota de pesar pela morte de Dudu Braga, apresentador da Nativa FM

É com imenso pesar que o Grupo Bandeirantes comunica o falecimento de Roberto Carlos Braga II, conhecido como Dudu Braga, aos 52 anos. Ele lutava contra um câncer no peritônio – membrana que envolve a parede abdominal.

Formado em Publicidade, Dudu era produtor musical, radialista, jornalista, palestrante e apresentava o programa “As canções que você fez pra mim” todas as manhãs na Rádio Nativa. Ele deixa mulher e três filhos.

Nossa homenagem a Dudu Braga e nossos sinceros sentimentos à família, amigos e colegas de trabalho por essa grande perda.

Morre Dudu Braga

Por Rodney Brocanelli

Morreu nesta quarta (08) o músico, jornalsita e radialista Dudu Braga. Ele estava internado no Hospital Albert Enstein, de São Paulo, lutando contra um câncer no peritônio, uma membrana que envolve a parede abdominal. Conforme nota divulgada pelo hospital, ele passou por uma série de internações recentes para tratamento quimioterápico e cirurgia. Roberto Carlos Braga II, conhecido também como Segundinho, tinha 52 anos.

Filho do cantor Roberto Carlos, Dudu Braga tinha um programa de rádio dedicado a tocar as músicas do pai. “As Canções Que Você Fez Para Mim” estava no ar desde o ano de 1999 na Nativa FM, transformando-se em carro chefe da emissora. A atração também era veiculada por uma rede de rádios independente formada por aproximadamente 40 emissoras.

A fórmula para o sucesso e longevidade do programa era a combinação dos clássicos de Roberto Carlos e as histórias de bastidores contadas por Dudu, uma fonte mais que privilegiada.

Dudu ficou conhecido do grande público ainda criança quando a imprensa noticiou sua luta contra um glaucoma. Ele passou por sete cirurgias e perdeu a visão aos 23 anos, após um descolamento de retina.

O Grupo Bandeirantes divulgou nota de pesar. Leia abaixo (ou clique aqui):

É com imenso pesar que o Grupo Bandeirantes comunica o falecimento de Roberto Carlos Braga II, conhecido como Dudu Braga, aos 52 anos. Ele lutava contra um câncer no peritônio – membrana que envolve a parede abdominal.

Formado em Publicidade, Dudu era produtor musical, radialista, jornalista, palestrante e apresentava o programa “As canções que você fez pra mim” todas as manhãs na Rádio Nativa. Ele deixa mulher e três filhos.

Nossa homenagem a Dudu Braga e nossos sinceros sentimentos à família, amigos e colegas de trabalho por essa grande perda.

Durante a edição do Bandeirantes Acontece desta quarta (08), Ronald Gimenez e Claudio Zaidan lembram do companheiro de Grupo Bandeirantes. Zaidan contou de uma ocasião em que Dudu assisitiu a um jogo do seu Corinthians, ainda na série B, do campeonato brasileiro de 2008, na cabine da Rádio Bandeirantes. A partida definiu a volta do clube à divisão de elite da competição. A torcida passou a cantar O Portão. O refrão tinha tudo a ver com ocasião: “eu voltei”. Ouça abaixo.

Choro de bebê é ouvido no Repórter CBN

Por Rodney Brocanelli

A edição das 22h30 do Repórter CBN no último domingo (06) teve algo de diferente no ar. Durante a leitura do noticiário, foi possível escutar um choro de bebê. Apesar de chamar a atenção de quem estava na escuta, o profissional responsável pelo horário conseguiu levar o noticioso até o final. Não há maiores detalhes sobre esse pequeno incidente, mas tudo indica que aconteceu durante um plantão em home office.

Antes que se apontem dedos, vale destacar que esse tipo de “invasão” é muito comum no trabalho em casa, que foi insitiuido por várias empresas logo após o início da pandemia do Covid-19. E situações semelhantes aconteceram em transmissões ao vivo. Vamos lembrar de um caso ocorrido na televisão, quando o filho da infectologista Mirian Dal Ben apareceu durante uma entrevista que ela concedia ao canal Globo News, em abril de 2020. A apresentadora Cecilia Flesh contornou a situação com leveza e empatia (clique aqui para lembrar).

Ouça abaixo.

Play FM expande rede e chega ao Triângulo Mineiro

A Play FM, presente em São Paulo (FM 92.1), Araçatuba (FM 90.1) e em Porto Alegre (AM 640), expande sua rede e chega à região do Triângulo Mineiro em FM 99.9. A estreia será nesta quarta-feira, 8 de setembro, ao meio-dia, durante o programa Café com Bobagem, apresentado por Oscar Pardini, Zé Américo, Ivan de Oliveira, Enio Vivona, René Vanorden e Robson Bailarino.

De acordo com a diretora da Afiliação e Expansão, Amanda Andrade, este é um formato inovador no rádio brasileiro. “Com programação popular adulta, a Play FM reúne o melhor da música nacional e internacional dos anos 80, 90 e 2000 e tem o compromisso de tocar a maior sequência de sucessos, com comunicação descontraída e informação. A programação é flexível e se adequa a todas as regiões do Brasil com uma estrutura enxuta e ampla oportunidade comercial”.

A emissora poderá ser ouvida em toda a região do Triângulo Mineiro e vai contar com cinco horas de programação local diária. Das 7h às 12h serão transmitidos os programas Play News, Play Total e Delivery. Os ouvintes da região poderão participar das atrações através do WhatsApp (34) 9900-2999.

Entre os destaques da rede Play FM estão o humorístico Café com Bobagem, exibido de segunda a sexta das 12h às 14h; o programa Reclame, que vai ao ar todas as terças-feiras, das 19h30 às 21h, sob o comando do ator e apresentador Felipe Solari e do jornalista, publicitário e humorista Emerson Souza; e o Replay, apresentado pelo jornalista Zeca Camargo toda quinta-feira, a partir das 18h.

No ar em São Paulo desde 31 de julho de 2020, a Play FM também pode ser ouvida no aplicativo BandPlay para smartphones.

Narrador faz desabafo anti-racista após gol de Celsinho, do Londrina

Por Rodney Brocanelli, com informações do portal Ponte.jor

O narrador Gabriel Carriconde, da Rádio Cidade, de Curitiba, fez um desabafo anti-racista na noite da última quarta (1º) durante a transmissão de Londrina 2 x 3 Coritiba, partida válida pela série B do campenato brasileiro de futebol. Pouco depois de Celsinho, jogador do Londrina fez um dos gols de sua equipe, Gabriel desabafou: “Respeita o povo negro deste país. Respeita o cabelo Black Power. Respeita a históra deste povo sofrido que constroi a história desta nação. Respeitem o Celsinho. Respeitem o camisa 10 do Londrina”.

Infelizmente, mais uma vez o atleta foi vitima de uma ofensa racista. Desta vez, na partida contra o Brusque, ocorrida no último dia 28 de agosto. Ele relatou que foi xingado de macaco por alguém ligado ao time adversário. A partida aconteceu na cidade de Brusque (SC). O clube divulgou uma nota, totalmente abominável, acusando o jogador de ser oportunista. Entretanto, o próprio Londrina deu o xeque-mate ao divulgar um vídeo da transmssão de televisão no qual é possível ouvir claramente a ofensa (veja mais aqui).

Não é a primeira vez que Celsinho enfrenta situações desse tipo. Profissionais de rádio lamentávelmente proferiram falas racistas em relação ao jogador em duas ocasiões. Uma delas em Goiânia (veja aqui). A outra aconteceu em Belém (leia aqui). Todos os responsáveis (ou irresponsáveis, por que não?) foram afastados de suas funções.

A manifestação anti-racista de Carriconde é mais do que bem-vinda. E talvez seja a deixa para que outros nomes do microfone possam tomar posição nessa luta. Veja abaixo.

José Luiz Datena inspirou novo slogan da Rádio Bandeirantes

Por Rodney Brocanelli

José Luiz Datena foi a principal inspiração para o novo slogan da Rádio Bandeirantes, que desde a última quarta (1º) faz parte da programação da emissora: “Fechada com você. Fechada com a verdade”. Ao encerrar seus editorais no programa Manhã Bandeirantes, o comunicador usa o bordão “RB, fechada com você”. (veja abaixo um exemplo tirado da edição do dia 30/08). O complemento foi criado posteriormente.

Durante a edição do Jornal Gente também da última quarta (1º), o jornalista Pedro Campos confirmou a origem. “É uma marca que vem de uma frase de José Luiz Datena, um dos principais nomes da nossa equipe. Rádio Bandeirantes, fechada com você. O Datena repete isso diariamente no Manhã Bandeirantes e essa foi a escolha para o momento que a Rádio Bandeirantes passa a partir de agora a ter com você nessa relação muito saudável com todos os ouvintes”, disse (veja abaixo).

Como José Luiz Datena é um eterno candidato a ser candidato a alguma coisa nas eleições majoritárias brasileiras, resta saber o que deverá acontecer com esse slogan caso ele decida de fato concorrer a algum cargo em 2022, ano eleitoral que está bastante próximo.

Rádio Bandeirantes muda novamente seu logotipo

Por Rodney Brocanelli

Um ano e três meses depois, a Rádio Bandeirantes faz nova alteração em seu logotipo. A partir de 1º de setembro, volta a marca RB, que marcou a identidade visual da emissora desde o início da década de 1990. Desta vez, o retorno se dá em um fundo azul escuro com as letras que formam as iniciais desenhadas em tom branco, em linhas retas e curvas. Logo abaixo, surge o nome por extenso. Ao lado, o novo slogan já divulgado: “Fechada com você. Fechada com a verdade”.

O Radioamantes apurou que muita gente da própria emissora não curtiu o logotipo adotado a partir de 1º de junho de 2020 (leia mais aqui sobre ele). As justificativas: ele não tinha o peso da marca, não era forte e mal dava para ser notado nas redes sociais. Essa alteração não deve significar uma mudança de rumo na programação.

As iniciais RB foram usadas por Helio Ribeiro em seu programa “O Poder da Mensagem”, veiculado em grande parte dos anos 1970 na própria Bandeirantes. Entre uma tradução e outra, entre um pensamento e outro, ele sempre dizia: “a sensibilidade é sua, o veículo é RB”. Anos depois, Luiz Fernando Magliocca pegou essa ideia em logomarca quando ocupou um cargo de direção na emissora durante a década de 1990 (saiba mais aqui).

Veja abaixo o comparativo entre os dois logotipos da Rádio Bandeirantes, o antigo e o novo.

Rádio Bandeirantes lança novo slogan: “Fechada com você. Fechada com a verdade”

A Rádio Bandeirantes ganha um novo mote que coloca o ouvinte e a verdade onde sempre estiveram: no centro de tudo. O slogan “Fechada com você. Fechada com a verdade” e a nova logomarca traduzem a essência da emissora presente na vida dos brasileiros há 84 anos: credibilidade e confiança.

“Esse novo posicionamento consolida o processo de mudança na grade que foi iniciado no ano passado, reforçando a veia analítica e do debate sobre os grandes assuntos do país e do mundo”, explica Thays Freitas, gerente executiva de jornalismo da emissora.

As novidades poderão ser conferidas na programação, no site e nas redes sociais da Rádio Bandeirantes a partir desta quarta-feira, 1º de setembro.

Catia Fonseca deixa Do Bom e do Melhor na Rádio Bandeirantes; atração seguirá com Danilo Gobatto

Por Rodney Brocanelli

Catia Fonseca se despediu dos ouvintes da Rádio Bandeirantes neste sábado (28). A apresentadora vinha comandando o Do Bom e do Melhor, que vai ao ar todos os sábados pela emissora. A saída de Catia não significará o fim do programa. Danilo Gobatto, que estava na co-apresentação, será promovido a titular do programa.

A partir de agora, Catia vai se dedicar ao Melhor da Tarde, atração diária que comanda nas tardes da TV Bandeirantes. “A demanda do Melhor da Tarde, a gente já vinha falando, é bem grande. A ideia da gente é fazer bastante matérias externas”, disse.

Com o que considera uma conscientização das pessoas em relação aos cuidados para evitar a disseminação do Covid-19, Catia diz que pretende estar mais perto das pessoas. Com isso, segundo ela, ficaria dificil conciliar com o programa de tv.

Na despedida, Catia fez vários elogios ao agora novo apresentador. “Vou sempre estar ouvindo você, Danilo. Você virou um companheiro querido, faz parte da família da gente. Isso não vai mudar nunca. Gobatto vai seguir também na apresentação do Antenados, programa dedicado às artes e espetáculos.

A experiência de Catia na Rádio Bandeirantes durou pouco mais de um ano. Sua estreia no Do Bom e do Melhor aconteceu em 1 de agosto de 2020. Ouça abaixo sua despedida.

Com participação de Antônio Carlos, Repórter Esso ganha interprograma especial na TV Brasil

Para recordar os 80 anos de estreia do Repórter Esso, primeiro noticiário de radiojornalismo do país, transmitido originalmente a partir de 28 de agosto de 1941, a TV Brasil lança um interprograma temático neste sábado (28), nos intervalos da programação da emissora pública.

Na produção de curta duração, com um minuto, o radialista Antônio Carlos, renomado comunicador do Rio de Janeiro, destaca a credibilidade e a importância do Repórter Esso para os ouvintes e a sociedade. A atração jornalística fez história nas ondas da Rádio Nacional e, depois, ainda ganhou a telinha.

Com slogans inesquecíveis como “O primeiro a dar as últimas” e “Testemunha ocular da história”, o programa marcou época e atravessou gerações. Pioneiro, o Repórter Esso não se limitava a ler as matérias recortadas dos jornais impressos e serviu de modelo para outras produções noticiosas.

Durante a peça, gravada com exclusividade por Antônio Carlos, que inclusive atuou como locutor na Rádio Nacional no início da carreira, nos anos 1950, o comunicador ressalta a presença de personalidades do jornalismo no Repórter Esso.

A homenagem resgata nomes de relevância na trajetória da produção, como Heron Domingues. Ele foi o responsável por parar o Brasil para ouvir as últimas notícias do momento como o suicídio de Getúlio Vargas, em 1954, entre outros furos de reportagem.

O programete “Repórter Esso – 80 anos de Jornalismo” mescla material raro obtido no vasto acervo preservado pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que faz a gestão da TV Brasil e da Rádio Nacional, com trechos dessa entrevista inédita de Antônio Carlos. O conteúdo fica disponível também nas redes sociais dos veículos públicos.

O especial foi concebido por Bruno Barros e Waldecir de Oliveira que assinam a direção do interprograma sobre o Repórter Esso. Em junho, os dois profissionais regravaram cenas da primeira radionovela brasileira, “Em Busca da Felicidade”, sucesso de audiência na Rádio Nacional, que então completava oito décadas. A trama pioneira da dramaturgia no país foi ao ar nas ondas da emissora entre 1941 e 1943.

Ao vivo e on demand

Acompanhe a programação da TV Brasil pelo canal aberto, TV por assinatura e parabólica. Sintonize: tvbrasil.ebc.com.br/comosintonizar.

Seus programas favoritos estão no TV Brasil Play, pelo site play.ebc.com.br ou por aplicativo no smartphone. O app pode ser baixado gratuitamente e está disponível para Android e iOS. Assista também pela WebTV: tvbrasil.ebc.com.br/webtv.

Serviço

Interprograma “Repórter Esso – 80 anos de Jornalismo” – a partir de sábado, dia 28/8, nos intervalos da programação da TV Brasil.