José Paulo de Andrade registra os 41 anos do Jornal Gente

Por Rodney Brocanelli

José Paulo de Andrade fez um breve registro do 41º aniversário do Jornal Gente (ou Jornal da Bandeirantes Gente, como ele mesmo gosta de dizer, as vezes). O apresentador relembrou o triste evento que antecedey o lançamento do programa em 18 de abril de 1978: a morte de Vicente Leporace. Ele morrera no dia 16 de abril daquele mesmo ano, um domingo, dia de sua folga. No dia seguinte, a emissora reprisou o último “Trabuco” comandado por Leporace.

Zé Paulo lembrou que a primeira dupla de apresentadores do Jornal Gente foi formada por ele e Salomão Ésper. Joelmir Beting entrou posteriormente para a equipe do programa, participando em dois períodos de sete anos.

Se neste ano houve uma menção a mais um aniversário do programa, no ano passado, os 40 anos passaram em branco (saiba mais aqui).

Ouça abaixo a manifestação de José Paulo de Andrade.

_José

GaúchaZH comemora conexão com os gaúchos

Diariamente, milhares de pessoas se informam sobre as principais notícias do Rio Grande do Sul, do Brasil e do mundo por meio do GaúchaZH. A partir da proximidade e da confiança do público, a plataforma digital de news e esportes do Grupo RBS fechou o mês de março com números que reforçam ainda mais a conexão com os gaúchos: durante o período, GaúchaZH registrou 83,7 milhões de visualizações nas páginas do site e dos aplicativos GZH, Colorado e Tricolor, alcançando a marca de 18,4 milhões de usuários. Esse é o maior número desde a criação da plataforma, em setembro de 2017. 

– Estamos muito felizes com o forte crescimento de audiência e assinantes do GaúchaZH. É resultado da relevância do jornalismo local e da integração de Zero Hora e da Rádio Gaúcha – destaca a vice-presidente de Produto e Operações do Grupo RBS, Andiara Petterle. 

Cumprindo o propósito de fazer jornalismo e entretenimento que informem, inspirem e contribuam para a transformação da realidade e evolução das pessoas, GaúchaZH mobilizou diversos repórteres para grandes coberturas neste primeiro semestre de 2019. Entre os destaques, estão as reportagens sobre Brumadinho após o rompimento da barragem da Vale, os tensos momentos na Venezuela durante os movimentos pró e conta Maduro, as enchentes que devastaram regiões no Rio Grande do Sul, o ataque em Suzano, que matou dez pessoas em uma escola estadual, além das coberturas na Argentina e no Chile, com informações sobre Grêmio e Inter na Libertadores. Outro grande momento foi a dedicação para o caso Bernardo, transmitido ao vivo na plataforma durante cinco dias. O esforço dos jornalistas resultou em 16,4 milhões de visualizações na semana de 11 a 17 de março, uma marca histórica para sete dias. 

– Uma das grandes preocupações da redação do GaúchaZH é estar sempre no olho do furacão, no centro dos acontecimentos, testemunhando e narrando a história, ao vivo. Fui escalada para duas grandes coberturas nesse período: a tragédia de Brumadinho e o massacre de Suzano. Foi muito importante estar lá para poder levar a melhor e mais precisa informação para nossos leitores e ouvintes – afirma a repórter do GaúchaZH Juliana Bublitz. 

Entre janeiro e março, a plataforma também lançou cinco novos produtos que integram a grade de programas exclusivos. Os podcasts E Eu com o Mundo?, A História dos Gre-Nais, Era Uma Vez no Oeste, Aconteceu em Porto Alegre e o vídeo Duelo de Técnicos são conteúdos que tratam sobre política, história, sociedade e esporte. Com o objetivo de trazer ainda mais tecnologia e inovação para a experiência do usuário, o GaúchaZH também criou dois boletins diários para Google Home e Google Assistant 

Para os próximos períodos do ano, a plataforma focará no crescimento digital a partir de entregas que atendam às necessidades dos usuários e assinantes, com a ampliação de serviços e produtos para maior agilidade e facilidade. 

logogauchazh

92 completa um ano ao lado dos ouvintes com muita música e alto astral

Clima leve, muitos shows, sorteio de prêmios diariamente e música boa. Essa pode ser a definição ideal do primeiro ano da rádio 92 que, desde o seu  lançamento, há exatamente um ano, já está consolidada como uma das mais ouvidas na Grande Porto Alegre. Celebrado nesta terça-feira (16), o aniversário foi marcado por comemorações entre os colaboradores e comunicadores que integram a rádio e fazem da 92 um veículo com hits do sertanejo e do pagode, proporcionando momentos de alto astral para os gaúchos. 

Desde o início, a ideia era que a rádio fosse uma mistura entre os principais sucessos musicais do país com um time de comunicadores conhecidos e qualificados para ancorar os programas com bom humor e proximidade com o público. A presença nas redes sociais também é um ponto alto, pois diversos concursos culturais são divulgados nos perfis da 92 no Instagram e no Facebook. Em apenas um ano, a rádio promoveu concursos com a premiação de dois carros zero quilômetro e cinco smart TVs led, além de smartphones, caixas de som, ingressos para cinema, shows, festas e outros prêmios diferenciados.  

– É com muito orgulho e alegria que celebramos este primeiro ano de 92. Ouvindo o público, percebemos que havia espaço em Porto Alegre para uma rádio musical popular que fosse alegre, alto astral, com uma plástica bonita, comunicadores relevantes, muita interação e que tivesse como eixo central as músicas mais ouvidas no momento, principalmente sertanejas. Assim surgiu a 92. A aceitação da rádio pela audiência mostra que esse espaço realmente existia. As pessoas estão mudando para a 92, salvando o dial na memória do rádio de seus carros e baixando o app para ouvi-la onde quiserem – explica o diretor-executivo de Marketing do Grupo RBS, Marcelo Leite.  

Com o propósito de oferecer uma experiência ainda mais completa, trazendo para perto as músicas que o público quer ouvir e cantar junto, a rádio trouxe 16 atrações nacionais para o Rio Grande do Sul durante esses 12 meses. Entre os shows, se destacam Luan Santana, Zezé di Camargo e Luciano, MC Kevinho e Marília Mendonça. E vem mais por aí! Ainda neste ano, a 92 promove o festival Villa Mix, o show da Turma do Pagode e o grande retorno de Sandy e Júnior a Porto Alegre.  

– Foi um ano intenso, de muita proximidade com o ouvinte. Participamos dos principais shows nacionais que vieram a Porto Alegre, entregamos muitos prêmios para a audiência e lançamos muita música nova para o nosso ouvinte. É gratificante fazer parte do dia a dia do público. Que essa festa se repita por muitos e muitos anos! – conta o coordenador de Produto e Programação da 92, Martin TJ. 

Comunicadores da 92 celebram um ano de muito alto astral_Crédito_Pietro Meinhart

Em nova nota, fim da Globo e da CBN é negado pelo Grupo Globo

Por Rodney Brocanelli

No final da manhã desta segunda (15), o Grupo Globo divulgou uma nota oficial a respeito das notícias que pipocaram no final de semana dando conta de mudanças que colocariam fim, de alguma forma, nas rádios Globo e CBN. Para quem não lembra, as informações davam conta de que a Globo mudaria de nome para Multishow FM, enquanto que a CBN trocaria seu nome para Globo News FM . Ainda no domingo, houve a divulgação de uma nota referente apenas ao possível fim da CBN (leia mais aqui). A nova manifestação oficial, desta vez, fala das duas emissoras.

O texto diz que não há nenhuma possibilidade de descontinuidade da CBN e que segue investindo em seu fortalecimento. Sobre a Rádio Globo, diz que ela segue em busca do seu caminho de sucesso. Assume que as alterações feitas há quase dois anos não trouxeram os resultados esperados, mas que sua programação segue sendo avaliada para atender melhor a demanda de seus ouvintes (leia mais aqui).

No fim da nota, o Grupo Globo informa que o projeto Uma Só Globo, feito em parceira com a consultoria prestada pela Accenture, não abrange as emissoras de rádio. A empresa foi citada nominalmente no texto de Ricardo Feltrin, publicado em seu blog, no UOL. Segundo ele, o Grupo Globo teria tomado a decisão de mudar o nome das suas emissoras “após várias análises, inclusive da consultoria Accenture” (clique aqui para ler).

Por ocasião de seu lançamento, em setembro de 2018, um comunicado do presidente executivo do Grupo Globo anunciou que o Sistema Globo de Rádio, ao lado da Editora Globo/Infoglobo/Valor Econômico estariam fora do processo de união das empresas do grupo para torná-la “mais ágil e mais forte” (clique aqui para ler).

globo-cbn

 

Morre Lilian Loy

Por Rodney Brocanelli

Morreu na manhã deste domingo (14) a apresentadora Lilian Loy, vítima de um infarto. Ela tinha 72 anos.  Conforme informação de Adriano Barbieiro, o velório começa a partir das 23 horas deste domingo, no cemitério São Pedro, na Vila Alpina. O sepultamento acontece nesta segunda (15/04), às 11 horas.

Lilian se tornou conhecida do grande público ao apresentar programas exclusivamente com músicas do cantor Roberto Carlos. Ela foi um dos grandes nomes da Rádio América, na virada dos anos 1970 e 1980. Trabalhou também na Super Rádio e na Rádio Record.

Veja abaixo Lilian Loy em ação na Rádio Record.

lilian_loy_010616

CBN sobe o tom, lança indireta e nega seu fim

Por Rodney Brocanelli

Neste domingo, durante o programa Revista CBN, a apresentadora Pétria Chaves leu uma nota da direção da emissora negando o final da emissora. O texto diz que se trata de uma “pura invenção” e que “pessoas que deixaram o SGR tempos atrás deixaram de fazer jornalismo”. Chama a atenção o tom, alto, totalmente diferente da linha editorial da emissora.

No final da noite de sábado foi divulgada pelo jornalista Anderson Cheni (leia aqui) a informação de que a Central Brasileira de Notícias mudaria de nome e passaria a se chamar Globo News FM.  Além disso, ainda segundo Cheni, a Rádio Globo também trocaria de nome e passaria a se chamar Multishow FM.

Ainda na madrugada de domingo, o site de Sidney Resende publicou um texto de Robson Aldir (leia aqui), funcionário do SGR entre 1991 e 2015, que avançou em alguns pontos. Segundo ele, “acionistas do Grupo Globo contrataram uma consultoria européia e o estudo foi entregue durante a semana recomendando o fim da marca Rádio Globo e as mudanças de rumo da Rádio CBN. Os executivos do Grupo Globo, então, decidiram destinar as duas frequências para marcas já consagradas do mercado de TV por assinatura”.

Pouco depois do meio dia, outro jornalista voltou a falar sobre o assunto. Ricardo Feltrin, em seu blog no UOL (leia aqui). Ele traz outros detalhes: a “nova” Globo News FM reproduziria a programação atual veiculada na tv por assinatura, mas com a possibilidade de ter jornalistas e colunistas próprios. Além disso, ele informou o nome da empresa de consultoria contratada pelo Grupo Globo: Accenture.

A nota oficial da emissora postada no site e no Facebook diz que “são totalmente infundados os boatos que circulam na internet. A CBN é um sucesso estabelecido e a rede de rádios de notícias que mais cresce no Brasil, não havendo possibilidade de sua descontinuidade” (leia aqui).

Até a publicação deste texto, não houve qualquer manifestação da Rádio Globo sobre a alteração de seu nome.

Resta saber apenas a quem a CBN se referiu quando cita que “pessoas que deixaram o SGR tempos atrás deixaram de fazer jornalismo”. Ricardo Feltrin, até onde se sabe, nunca trabalhou na emissora. Ele fez sua carreira na imprensa escrita, trabalhando em jornais como Folha da Tarde e Folha de S. Paulo.

Sobram, portanto, Anderson Cheni e Robson Aldir, ex-funcionários do Sistema Globo de Rádio. Para quem será que foi a indireta veiculada durante a programação deste domingo? Ouça abaixo.

CBN logo

Memória: sete anos sem Cláudio Cabral

Por Rodney Brocanelli

Na madrugada do dia 14 de abril de 2012, um sábado, morria Cláudio Cabral, comentarista esportivo da Rádio Bandeirantes, de Porto Alegre. Ele havia dado entrada no Instituto de Cardiologia de Porto Alegre durante a madrugada. Não resistiu a uma parada cardíaca. Nesse dia, Cabral estava escalado para a transmissão de Internacional x Cerâmica, partida válida pelo campeonato gaúcho daquele ano, ao lado de Daniel Oliveira. A dupla de cabine acabou substituída por Marcos Couto e João Garcia.

A Radio Bandeirantes, de Porto Alegre, derrubou toda a sua programação daquela tarde e passou a falar de Cláudio Cabral. Personalidades esportivas, jornalistas e companheiros entraram no ar para relembrar fatos, convivência, manifestar pesar e saudades. Além disso, a emissora escalou o repórter Fabiano Brasil na capela do Cemitério São Miguel e Almas para o acompanhamento in loco do velório e enterro. Carlos Guimarães foi o âncora daquela inesperada cobertura

O narrador Marcos Couto teve a primeira oportunidade no rádio de Porto Alegre dada por Cláudio Cabral na Rádio Bandeirantes, na metade dos anos 1990. Cabral, por muitos anos, foi o gestor do departamento de esportes da emissora, ainda na fase tercerizada. Marcão contou na ocasião que as primeiras viagens para fora do estado e para fora do país como narrador foram proporcionadas por escalas feitas por Cláudio Cabral.

Quem também falou sobre Claudio Cabral nessa cobertura da Bandeirantes foi Lauro Quadros, que na época era apresentador da Rádio Gaúcha. Ambos trabalharam em rádios como Guaíba e Gaúcha. Lauro contou histórias sobre a família de Cabral (Cid, o pai, também foi jornalista, e Efraim, o tio, presidiu o Internacional e teve atuação na política de Porto Alegre), sobre a participação de Claudio como dirigente de futebol no Internacional, nos anos 1970.

Wianey Carlet, então comentarista da Rádio Gaúcha, participou por telefone. Disse que costumava conversar com Cabral nas cabines dos estádios de futebol e, na ocasião, manifestou muita tristeza por não poder mais ouvir a sua voz miúda, mas transmissora de muito conhecimento. Falou que sempre procurava por Cabral nas cabines dos estádios de futebol. Fez questão de dizer que seus colegas de Bandeirantes prestaram a maior homenagem que ele poderia ter ao chamá-lo de Mestre Cabral.

No trecho abaixo, destacamos os depoimentos de Débora de Oliveira (hoje no SBT) e Paulo Pires (histórico nome da Bandeirantes) ao repórter Fabiano Brasil. Carlos Guimarães e João Garcia, então na equipe esportiva da emissora, aproveitaram para também falar dele.

cabral