Câmara aprova artigos que fazem rádios pagar direitos de transmissão por partidas de futebol

Por Rodney Brocanelli

O rádio esportivo, como o conhecemos, está sob risco mais uma vez. A Lei Geral do Esporte, aprovada ontem na Câmara dos Deputados, tem dois artigos que caso sejam sancionados poderão fazer com que emissoras de rádio paguem para transmitir partidas de futebol. Durante a votação, o deputado Victor Mendes (MDB-BA) chamou a atenção para o fato: “lamentamos o que nós acabamos de fazer. Acabamos de votar um projeto tão importante, que esse projeto de atualização da lei do esporte, mas estamos sacrificando a radiodifusão. No texto que acabamos de votar, no art. 159 e 160, os programa (sic) de rádio passarão a ser cobrados pela transmissão dos eventos esportivos. Nós acabamos de onerar mais ainda a radiodifusão no País” (veja abaixo o vídeo).

Eis o que diz os artigos:

Art. 159. A difusão de imagens e/ou sons captadas em eventos
esportivos é passível de exploração comercial.
Parágrafo único. Os dados estatísticos decorrentes das partidas
disputadas em competições integram o rol de direitos comerciais e, portanto,
pertencem integral e exclusivamente às respectivas entidades de
administração do desporto.
Art. 160. Pertence às organizações esportivas mandantes que se
dedicam à prática esportiva em competições o direito de exploração e
comercialização de difusão de imagens e/ou sons, consistente na prerrogativa
privativa de negociar, autorizar ou proibir a captação, a fixação, a emissão, a
transmissão, a retransmissão ou a reprodução de imagens, por qualquer meio
ou processo, de evento esportivo de que participem.

(veja melhor aqui).

Em outro trecho de sua fala, Mendes fez até uma autocrítica: “votamos muito rapidamente, sem, talvez, ter conhecimento do substitutivo”.

A grande ironia lembrada pelo deputado é que o ano de 2022 marca a comemoração oficial dos 100 anos da primeira transmissão radiofônica no país. Um presente de aniversário bem indigesto, como disse o deputado Victor Mendes: “nós demos um presente de grego: mais uma cobrança na radiodifusão agora, com esse texto que acabamos de aprovar. Antes, somente a TV pagava por transmissão; agora, a rádio vai pagar também, graças ao relatório apresentado e à nossa votação”.

O narrador esportivo e jornalista paranaense Gabriel Carriconde alertou em suas redes sociais para o que poderá acontecer caso a Lei Geral do Esporte com seja aprovada com esses artigos específicos: “se essa medida passar, é o fim da latinha”.

Carriconde avança: “e qual é o nível de gravidade disso? Onerar de vez um meio de comunicação que não te cobra nada para transmitir partidas que muitas vezes, só pagando para ver. Enfraquece a imprensa esportiva, e prioriza a rádio dos clubes”.

Conforme a Agência Câmara de Notícias, a foi aprovada na forma do substitutivo do relator, deputado Felipe Carreras (PSB-PE), para o Projeto de Lei 1153/19. A proposta teve origem no Senado e retornará para nova votação dos senadores, ainda sem data definida.

O que resta agora é que as associações de cronistas esportivos e a Abert se mobilizem novamente para tentar derrubar esses artigos, tal como já aconteceu quando a ideia de se cobrar das rádios foi levantada por cartolas do futebol em 2019 (saiba mais aqui).

Héverton Guimarães agora é da Itatiaia

Por Rodney Brocanelli

Héverton Guimarães é o mais novo reforço da Rádio Itatiaia, de Belo Horizonte. Sua apresentação ocorreu no final de tarde desta quarta (06) durante o tradicionalíssimo Turma do Bate Bola (veja abaixo). Aliás, será neste programa uma das participações fixas de Héverton. A outra será no Bastidores (diário, das 20h às 21h), além de outras participações na programação da emissora. Tudo isso sem prejuízo da atuação do comunicador na televisão, onde ele aparece em rede nacional no Jogo Aberto, da TV Bandeirantes.

Antes vendedor de café, Héverton chegou a conciliar a carreira no comércio com o rádio. Ele foi repórter da Rádio Minas, de Divinópolis. Depois se transferiu para o Grupo Bandeirantes em Minas, atuando na versão local da Bradesco Esportes FM, que se chamava Esportes FM. Com o fim prematuro deste projeto, passou para a Band News, em Belo Horizonte, destacando-se na narração de jogos tanto do Atlético-MG como do Cruzeiro. Héverton pegou um bom momento desta dupla, com o título da Libertadores conquistado pelo Galo em 2012 e o nacional da Raposa em 2013.

Não demorou muito para que Héverton passasse a aparecer na televisão, ainda na Bandeirantes. Recentemente, em rádio, ele esteve na 98 FM, de BH.

Sob nova direção, a Itatiaia tem investido muito em profissionais. Nos últimos meses já contratou nomes de peso como os narradores Hugo Sergio e Osvaldo Reis, o Pequetito.

Batalha do Sarriá completa 40 anos; ouça narrações de rádio

Por Rodney Brocanelli (*)

O dia 5 de julho marcou uma das datas mais tristes na história da seleção brasileira de futebol. Jogando no estádio Sarriá, em Barcelona, os comandados de Telê Santana perdiam para a Itália pelo placar de 3 a 2 e davam adeus à Copa que no ano de 1982 era disputada na Espanha. Mesmo com as conquistas de 1994 e 2002, torcedores e jornalistas se perguntam até hoje sobre o que deu errado naquele dia. Bastava apenas um empate para que o Brasil chegasse às semifinais. Mas a Squadra Azurra apareceu pelo caminho. Além de adiar o sonho da conquista do título mundial, aquele resultado serviu para sepultar de vez a prática do futebol arte. Desde então, tivemos apenas alguns lampejos que apareciam de forma individual, graças ao talento de Romário e Ronaldo, cada um em sua época.

O blog Radioamantes leva você de volta ao dia 5 de julho de 1982. A nossa máquina do tempo é o rádio.

O quinto sinal da Rádio Bandeirantes marcava pontualmente 12h15, 16h15, horário local. Fiori Gigliotti anuncia o início da partida.

Para espanto geral, a Itáia saia na frente, logo aos 4 minutos de partida. Defesa brasileira vacilou. Paolo Rossi marcava, de cabeça. José Silvério estava na Jovem Pan.

A resposta brasileira não tardou. Sócrates recebeu um belo lançamento de Zico e avançou até entrar na área. O goleiro Dino Zoff tentou fechar o ângulo. Mas o Doutor, com o sangue frio que lhe era pecuilar, mandou para o gol. Osmar Santos narrou esse lance na Rádio Globo.

Mas Paolo Rossi se aproveitava mais uma vez de uma falha da defesa brasileira para marcar o segundo gol da Itália. O lance pegou muita gente desprevenida. José Silvério narrou esse lance na Jovem Pan.

No segundo tempo, o Brasil veio com tudo para tentar ao menos o empate. Falcão, na época o Rei de Roma, mandou um belo chute de média distância. E um detalhe que a televisão não mostrou: Cerezo, um dos responsáveis pelo lance que originou o segundo gol da Itália, chorou de emoção. José Silvério observou bem esse detalhe na Pan.

Armindo Antônio Ranzolin traduziu na Rádio Guaíba todo o orgulho pelo gol do “compatriota” Falcão.

E mais: a emoção de Willy Gonser, enaltecendo o corta luz de Cerezo, pela Rádio Itatiaia.

Mas aquela não era a tarde do Brasil. Em um escanteio aparentemente inofensivo, a Itália chegaria ao seu terceiro gol. Mais uma vez, Paolo Rossi. Flávio Araújo, então na Rádio Gazeta (SP) não escondeu a decepção.

Na Rádio Nacional, o garotinho ligeiro José Carlos Araújo ficou de queixo caído com o gol de Rossi.

O Brasil quase conseguiu o empate em uma cabeçada do zagueiro Oscar. O goleiro Dino Zoff operou um verdadeiro milagre. José Carlos Araújo, na Rádio Nacional, viu essa bola no gol.

Não teve jeito para o Brasil. O árbitro israelense (o Wikipedia diz que ele tem também nacionalidade romena) Abraham Klein apitou o fim de jogo. A perplexidade tomava conta da torcida brasileira. Fiori Gigliotti traduzia bem esse sentimento na Rádio Bandeirantes.

Passado o impacto da derrota, nada melhor que uma avaliação fria para se concluir em que a seleção brasileira errou. Eis a palavra de João Saldanha, então na Rádio Tupi. A metáfora do macaquinho é impagável.

(*) post atualizado e republicado. O original foi divulgado há dez anos (veja aqui). Estamos mesmo ficando velhos.

40 anos de “Olhos na TV, coração na Rádio Record”

Por Rodney Brocanelli

A história é relativamente conhecida nos bastidores da comunicação, mas vale a pena ser contatada novamente, uma vez que ela está completando 40 anos. A TV Record, ainda de propriedade de Paulo Machado de Carvalho, não conseguiu transmitir a Copa do Mundo, de 1982, disputada na Espanha. No entanto, uma saída simples e criativa conseguiu atrair uma grande parcela da audiência, utilizando o rádio.

No início da década de 1980, Silvio Luiz era um fenômeno. As transmissões de futebol comandadas por ele na TV Record gozavam de bastante prestígio entre anunciantes e, principalmente, telespectadores, causando assim alguns arranhões na audiência da hegemônica TV Globo.

Para a Copa de 1982, havia uma grande expectativa para um novo confronto entre as duas emissoras. Entretanto, alguns pequenos detalhes tiraram a Record dessa cobertura. Rui Viotti, na ocasião, assistente de Paulinho Machado de Carvalho, um dos manda-chuvas da Record, alertava para o risco da Globo exibir sozinha aquela competição.

Conforme o livro “Olho no Lance”, de Wagner William, os direitos de transmissão das grandes competições internacionais eram intermediados pela OTI (então Organização da Televisão Ibero-Americana). A entidade fazia a comercialização diretamente com o país associado, não importando as emissoras que desejassem colocá-las no ar. Bastava que as interessadas pagassem suas cotas. Se não houvesse o pagamento, as outras emissoras assumiriam o valor total.

Outro fator de risco era que para exibir a Copa, as emissoras filiadas à OTI eram obrigatoriamente obrigada a transmitir os Jogos Olímpicos. O grande problema é que dois anos antes apenas a Globo exibiu os Jogos de Moscou. Com isso, a emissora carioca acabou comprando sozinha a Copa da Espanha. Havia a expectativa de que ela revendesse os direitos para as outras emissoras brasileiras, o que não aconteceu.

O mesmo Rui Viotti, que alertou para o risco da TV Record ficar sem transmitir a Copa de 1982 teve uma ideia para diminuir o desastre: comprar os direitos para rádio e veicular as transmissões na Rádio Record tanto no AM (1000Khz) como no FM (89,7Mhz – hoje Nova Brasil), mantendo as mesmas características irreverentes das transmissões de Silvio Luiz na TV e com as tradicionais intervenções do comentarista Pedro Luiz e do repórter Flávio Prado . Paulinho topou e fez com que Viotti embarcasse para o Rio e abrisse negociações.

Negócio fechado pelo valor da época de 750 mil cruzeiros. Em seguida, foi criada uma campanha publicitária para informar ao público como acompanhar as narrações de Silvio: abaixar o som da televisão e ligar o rádio na Record. O slogan foi marcante: “Olhos na TV, coração na Rádio Record”.

O único empecilho que poderia comprometer o esquema foi resolvido de forma rápida: era o de convencer Zé Béttio, campeão de audiência e faturamento da Rádio Record AM a abrir generosos espaços de seu programa, veiculado todas as tardes para das lugar aos jogos da Copa.

Claro que havia dúvida sobre o estilo de narração. Seria rápido, como é tradicionalmente no rádio ou não? No dia 13 de junho, com a partida inaugural entre Alemanha e Bélgica veio a resposta: uma narração de tv no rádio.

A estratégia deu muito certo à medida em que os jogos do Brasil, então comandado por Telê Santana aconteciam. Citada no livro de William, a revista Veja informava que pelo menos uma das transmissões atingiu a marca de 200 mil ouvintes ficaram ligados no som da Record. E esse número não contemplava apenas os que também ligaram a televisão. Mesmo com o estilo mais cadenciado, parte do público apenas ligou o rádio para ouvir Silvio Luiz. A Record conseguiu vencer as concorrentes em rádio que já estavam acostumadas a transmitir futebol.

Mesmo com o sucesso, não foi uma cobertura fácil. O livro “Olho no Lance” relata que ocorreram problemas técnicos a partir do segundo jogo do Brasil, contra a Escócia. O jeito foi alugar duas linhas e reservar duas posições de transmissão no estádio. Deu certo.

No fim das contas, a transmissão alternativa da Record conseguiu um retorno muito maior em todos os sentidos: o de audiência, já citado, de publicidade e mídia. Mesmo com um massacrante número de televisores ligados, a Globo ainda saiu com fama de antipática por não ter dividido os direitos de transmissão com as outras emissoras de televisão, conforme o livro de William.

Uma pena que existam tão poucos registros dessas transmissões de Silvio Luiz na Rádio Record. Os arquivos de áudio da emissora foram perdidos. O que restou foram fragmentos, gravados do próprio rádio em fita cassete pelo pai do jornalista Ubiratan Leal. Eles foram digitalizados e posteriormente divulgados pelo jornalista Thago Uberreich. Ouça abaixo em duas partes.

Em julho de 2009, durante uma entrevista de Silvio Luiz ao programa Jovem Pan no Mundo da Bola, Rui Viotti fez uma importante intervenção contando essa história.

Gaúcha Santa Maria completa 10 anos

A Gaúcha Santa Maria completa uma década de atuação neste sábado (2). Inaugurada em 2012, a rádio na cidade coração do Rio Grande do Sul foi idealizada para aproximar a Gaúcha da região central, estratégica para o Estado. As comemorações do aniversário se iniciaram em 14 de maio, com transmissões externas diretamente da Praça Saldanha Marinho que proporcionaram interações entre os comunicadores e a audiência.    

– A gente, que é do rádio, sabe que, mesmo sem imagens, estar no local do fato faz toda a diferença na hora de reportar. E, nesses 10 anos, conseguimos mostrar a personalidade de Santa Maria e da região através do nosso trabalho. Como ouvinte, celebro que o Grupo RBS soube a importância do centro do Estado no momento dessa escolha. Como jornalista, me sinto realizada em fazer parte dessa história – afirma Amanda Boeira, comunicadora da Gaúcha Santa Maria.    

A programação local, pensada exclusivamente para Santa Maria, pode ser conferida de segunda a sábado no Gaúcha Hoje, das 7h às 8h, e no Chamada Geral 1ª Edição, de segunda a sexta, das 11h30 às 12h. Em sua terceira temporada, o quadro “Tua Voz, Santa Maria”, volta ao ar no Gaúcha Hoje a partir da próxima terça (5), quando também estará disponível nas plataformas de áudio online. A atração vai oferecer debates sobre temas relevantes para a cidade, com diferentes perspectivas, crenças e propostas de enfrentamento para os problemas vivenciados pela população.    

– A Gaúcha Santa Maria foi a primeira das nossas rádios pelo interior. Nesses 10 anos, a equipe local cobriu momentos importantes da história do Rio Grande do Sul. Os mais tristes e outros tantos muito felizes. Sempre com informação, jornalismo profissional e que se conecta com o coração do nosso Estado. Estar em Santa Maria é muito importante para a Gaúcha – celebra Andressa Xavier, gerente de Programação e Jornalismo da Gaúcha. 

Rádio MEC FM chega a Belo Horizonte com transmissão de concerto

Neste sábado (2), a Rádio MEC FM transmite ao vivo, a partir das 18h, o concerto “De Mozart a Offenbach”, da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. A transmissão marca a chegada da emissora pública em Belo Horizonte, por meio da frequência 87,1 FM.

Desde 2021, a parceria entre a EBC e a Rede Minas contempla a troca e transmissão de conteúdos da TV Brasil. O Presidente da EBC, Glen Valente, explica que com o potencial de ter uma rádio de música clássica em Belo Horizonte, o acervo de música clássica da emissora mineira e o apoio da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais (instalada no mesmo complexo cultural da Rede Minas), a Rádio MEC entra nesta parceria para dar sua contribuição aos amantes de música clássica de BH. “Com o sinal da rádio pública da EBC, as produções da Rádio Inconfidência poderão também ser veiculadas nas cidades onde a Rádio MEC está estabelecida”.

Realizado na Sala Minas Gerais, o recital também será transmitido pelas redes sociais da Filarmônica, com captação de áudio e vídeo da EMC (Rede Minas – Rádio Inconfidência), parceira da Rede Nacional de Comunicação Pública (RNPC). No estúdio da MEC do Rio de Janeiro, a apresentação será comandada pelo locutor Sidney Ferreira.

Com regência de Fabio Mechetti e solo do clarinetista Marcus Julius Lander, o espetáculo traz obras dos renomados compositores Wolfgang Amadeus Mozart, Carl Nielsen e Jacques Offenbach. No programa do concerto estão as obras “A flauta mágica, K. 620: Abertura” (Mozart), “Sinfonia nº 38 em Ré maior K. 504, ‘Praga’” (Mozart), “Concerto para clarinete, op. 57” (Nielsen) e “Orfeu no Inferno: Abertura” (Offenbach).
 

Sobre a Rádio MEC

Reconhecida pelos amantes da música, a Rádio MEC é consagrada pelo público por sua vocação direcionada à música erudita. A tradicional estação dedica 80% de sua programação à música clássica e leva ao ar compositores brasileiros e internacionais de todos os tempos.

Rádio MEC oferece aos ouvintes a experiência de acompanhar repertórios segmentados, composições originais e produções qualificadas. Ainda há espaço também para faixas de jazz e música popular brasileira, combinação que garante a conquista de novos públicos e agrada a audiência cativa.

Os ouvintes têm participação garantida e podem colaborar com sugestões para a programação da Rádio MEC. O público pode interagir pelas redes sociais e pelo WhatsApp. Para isso, basta que os interessados enviem mensagens de texto para o número (21) 99710-0537.

Serviço 

Concerto “De Mozart a Offenbach” – sábado, dia 02/07, às 18h, na Rádio MEC

Rádio MEC na internet e nas redes sociais

Site: https://radiomec.ebc.com.br

Instagram: https://www.instagram.com/radiomec

Spotify: https://open.spotify.com/user/radiomec

YouTube: https://www.youtube.com/radiomec

Facebook: https://www.facebook.com/radiomec

Twitter: https://twitter.com/radiomec

WhatsApp: (21) 99710-0537

Como sintonizar a Rádio MEC

Rio de Janeiro: FM 99,3 MHz e AM 800 kHz

Brasília: FM 87,1 MHz e AM 800 kHz

Belo Horizonte: FM 87,1 

Parabólica – Star One C2 – 3748,00 MHz – Serviço 3

Celular – App EBC Rádios para Android e iOS

Na Band News, Tite diz que duelo com Argentina antes da Copa é “grande prejuízo para o Brasil”

Tite diz que enfrentar a Argentina na última data disponível antes da Copa do Mundo traz prejuízo grande para o Brasil. A FIFA determinou que os times devem entrar em campo no mês de setembro para tornar válida a 6ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo. 

Nesta terça-feira (28), em entrevista exclusiva aos apresentadores do Alinne FanelliBruno Camarão e Fábio França, da BandNews FM, o treinador da Seleção Brasileira afirmou que esse confronto ainda é uma incógnita e que não há nenhum benefício ao disputá-lo. “É um jogo a 61 dias do início Copa do Mundo, correndo risco de ter um atleta expulso ou que tome um cartão e fique fora da estreia. Traz um prejuízo bastante grande e considerável nesse aspecto”, afirmou o técnico. 

Até por essa indefinição, o comandante do Brasil não confirmou que o clássico será na Neo Química Arena como o original de setembro de 2021 – a comissão técnica, aliás, não previa ter que voltar ao país antes da Copa. 

Tite também comentou sobre a importância da formação e evolução de um jogador na Seleção, citando o exemplo do volante Danilo, do Palmeiras, convocado pela primeira vez em junho e que não entrou em campo. “O atleta chega e precisa da naturalidade dos movimentos, porque é diferente de jogar em um clube, e precisa de um período de adaptação. Quando o Danilo veio, nós falamos com ele da função, o César [Sampaio, auxiliar] mostrou o trabalho em vídeos, os movimentos defensivos dentro do conceito, conversamos, ouvimos. Então, é preciso um período de desenvolvimento, de formação. O Alisson [goleiro] não chegou pronto, por exemplo”, explicou. 

Segundo o auxiliar Cléber Xavier, que também participou da entrevista, a Itália deve ser o local de preparação do Brasil antes da Copa, com apresentação dos jogadores no dia 14 de novembro e viagem a Doha no fim do dia 18 ou no próprio dia 19, data limite para a chegada da delegação brasileira. Ele ainda pontuou que o time segue para o Mundial de 2022 com uma experiência maior da comissão técnica de já ter vivido a competição quatro anos atrás. “A gente chega com a oportunidade de fazer um ciclo completo, conhecer mais os atletas com prazo maior e trabalhando mais alternativas de jogo, com iniciações diferentes e construções distintas”, declarou Cléber. Assista aqui à entrevista na íntegra.

“Toda Gente, um podcast sobre nós” estreia na próxima terça-feira nas plataformas digitais da Band

O Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, comemorado em 28 de junho, será marcado pelo lançamento do Toda Gente, um podcast sobre nós, que vai colocar em discussão assuntos importantes na busca por uma sociedade mais diversa e livre de preconceitos.

Apresentado por Juliano Dip, o programa foi desenvolvido com o objetivo de incluir todos os que estão fora do falso padrão social, seja pela orientação sexual, idade, peso, classe social, deficiência, entre outros. “A Band é a primeira emissora de TV no Brasil a ter um podcast dedicado à diversidade. O pioneirismo sempre foi uma marca do Grupo, assim como defender a pluralidade”, celebra o jornalista. 

Na estreia, o público acompanha uma entrevista com Milton Crenitte, médico geriatra autor da pesquisa sobre vulnerabilidade no atendimento à saúde dos LGBTs 50+, e Carolina Iara, mulher trans e covereadora de São Paulo. “Estamos abertos a ouvir as pessoas. No segundo episódio, vou conversar com um casal gay e seus dois filhos adotivos. Já na terceira semana, teremos duas mulheres com mais de 80 anos que combatem o preconceito por idade. Elas são as Avós da Razão e têm um alcance imenso nas redes sociais. Depois vamos falar de gordofobia e por aí vai”, adianta o apresentador.

Toda Gente, um podcast sobre nós estará disponível toda terça-feira no YouTube Band Jornalismo, no site Band.com e nos principais tocadores de podcast.

Paulo Lopes vai se afastar temporariamente da Rádio Capital

Por Rodney Brocanelli

Paulo Lopes, vai deixar a Rádio Capital. Desta vez, o comunicador pretende se lançar candidato a deputado estadual. Ele fez o anúncio oficial durante a edição desta terça (21) do programa Troca de Opiniões (veja abaixo). A atração, aliás, deverá sair do ar no próximo dia 30, data limite estipulada pela Justiça Eleitoral para que os candidatos que estão à frente de câmeras e microfones deixem seus postos.

Em sua manifestação, Lopes disse que foi incentivado por nomes como Joaquim Grava, conhecido pelo seu trabalho no departamento médico do Corinthians, e da Delegada Rose, que faz parte da bancada de debates do programa, além de outros.

Mesmo após esse período de ausência, Paulo Lopes terá seu lugar garantido na Rádio Capital, independente de conquistar sua vaga na Assembleia Legislativa ou não. Assim que ele estiver liberado de seu compromisso eleitoral, ele retornará ao microfone da emissora em novo horário. O apresentador negocia para ocupar a faixa matinal, às 11h.

Uma importante lembrança: Eli Corrêa, seu companheiro de emissora, é vereador na cidade de São Paulo. Entretanto, sua história foi diferente. Em 2020, quando se lançou candidato, seu contrato foi encerrado com a emissora e ele acertou depois com a Super Rádio. Somente em fevereiro de 2022, é que o Homem Sorriso do Rádio retornou à Capital.

A informação sobre a possível candidatura de Lopes já havia sido antecipada pelo site Bastidores do Rádio no último dia 1° (veja aqui). O site diz que o apresentador atualmente é filiado ao PL.

Veja a manifestação de Lopes clicando aqui.

Arquivo Guaíba relembra a história de Gérson, craque do Inter que foi diagnosticado com HIV

Por Rodney Brocanelli

No último final de semana (18 e 19), o Arquivo Guaíba veiculou uma edição especial de aproximadamente duas horas relembrando a história do jogador Gérson. Destaque do Internacional no início da década de 1990, atuando como centroavante, ele teve de parar com sua carreira após ser diagnosticado com o vírus HIV.

O programa veiculou reportagens de arquivo, datados do ano de 1992 (portanto, há 30 anos) entremeadas com um depoimento recente de Andréa da Silva, com quem Gérson estava casado na ocasião. Em alguns momentos, ela disse ter ficado emocionada ao ouvir esses registros.

Chama a atenção um dos áudios que é de uma entrevista de Luiz Carlos Reche, então repórter da Guaíba, feita com Gérson e sua então esposa na residência do casal. Nos dias de hoje, com atletas de futebol sendo blindados por assessorias, algo do tipo seria impensável.

O programa fez um bom painel de todos os acontecimentos daquela época, com áudios de entrevistas também de médicos e dirigentes do Internacional.

A produção é de Rodrigo Ramos e a apresentação de Luís Magno. Ouça abaixo.

O dia em que Orestes de Andrade e Geison Lisboa se hospedaram em um lugar bem inusitado

Por Rodney Brocanelli

Convidado do podcast Dus 2, o narrador Orestes de Andrade, atualmente empunhando o microfone da Rádio Guaíba, falou sobre aquela que talvez é uma das histórias mais divertidas de bastidores de transmissões esportivas.

Em 2015, ele e Geison Lisboa (um dos anfitriões do podcast) foram destacados para cobrir in loco uma partida entre Grêmio e Corinthians, na então recém inaugurada arena do time paulista. Dois dias antes, a área administrativa da rádio entregou passagens e o voucher com endereço do local em que a dupla iria ficar, bem próximo ao estádio.

Entretanto, algo chamou a atenção de Geison: o nome, Adrenalina. Ele chegou a questionar com a responsável o tipo de hospedagem: “Isso aqui é um motel”. Mas a resposta foi negativa. Era um hotel mesmo.

Na chegada à São Paulo, os desconfiados Geison e Orestes se dividem. O primeiro vai esperar a chegada da delegação do Grêmio, enquanto que o segundo vai direto para o hotel.

Enquanto estava fazendo seu trabalho, entrevistando os jogadores do Grêmio, Geison recebe uma ligação de Orestes com o veredito: “Garotinho, isso aqui é um motel!!!”.

“Quando cheguei, vi que a entrada era de motel, e eu digo ‘tô roubado’. (…) Daí, eu peguei, fui pro quarto e quando abri a porta era luz negra para tudo quanto era lado, azulzinha, vermelhinha…”, disse Orestes durante a entrevista.

Depois disso, Orestes resolveu ligar a tevê. “Nunca esqueço. Tinha 24 canais e tinha 23 de pornografia. Só tinha um (aberto) que era a Globo”, afirmou.

As camas, pelo menos eram separadas. Assim que Geison Lisboa chegou, ele percebeu outro detalhe do quarto: tinha um globo de luz no teto. Na hora de dormir, Orestes apaga as luzes e Geison se vira para pegar no sono. Entretanto, ele nem conseguiu fechar os olhos. Orestes fica admirado com a iluminação emitida pelo globo: “Meu Deus do céu!”. Depois dessa, a dupla não se contém e passa a rir desenfreadamente. Assim que recuperam o fôlego, teve mais: eles ouvem uma movimentação bem característica vinda de outro quarto.

No dia do jogo, a dupla resolve dar um passeio pelas redondezas. Ao sair e passar pela recepção, eles observam um casal que havia acabado de chegar e ouvem uma parte do diálogo: “só uma hora, amor?”

A hospedagem em um lugar tão inusitado tem uma explicação: o local fora usado em 2014 como hotel, digamos, normal do período de Copa do Mundo. “Foi uma bela experiência, inesquecível”, disse Geison.

Além dessa história, Orestes fez um apanhado sobre sua carreira de narrador, iniciada em Santo Ângelo, sua cidade natal. Tempos depois, ele foi para a Rádio Progresso, de Ijuí. Trabalhou em outras emissoras do interior até chegar à Rádio Guaíba em 1995. O podcast inclusive veiculou a primeira narração dele na emissora. Não faltaram outras histórias interessantes, envolvendo ex-craques da seleção brasileira de futebol como Roberto Carlos e Romário.

O Dus 2 é apresentado por Geison Lisboa e Cristiano Silva. Ouça abaixo.

Rádio Nacional veicula reta final da radionovela A Vidente e o Vigarista

Capítulos decisivos marcam as transmissões de A Vidente e o Vigarista, novela que vai ao ar na Rádio Nacional de segunda a sexta, às 21h, durante a faixa de radiodramaturgia da emissora. Com roteiro original de Amaral Gurgel e cerca de 15 minutos de duração, a produção faz parte de material histórico preservado pelo acervo da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

Lançada há mais de quatro décadas, em 11 de dezembro de 1980, a radionovela reúne os elementos essenciais de uma boa história. Com 186 capítulos, A Vidente e o Vigarista conta com triângulo amoroso e dramas sociais, além de uma pitada de eventos inusitados. O elenco inclui artistas como Domicio Costa, Maralise, Carmem Dolores, Amélia Ferreira e Carlos Leão.

Agora, muitas tramas entrelaçadas dependem dos próximos passos dos personagens principais Alex e Nadja, casal improvável que se conheceu em uma das esquinas da vida na capital paulista, unindo suas trajetórias em um enredo cheio de romance e trapaças. Será que a filha de Nadja descobrirá a identidade de seu verdadeiro pai? E os irmãos de Alex, conseguirão roubar o que resta de sua herança?

Na reta final da radionovela que está mexendo com os nervos do Brasil, inúmeros desafios se colocam no caminho dos protagonistas. O destino deles pode ser de glória ou fracasso, opulência ou miséria, o caminho do bem ou das trapaças e do trambique.

Sobre a produção
A Vidente e o Vigarista resgata a memória afetiva de boa parte do público da Rádio Nacional. Às vésperas dos 100 anos da primeira transmissão radiofônica no país, a Nacional resgata esta obra histórica de seu vasto acervo para valorizar ainda mais a programação da emissora.

A trama acompanha a jovem e ingênua Nadir, que sai do interior para estudar balé em São Paulo, onde se apaixona pelo pianista Ernesto. O mau-caráter desaparece e deixa a moça grávida.

Após o parto, ela viaja para a Europa em busca do amado, mas conhece Alex, e uma nova paixão se inicia. Nadir se transforma na vidente Nadja e diversas intrigas surgem a partir do triângulo amoroso que se forma.

Os episódios disponíveis de A Vidente e o Vigarista estão publicados no site e também no Spotify da radionovela.

Serviço
A Vidente o Vigarista – de segunda a sexta, às 21h, na Rádio Nacional

Rádio Nacional na internet e nas redes sociais
Site: https://radios.ebc.com.br/radionacional
Instagram: https://www.instagram.com/radionacionalbr
Spotify: https://open.spotify.com/user/vpj3k8ogjwf1nkv4nap3tlruv
YouTube: http://youtube.com/radionacionalbr
Facebook: https://www.facebook.com/radionacionalbr
Twitter: https://twitter.com/radionacionalbr
WhatsApp – (61) 99674-1536

Saiba como sintonizar a Rádio Nacional
Brasília: FM 96,1 MHz e AM 980 Khz
Rio de Janeiro: FM 87,1 MHz e AM 1130 kHz
São Paulo: FM 87,1 MHz
Belo Horizonte: FM 87,1 MHz
Recife: FM 87,1 MHz
São Luís: FM 93,7 MHz
Amazonas: 11.780KHz e 6.180KHz OC
Alto Solimões: FM 96,1 MHz

Aplicativo Rádios EBC, disponível para Android e iOS

Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo (ACEESP) muda logotipo e lança podcast

A Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo (ACEESP) passa a adotar, a partir desta sexta-feira (10 de junho), uma nova identidade visual. A mudança, mais visível no novo logotipo da entidade, faz parte de um amplo projeto de modernização empreendido pela nova gestão da associação, cuja diretoria é presidida pelo jornalista Nélson Nunes. Desde que assumiu a direção da ACEESP, em 25 de março, a nova equipe de gestão tem trabalhado em ações que visam um reposicionamento da marca, sem, no entanto, distanciar a entidade de seu histórico de representatividade na imprensa brasileira.

Mudar, sem perder a essência, foi a máxima que orientou todo o trabalho de criação do designer gráfico Cláudio Duarte na concepção da nova identidade da ACEESP. “Procurei manter o padrão de cores em tom azul e a forma geométrica do círculo, que já caracterizavam o logotipo antigo”, explica o artista. Unindo os conceitos de história e modernidade, Cláudio chegou ao design final fundindo as imagens de um microfone e de um satélite de comunicação. “Em tempos de comunicação globalizada, a ideia era fazer essa ponte entre o passado e o presente”, resume.

A nova identidade visual, aprovada em maio pela diretoria, é o ponto de partida para uma série de ações que têm como meta a melhoria na comunicação da ACEESP com seus associados e com o mercado e também uma adequação ao tempo de transformação vivido por todos os meios e plataformas de comunicação.

O podcast é a plataforma que mais cresce no mundo. A estimativa de estudiosos do meio digital é que a audiência do formato chegue a 23,5% da população mundial conectada até 2024. Ou seja: praticamente um em cada quatro internautas conectados no mundo estará ouvindo um podcast. Nesse cenário, o Brasil ocupa um lugar de destaque. Segundo pesquisa do site Statista, mais de 40% dos brasileiros conectados já entraram nessa onda. Apenas Suécia e Irlanda aparecem no mesmo patamar. Nos últimos anos, o hábito de ouvir podcasts só cresce.

O Podcast é uma realização da ACEESP em parceria com a Live Sports e a Sportheca, empresas que ofereceram estúdio e toda a infraestrutura técnica necessária para a gravação do programa, com alta qualidade de som e imagem. A Live Sports também criou a vinheta e a trilha de abertura do novo canal.

O primeiro episódio foi gravado na primeira semana de junho, sob o comando do jornalista Anderson Cheni, que entrevistou o presidente da ACEESP, o jornalista Nélson Nunes. No bate-papo, que já está disponível no Youtube (https://youtu.be/a4XU4BDMfPk) e no site da ACEESP (http://www.aceesp.org.br/site/), o presidente falou sobre a missão de substituir a dupla Erick Castelhero/Maurício Noriega, que estiveram à frente da entidade nos últimos seis anos, e dos desafios que tem para os três anos de gestão.

NOVO SITE – A ideia de reestruturação do plano de comunicação da Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo (ACEESP) teve como ponto principal a modernização do site da entidade (www.aceesp.org.br). Plataforma indispensável para toda e qualquer organização atual, o site passou por um projeto de requalificação de visual e ampliação de conteúdo a fim de se adequar aos novos tempos.

Todo o trabalho de desenvolvimento e criação da nova plataforma digital da ACEESP esteve sob a responsabilidade da Criaturo, empresa especializada em web design, assistida por um comitê formado por integrantes da diretoria da ACEESP. Especializada em criar  soluções digitais para empresas, a Criaturo chegou a um modelo que atende a premissa de propor o novo sem uma ruptura com a história da ACEESP. O resultado é um site que mantém as características de um veículo preponderantemente voltado para oferecer informações úteis aos associados, mas que passa a agregar novas seções e oferecer uma navegabilidade muito mais confortável e racional para o usuário.

Os assuntos agora são divididos por categorias e aparecem apresentados na home de maneira mais organizada, inclusive com o ordenamento determinado pelo volume de audiência dos posts. Assim, as notícias mais lidas aparecem listadas em primeiro lugar, em ordem decrescente, seguindo a lógica dos principais portais de notícias do mundo digital. Acesse: http://www.aceesp.org.br/site

NOVA SEDE – Além da mudança da identidade visual, que entra em vigor a partir desta sexta-feira (10/6), a ACEESP também comunica que a sede administrativa da entidade está atendendo em novo endereço. Na verdade, ocorreu apenas uma mudança de sala no mesmo prédio em que funcionava a sede própria adquirida há mais de 30 anos, ainda na gestão do então presidente Flávio Adauto. A nova sede segue localizada no edifício Winston Churchill, no número 807 da Avenida Paulista, só que agora em outro imóvel.

Então anote aí o novo endereço da ACEESP. Avenida Paulista, 807 – sala 318 – Bela Vista – CEP: 01311-915. Os telefones para atendimento e contato com a diretoria  continuam os mesmos:  (11) 3251-2420 e (11) 3289-8409. O email de atendimento é contato@aceesp.org.br. Para falar com o presidente, o email é presidencia@aceesp.org.br

Chegada da Jovem Pan News ao Paraná mexe com as redações

A chegada da Rádio Jovem Pan News a Curitiba e a Londrina movimentou alguns dos principais nomes das redações do Grupo RIC, maior afiliado da Rede Jovem Pan e da Record TV no país, com 150 jornalistas no Paraná. As novas posições abertas pelo jornalismo das rádios mexeram até com o elenco das emissoras de TV que cobrem todo o estado.

Os jornalistas Rafaela Moron e Guilherme Rivaroli assumiram os programas RIC Notícias Dia Curitiba e RIC Notícias Dia Paraná – esse em rede com Londrina, das 10h às 11h, de segunda a sexta. Em Londrina, o mesmo horário ganhou o comando da jornalista Raquel Rodrigues e de Vinícius Buganza – que também é apresentador do Cidade Alerta Londrina. O RIC Notícias Opinião, que vai ao ar das 16h às 17h, conta com apresentação de Eduardo Scola e comentários de Marc Sousa.

Quem são

A jornalista Rafaela Moron atua na área desde 2002, com passagens pela CBN, Transamérica, TV Educativa, e TV Tarobá, com várias premiações por reportagens especiais e séries. Seu companheiro de microfone na Jovem Pan News Curitiba, Guilherme Rivaroli, iniciou em 2006, fez carreira e acumulou prêmios de jornalismo em veículos do Paraná e Rio Grande do Sul, entre os quais Band News e Rede Record. Na RICtv/Record ancora o Paraná no Ar e é colunista do portal RIC Mais. 

O jornalista Vinícius Buganza trabalha no rádio desde os 17 anos, passando por emissoras como Rádio Londrina, Rádio Globo e Rádio Brasil Sul, além de revistas, jornais impressos e sites de notícias. Também esteve na RPC TV, afiliada paranaense da Rede Globo, e desde o ano passado está de volta à RIC como apresentador do Cidade Alerta Londrina. Com mais de 30 anos de experiência, Raquel Rodrigues tem passagens por emissoras de rádio e TV do SBT, Globo e Sistema CBN, como repórter, editora e editora-chefe.

Já Eduardo Scola, que já apresentava o RIC Notícias Noite, leva para a Jovem Pan News a fé no poder transformador do jornalismo e sua vivência como repórter de grandes coberturas eleitorais e da pandemia da Covid-19. Junto com ele, com opiniões e comentários, atua o jornalista Marc Sousa, que também é âncora do Jornal da Manhã Paraná, transmitido pelas emissoras da Jovem Pan em Curitiba, Ponta Grossa e Cascavel, além de repórter da RICtv e colunista do portal RIC Mais.

Futebol Globo CBN confirmado na Copa de 2022

Por Rodney Brocanelli

As rádios Globo e CBN estarão transmitindo a Copa do Mundo do Catar, cujo início está previsto para novembro de 2002. Ainda não foram divulgados detalhes sobre esta cobertura, mas pelo o que indica a chamada veiculada e captada hoje de manhã na CBN São Paulo, está confirmado que Oscar Ulisses e Edson Mauro serão suas principais vozes (ouça abaixo).