Archive

Archive for the ‘Notícias’ Category

Os gols do meio de semana

GPor Rodney Brocanelli

Pela Copa do Brasil, o Flamengo venceu o Atlético-GO pelo placar de 2 a 1. Ouça a narração de José Carlos Araújo, pela Super Rádio Tupi.

Também pela Copa do Brasil, o Atlético-MG perdeu para o Paraná Clube: 3 a 2 Ouça a narração de Mario Henrique Caixa, da Rádio Itatiaia.

Pela Libertadores, o Palmeiras bateu o Atlético Tucumán pelo placar de 3 a 2. Ouça a narração de Oscar Ulisses, da Rádio Globo.

Ouça também a narração de Leandro Bollis, da 105 FM.

O Santos goleou o Sporting Cristal na Vila Belmiro: 4 a 0. Ouça a narração de Maurício Camargo, da Rádio Capital.

A Chapecoense venceu o Zulia de forma heroica e de virada: 2 a 1. Ouça a narração de Rafael Henzel, da Rádio Oeste Capital.

Na Bandeirantes, Reinaldo Azevedo diz que sua saída da Pan foi resultado de desgaste mútuo

24/05/2017 16 comentários

Por Rodney Brocanelli

Reinaldo Azevedo concedeu na manhã desta quarta feira uma longa entrevista ao programa 90 Minutos, apresentado por José Luiz Datena, na Rádio Bandeirantes. O jornalista falou, é claro, sobre a divulgação de uma conversa sua com Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves. Sobre esse tema, Reinaldo reiterou o que já disse no RedeTV News do dia anterior.
Perguntado pelo apresentador sobre sua saída da Rádio Jovem Pan, Reinaldo disse que a decisão era resultado de um desgaste mutuamente reconhecido pelas partes. “Já havia uma deliberação minha, já comunicada à própria decisão da empresa”, declarou. José Luiz Datena quis saber se houve alguma discussão interna, citando o comentarista Marco Antonio Villa, que hoje atua no Jornal da Manhã. “Não concordo com as opiniões desse senhor, em muitos aspectos, especialmente no que diz respeito ao arcabouço legal. Mas não tem a ver. Imagina. Não vai ser Marco Antonio Villa que vai dizer onde eu trabalho ou deixo de trabalhar. Ele que continue com a vida dele e seja feliz”, falou. Ouça o trecho abaixo.

reinaldoazevedoDatena-na-Rádio-Bandeirantes

Reinaldo Azevedo deixa a Jovem Pan; futuro de Os Pingos nos Is é incerto

23/05/2017 60 comentários

Por Rodney Brocanelli

Reinaldo Azevedo não é mais apresentador da Rádio Jovem Pan. Ao site TV História, ele declarou que “as razões da minha saída da rádio antecedem a agressão de que estou sendo vítima. Embora vá se misturar tudo”. Para quem ainda não sabe, uma conversa entre o jornalista e Andrea Neves, irmã de Aécio Neves, foi anexada ao inquérito que resultou na posterior prisão de Andrea e na suspensão de parte das atividades de Aécio como senador. O site Buzzfeed publicou trechos do diálogo (saiba mais aqui). Reinaldo não era investigado. No entanto, o teor da conversa resultou no seu pedido de demissão da Veja, onde mantinha um blog com alto índice de leitura.

Após a divulgação da notícia, muitos correram para acompanhar a edição de hoje de Os Pingos nos Is. A expectativa era por uma manifestação mais ampla de Reinaldo Azevedo. Porém, a atração foi substituída por uma reprise do programa 3 e 1, que o antecede no horário. Nas redes sociais, a reação foi imediata, com ouvintes manifestando estranhamento.  As 18:36 desta terça, o site TV História publicou sobre o pedido de demissão feito por Reinaldo Azevedo também da Jovem Pan. Procurada pelo blog, a assessoria de imprensa da emissora informa que o futuro de Os Pingos nos Is é incerto e não há substituto para Reinaldo Azevedo no momento.

Os Pingos nos Is estreou em 28 de março de 2014 e teve na equipe inicial, além de Reinaldo Azevedo, os jornalistas Patrick Santos e Mona Dorf. Atualmente Victor LaRegina e Vitor Brown dividiam a apresentação do programa com Azevedo. Quando completou dois anos, a atração tinha uma média de 1 milhão de ouvintes por minuto, com números superiores à soma das segundas e terceiras colocadas, de acordo com o Kantar Ibope Media.

ATUALIZAÇÃO (23.05 – 21:15) A Procuradoria-Geral da República divulgou nota negando que tenha anexado o diálogo entre Reinaldo Azevedo e Andrea Neves no inquérito. Leia mais abaixo:

http://www.mpf.mp.br/pgr/noticias-pgr/nota-de-esclarecimento-6/view

ATUALIZAÇÃO (24.05 – 12:43) Na manhã desta quarta, Reinaldo Azevedo concedeu entrevista ao programa 90 Minutos, de José Luiz Datena, na Rádio Bandeirantes. O jornalista falou sobre sua saída da Rádio Jovem Pan.

https://radioamantes.wordpress.com/2017/05/24/na-bandeirantes-reinaldo-azevedo-diz-que-sua-saida-da-pan-foi-resultado-de-desgaste-mutuo/

 

reinaldoazevedo

Marco Antonio Villa e Jair Bolsonaro debatem ao vivo no Jornal da Manhã

23/05/2017 5 comentários

Na terça-feira, 23 de maio, o Jornal da Manhã produção de maior tradição do rádio brasileiro receberá o deputado e pré-candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, que desafiado pelo jornalista e historiador, Marco Antonio Villa debaterá ideias e opiniões sobre política e economia.

Após responder a uma reportagem da Folha de S. Paulo, Jair foi duramente criticado por leitores e pelo jornalista da Jovem Pan, que o desafiou a comparecer aos estúdios da emissora, para discutir a atual situação político-econômica do País.

“Eu desafio o senhor a discutir política externa, quero ver se o senhor tem preparo para ser presidente. Eu desafio o senhor. O senhor é uma enganação. É um embusteiro. Não sabe nada do que é o Brasil e não conhece nada sobre o país”, disparou Marco Antonio Villa.

O deputado aceitou o desafio proposto pelo jornalista e nesta terça-feira (23), participará ao vivo do Jornal da Manhã, a partir das 9h.

Apresentado por Joseval Peixoto, Thiago Uberreich, Marco Antonio Villa e Vera Magalhães, o Jornal da Manhã vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 5h às 10h e aos sábados, das 6h às 10h nas redes Jovem Pan AM, FM e streaming.

LOGO JP_vermelhoNOVO

Na Band News, Ricardo Boechat diz que até agora não há motivos para falar sobre Ticiana Villas Boas

Por Rodney Brocanelli

Na manha desta segunda-feira, durante sua participação na Band News, Ricardo Boechat foi inquirido por um ouvinte a respeito de Ticiana Villas Boas, esposa de JoesleyBatista, empresário e um dos donos da JBS. Na esteira do noticiário quente envolvendo o marido, ela vem sofrendo muitas criticas. Ticiana foi apresentadora do Jornal da Band, ao lado de Ricardo Boechat. Ele  fez um breve histórico profissional e pessoal da apresentadora e disse em resumo que não há nada para falar sobre ela até que apareça alguma coisa. Disse que sua carreira foi construída à parte de seu casamento com Joesley. O apresentador disse que esse é seu segundo matrimônio.  Boechat teve de cortar duas vezes Eduardo Barão que, talvez por problemas de tempo, quis apressar comentário. Ouça abaixo, em vídeo postado pelo usuário TV e Rádio /televinhetas.

Ticiana Villas Boas e Ricardo Boechat na bancada do Jornal da Band

Foto: Divulgação

Os gols do fim de semana

Por Rodney Brocanelli

Olha a Chape aí! O time de Santa Catarina derrubou o segundo gigante deste campeonato brasileiro (o empate contra o Corinthians pode ser considerado como uma vitória). Na Arena Condá, a Chapecoense venceu o Palmeiras pelo placar de 1 a 0. Ouça a narração (aqui em versão mais extensa) de Rafael Henzel.

Nada com um dia após o outro e um adversário após o outro. O Flamengo esqueceu a desclassificação da Libertadores com uma vitória por 3 a 0 sobre o Atlético-GO. Ouça a narração de Luiz Penido, pela Rádio Globo.

Pela série B, Internacional e ABC empataram pelo placar de 1 a 1 em pleno Beira Rio. Ouça a narração de Pedro Ernesto Dernadin, da Rádio Gaúcha.

Outra da série B: o Santa Cruz venceu o Guarani em casa, pelo placar de 2 a 1. Ouça a narração de Aroldo Costa, da Rádio Jornal.

Tem campeonato paulista ronaldo ainda, sim senhor. Nacional, de São Paulo, e Internacional, de Limeira estão decidindo o título da série A-3. Na primeira partida, disputada na capital, vantagem para o time do interior. Ouça a narração de Edmar Ferreira, da Rádio Educadora de Limeira.

Ouça também a narração de Daniel Senna, da web rádio Premium Esportes.

De volta à série A do Brasileirão: o Vasco venceu o Bahia. 2 a 1, placar final. Ouça a narração de Odilon Cunha, da Super Rádio Tupi.

Em Curitiba, o Grêmio se deu bem vencendo o Atlético-PR pelo placar de 2 a 0. Ouça a narração de Thiago Suman, pela Rádio Grenal.

Em Salvador, uma vitória importante do Corinthians: 1 a 0 sobre o Vitória. Narração de Oscar Ulisses, da Rádio Globo.

O líder Fluminense venceu o bom time do Atlético-MG pelo placar de 2 a 1. Hércules Santos narrou na Rádio Globo.

Didático, Kid Vinil deixou sua marca no rádio

19/05/2017 4 comentários

Por Rodney Brocanelli

Morreu nesta sexta-feira, o músico, radialista e apresentador Kid Vinil. No dia 19 de abril, ele passou mal em uma apresentação na cidade de Conselheiro Lafaiete (MG). Foi internado em um hospital municipal e depois transferido para São Paulo e foi direto para o hospital TotalCor. A causa da morte ainda não foi divulgada.

Como músico, ele fez parte das bandas Verminose, Magazine, entre outras. Com esta última, conseguiu sucesso comercial na explosão do rock nacional dos anos 1980. Apesar dos hits  “Sou Boy” e “Tic Tic Nervoso”, Kid não chegou a entrar para o panteão dos nomes clássicos daquela geração, como Renato Russo, Herbert Vianna, entre outros. No entanto, foi no rádio onde ele conseguiu deixar a sua marca, influenciando uma grande parcela de ouvintes. Para isso, o apresentador se valeu de uma fórmula simples: ele procurava ser sempre didático. Sem enrolar muito, Kid informava ao ouvinte sobre a música ou banda que iria tocar.

No começo dos anos 1980, ele teve um programa na Rádio Excelsior FM (hoje CBN) chamado “Programa do Kid Vinil”. Em seguida, na mesma emissora,  fez uma parceria com Leopoldo Rey para comandar o “Rock Sandwich”. Naquela época, a Excelsior tinha como diretor Maurício Kubrusly.

Antes do estouro com o Magazine, Kid passou pela Antena 1 FM, que era bem diferente daquela que está hoje no ar. Em 1986, voltou ao rádio, comandando um programa semanal na 89 FM. No começo da década de 1990, apresentou na Brasil 2000, ao lado de Mauro Beting, o semanal Digital Sessions. Era uma verdadeira anarquia, no bom sentido.

Talvez o grande momento de Kid Vinil no rádio começou na 97 FM, por volta do ano de 1993, quando comandou o diário “Patrulha Noturna”. Ele tinha quatro horas livres, ao vivo, a partir das 22h, para tocar aquilo que quisesse. Perdi a conta de quantas madrugadas eu ficava colado no meu aparelho de som, ouvindo a seleção musical de Kid, nem que isso significasse pouquíssimas horas de sono. O duro era levantar cedo para ir à aula, mas valia a pena. Naquela época, Kid começou a tocar bandas que que seriam muito reconhecidas no cenário internacional. Uma delas era simplesmente o Oasis.

Em dezembro de 1994, a 97 FM abandonou o rock e se transformou em uma rádio de música eletrônica. Na época, o então diretor Lélio Teixeira (ele mesmo) disse à Folha de S. Paulo que o estilo não era mais viável comercialmente. Kid falou sobre isso numa entrevista à Rádio Onze, uma rádio livre ligada ao Centro Acadêmico da Faculdade de Direito-USP: “As pessoas querem que a coisa dê dinheiro, querem faturar e não sabem o que fazer. Na 97 FM aconteceu isso. Eles querem faturar, no entanto, ainda não conseguiram com o poperô. Acho que deveriam mudar para samba ou sertanejo. Se eles querem ganhar dinheiro, tem que ser com uma coisa bem brega mesmo, porque o popular é que dá dinheiro”. Vale lembrar que em 1999, a emissora adotou uma linha mais popular, ainda que por pouco tempo.

Kid não ficou muito tempo fora do ar e se transferiu para a Brasil 2000 no começo de 1995. Foi nela que ele passou a falar de uma banda que estava com uma grande repercussão na Inglaterra, comandada por uma vocalista de origem brasileira: o Drugstore, de Isabel Monteiro. Nesse período, ele passou a ter uma visão bem critica dos ouvintes de rock: “Quem gosta de rock eh um público pequeno, isso o rock de verdade. Tem cara que prefere comprar o disco para ouvir em casa a ouvir radio, eu conheço muitas pessoas que fazem isso e não estão nem aí para o fato de ter rádio tocando ou não. O público de rock é complicado de se trabalhar. Eu vejo pela Brasil 2000. A gente tem um número de ouvintes limitado. É uma coisa muito dirigida, quem gosta de rock é um outro publico. As pessoas que ouvem essas rádios mais populares gostam de qualquer coisa, não tem um gosto especifico”, disse ele em entrevista à Rádio Onze.

Depois de uma nova passagem pela 89 FM, em 1996, Kid foi para a então novata Mix FM no ano seguinte. Ela ainda não tinha se transformado em uma rádio pop e o apresentador tinha um programa de segunda a sexta entre 21h e 01h. Aqui, ele já não tinha tanta liberdade. Apenas no período da meia noite à uma da manhã havia espaço para uma programação mais pessoal, além de atender a pedidos dos ouvintes que chegavam via fax.

Entre 2001 e 2003, Kid Vinil teve uma experiência radiofônica do outro lado do balcão: ele dirigiu a Brasil 2000, mas devido a problemas internos, essa passagem não foi muito feliz. Ao site Rock em Geral, ele disse: “Uma das diretoras me chamou para ser o coordenador geral da rádio, e eu achei legal, ia ter toda a liberdade. Só que a rádio não dependia só dessa pessoa que me chamou, ela pertence a uma universidade e havia outras irmãs que ficam dando palpite. Cada uma gosta de uma coisa. Uma delas gostava de world music; a outra, de pop descartável. E, outra, que foi a que me chamou, mais de alternativo. E tinha um sobrinho que ficava minando o meu trabalho, querendo o meu lugar – e acabou conseguindo. Eles queriam que a rádio fosse da família, e acabou sendo, só que a família não conhece nada de música. Tiveram a oportunidade de ter credibilidade, mas minaram o meu trabalho. No primeiro ano deu certo, no segundo, quando eu comecei a ser afastado, a coisa degringolou”.  Mesmo com tantos problemas, ele não deixou de fazer a sua autocrítica: “Hoje eu faria diferente. Na época, peguei pesado na coisa e fazer uma rádio alternativa. Muita gente até me criticou por isso. Deixei a rádio muito alternativa, fui com sede ao pote. Hoje eu faria uma coisa mais equilibrada, colocaria sucessos, clássicos do rock e as coisas mais alternativas, não seria tão lado B”. Uma pena que não foi possível nomear os personagens citados.

Nos últimos tempos, Kid se dividiu entre a web rádio da Brasil 2000, até ela ser extinta, e a 89 FM, emissora onde tinha um programa semanal.

Para encerrar, deixo aqui uma lembrança inusitada de sua passagem pela Mix FM. Em uma bela noite, o áudio de um programa da Igreja Universal passou a vazar no ar. A reação de Kid Vinil foi impagável.

KidVinil

%d blogueiros gostam disto: