Presidente da Federação Paraibana de Futebol nega participar de articulação para cobrar das rádios

Por Rodney Brocanelli

Michele Ramalho, presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), encaminhou nota aos veículos locais rebatendo declarações do senador Jorge Kajuru (CIDADANIA-GO) em entrevista concedida à Rádio Jovem Pan no domingo passado (clique aqui). Segundo Kajuru, a federação paraibana estaria ao lado de outras articulando junto à CBF (Confederação Brasileira de Futebol) a adoção da cobrança de direitos de transmissão das partidas de futebol por parte das emissoras de rádio.

Segundo a nota, Michele negou a articulação e ainda defendeu as emissoras de rádio: “Respeito a opinião de quem é favorável a esta cobrança, mas eu não sou. Quero que o futebol seja cada vez mais difundido e as emissoras radiofônicas são importantes neste cenário”.

Leia abaixo a íntegra da nota:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A presidente da Federação Paraibana de Futebol, Michelle Ramalho, vem a público esclarecer as recentes acusações do senador Jorge Kajuru, em relação a um suposto pedido por parte de federações estaduais para que a CBF passe a cobrar para que as emissoras de rádio transmitam os jogos. Em pronunciamento, o político usou o nome da Paraíba e disse que a FPF estaria junto a outras entidades, em Brasília, na tentativa de concretizar a obrigatoriedade da referida cobrança.

“As rádios são instrumentos importantíssimos na divulgação e promoção das competições estaduais e nacionais. Nunca estive em Brasília com qualquer outro presidente de Federação pleiteando algo desse tipo, pelo contrário, o rádio é um símbolo que está inteiramente ligado ao futebol. Quem nunca viu um torcedor com o seu aparelho na arquibancada, vibrando com o grito de gol? Respeito a opinião de quem é favorável a esta cobrança, mas eu não sou. Quero que o futebol seja cada vez mais difundido e as emissoras radiofônicas são importantes neste cenário. O futebol da Paraíba será ainda mais forte, se tivermos uma presença constante e plural da imprensa”.

Michelle Ramalho
Presidente da FPF-PB

Michele Ramalho

Rádio: em defesa da isenção dos direitos de transmissão, Jorge Kajuru diz que vai se reunir com Bolsonaro e coletar assinaturas

Por Rodney Brocanelli

Em entrevista concedida neste domingo à Rádio Jovem Pan, o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO)prometeu mobilização contra a possível cobrança das emissoras de rádio para que estas transmitam as partidas  de futebol organizadas pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol). Kajuru disse que já marcou uma audiência o presidente Jair Bolsonaro. Além disso, ele afirmou que está coletando assinaturas de seus colegas e informa já um total de 43 delas. O senador declarou também que enviou um requerimento a Paulo Tonet, presidente da ABERT (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV) e vice-presidente da Rede Globo procurando mostrar a importância do rádio para o futebol.

Durante a entrevista concedida a Wanderley Nogueira e Flavio Prado, o senador fez duras criticas aos dirigentes de futebol: Não tem cabimento esse vice-presidente da CBF, que está morrendo de medo da CPI do Esporte e toda hora manda recados para mim, dizendo que ‘essa CBF é diferente da outra’, dizer que é igual Copa do Mundo… Que comparação chumbrega! Querer comparar venda de direitos de transmissão de um evento que ocorre a cada quatro anos no mundo, que movimenta bilhões de dólares, com Campeonato Brasileiro… Querer cobrar Séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro e Estaduais com o intuito exclusivo de enriquecer ainda mais as federações em sua maioria corruptas, essas que recebem mensalinho? São elas que estão forçando a CBF para que o rádio pague direitos de transmissão”, disse.

O debate sobre a venda de direitos de transmissões das partidas de futebol organizadas pela CBF ganhou corpo novamente após as declarações de Francisco Novelletto, vice-presidente da entidade ao site GaúchaZH: “Eu estou falando pela minha cabeça e por mim: no ano que vem, só vai transmitir quem pagar, e está absolutamente certo. Tem que ser como na Copa do Mundo. Eu estou acelerando para que isso seja implementado já no ano que vem e posso dizer que o movimento se acelerou após a entrevista do Andrés. Ele que está puxando, mas já existem outros presidentes que são favoráveis”. O cartola cita uma entrevista de Andrés Sanches, presidente do Corinthians, no sábado retrasado, antes de Grêmio x Corinthians, em que questionou a presença de um grande número de veículos de comunicação para a cobertura da partida (saiba mais aqui). O dirigente corinthiano foi duramente criticado pelo senador Jorge Kajuru em sua entrevista à Jovem Pan.

Ouça a entrevista do senador Jorge Kajuru à Rádio Jovem Pan clicando no link abaixo:

https://jovempan.com.br/esportes/futebol/fim-do-futebol-no-radio-kajuru-se-revolta-marca-audiencia-com-bolsonaro-e-detona-andres-e-um-lixo-nao-reciclavel.html

senador5895

Jorge Kajuru anuncia volta ao rádio goiano via Rádio Sagres AM 730

Por Rodney Brocanelli

Na última quarta feira (1), Jorge Kajuru anunciou de forma oficial sua volta ao rádio goiano após um afastamento de muitos anos. Ele irá ocupar parte da grade da Rádio Sagres 730 AM com programas e jornadas esportivas. Quando isso ocorrer, a emissora vai se chamar Rádio K do Brasil. A Sagres manterá sua identidade no restante da programação. Kajuru irá participar ativamente desse projeto, muitas vezes diretamente de Brasília, sem prejuízo de seu mandato de senador da República.

Antes da transmissão de Goiás x São Paulo, partida válida pelo campeonato brasileiro de 2019, Kajuru ocupou boa parte do pré-jogo da Rádio Sagres para falar do seu retorno ao rádio de Goiânia, além de contar histórias deliciosas, ao lado de Evandro Gomes e José Carlos Lopes. Uma delas envolve o comentarista Leds Gonçalves e um ouvinte que o parou certa vez no estádio para lhe pedir que usasse palavras de fácil compreensão em seus comentários. O atual governador de Goiás, Ronaldo Caiado, também participou dessa programação especial.

A estreia oficial da equipe Feras do Kajuru acontece no próximo dia 1º de junho.

Ouça abaixo os áudios.

kajuru

Em Goiânia, Edson Rodrigues deixa a 730 AM

Por Rodney Brocanelli

Um dos narradores esportivos mais populares de Goiânia, Edson Rodrigues  está deixando a 730 AM depois de 14 anos na emissora. Ele se despediu de seus ouvintes no ar, nesta sexta-feira. Seu destino pode ser a Rádio Bandeirantes/820 (antiga Rádio Jornal), conforme informações divulgadas na semana passada pelo blog de Auvaro Maia.

Além da proposta do concorrente, outro fator que motivou a saída de Edson foi a questão dos salários atrasados. Pelo que se comenta nos bastidores, ele está há seis meses sem receber salários.

Edson Rodrigues começou sua carreira em  Araguari (MG), passou por emissoras de Belo Horizonte, mas sua carreira deslanchou mesmo em Goiânia, fazendo parte das equipes comandadas por Mané de Oliveira e Jorge Kajuru.

Ouça abaixo uma narração de Edson Rodrigues, ainda pela Rádio K do Brasil: os instantes finais da decisão entre Brasil e França, válida pela Copa de 1998.

Edson-7301

Rádio 730 AM, de Goiânia, pode estar à venda

Por Rodney Brocanelli

O blog de Auvaro Maia publica hoje que a Rádio 730, de Goiânia, demitiu mais um profissional do departamento de jornalismo:  Marcos Cipriano.

Leia aqui:

http://auvaromaia.com/2013/05/07/radio-730-demite-reporter-marcos-cipriano/

Uma outra notícia, no final do texto, preocupa: a Rádio 730 AM pode estar à venda.  Maurício Sampaio,  apontado como mandante do assassinato de Valério Luiz, deve passar a emissora para frente. Segundo Auvaro Maia, um grupo evangélico estaria interessado na compra. Vale lembrar que a Rádio 730 AM, sucedeu a Rádio K do Brasil, fundada por Jorge Kajuru, em 1997.

730

Caso Valério Luiz: um dos suspeitos é diretor da Rádio 730 AM (GO)

O que mais chama a atenção no desenrolar do caso Valério Luiz  (leia tudo o que já foi publicado neste blog aqui) é que um dos principais suspeitos de ser o mandante do assassinato é atualmente diretor de uma das rádios mais importantes da cidade de Goiânia: a 730 AM, a antiga Rádio K do Brasil, fundada por Jorge Kajuru.

Valério foi morto em julho do ano passado, quando deixava as dependências da Rádio  820 AM, após participar de um programa de debates esportivos. A motivação para o assassinato seria o descontentamento de algumas figuras por causa de seus comentários relacionados ao Atlético-GO, um dos principais clubes da cidade. Veja abaixo

No vídeo, Valério cita o caso de uma partida do Atlético-GO contra o Barras-PI, válido pela série C, em 2007, em que, segundo ele, houve tentativa de compra de resultados. Segundo a descrição do vídeo, ‘o time goiano dependia de uma simples vitória sobre os piauienses para ter acesso a série B em 2008, mas não consegui vencer ao Leão do Piauí”. O compacto dessa partida teve narração do próprio Valério Luiz.

Em seu site, a 730 AM publicou dois textos editoralizados com várias críticas à forma como as investigações do caso vem sendo conduzidas.

http://www.portal730.com.br/editorial/caso-valerio-a-verdade-real-e-a-investigacao-surreal

http://www.portal730.com.br/cidades/advogado-aponta-inconsistencias-em-inquerito

Valerio Luiz 1

Jorge Kajuru fala sobre o caso Valério Luiz

Por Rodney Brocanelli

O assassinato do jornalista e radialista Valério Luiz completa três meses. Jorge Kajuru, que construiu parte de sua carreira em Goiânia, falou sobre o assunto à Daniel Santana, da PUC TV.

 

Saiba mais sobre o assunto nos posts publicados pelo Radioamantes.

https://radioamantes.wordpress.com/tag/valerio-luiz/