Morre Zora Yonara

Por Rodney Brocanelli

Morreu na tarde desta sexta-feira (11) a astróloga Zora Yonara. Segundo o site da Super Rádio Tupi, ela estava internada havia 10 dias em um hospital devido a uma pneumonia. Essa foi a causa da morte. Sabe-se que ela estava sob cuidados especiais devido a complicações oriundas do Mal de Alzheimer. Com isso, suas participações no Show do Antonio Carlos eram gravadas, sempre usando material de arquivo. Ela tinha 86 anos. Não foram divulgadas informações sobre velório e enterro.

Seu nome verdadeiro era Creusa Gramacho Carosella. Nasceu em Vitória (ES) e começou sua carreira como radioatriz em seu estado natal. Depois, se transferiu para o Rio de Janeiro, trabalhando na Rádio Globo.O diretor Mario Luiz pediu para que ela lesse o horóscopo do dia. Nunca mais parou. E foi na Globo que ela ganhou seu nome artístico, uma criação de Luiz. Zora veio do grego (significa força e coragem). Yonara era uma homenagem a Yoná Magalhães (dizem que o chefão da Globo na época gostava muito da atriz).

Depois dessa experiência, Zora dedicou-se aos estudo de astrologia e se transformou em uma referência no tema.

Zora chegou a trabalhar com Silvio Santos, sendo um dos primeiros nomes da TVS (hoje SBT) no Rio de Janeiro. Ainda em tevê, integrou a equipe do TV Mulher, da Rede Globo.  Nos últimos anos, vinha trabalhando com o Antonio Carlos, antes na Rádio Globo e a agora na  Super Rádio Tupi. O comunicador manteve a astróloga em sua equipe mesmo depois do agravamento de seus problemas de saúde.

Ouça abaixo Zora Yonara em ação.

ATUALIZAÇÃO (13/12 -18h40) – A primeira versão deste texto trouxe uma informação incorreta. Zora morreu com 86 anos e não com 91, como foi publicado. Feita a correção. Saiba mais aqui. 

Nova narradora do Grupo Globo, Renata Silveira já foi a Garota da Voz na Rádio Globo

Por Rodney Brocanelli

Nesta segunda (07) o Grupo Globo anunciou que Renata Silveira será a primeira mulher a narrar eventos esportivos nos canais da emissora (para quem ainda não sabe TV Globo, Sportv e Premiere). Uma esperada quebra de paradigma. Canais concorrentes, sejam na tv fechada (Fox Sports e ESPN) e aberta (SBT -acredite – e Bandeirantes) já tiveram ou tem no momento profissionais do sexo feminino soltando a voz nas narrações.

A trajetória de Renata Silveira começou no rádio. Ela se inscreveu em um concurso da Rádio Globo chamado Garota da Voz que buscava encontrar um talento feminino para narrar um jogo da Copa do Mundo de 2014. Ela concorreu com outras 77 mulheres e foi conquistando etapas até chegar entre as três finalistas. O teste final foi a narração da partida do Flamengo e a escolha se deu pela combinação do voto popular e dos então integrantes da equipe esportiva da emissora.

No Mundial, Renata foi escalada para transmitir a partida entre Uruguai x Costa Rica. Como registramos aqui no Radioamantes (veja aqui), a estreia não poderia ter acontecido em uma melhor ocasião. Primeiro porque foi um jogo de muitos gols. Depois, pelo fator surpresa: o placar final foi favorável aos costarriquenhos: 3 a 1 para cima da Celeste Olímpica. Um resultado que poucos esperavam.

Ainda nesta competição, ela foi escalada para outro jogo: Croácia 1 x 3 México. Entretanto, sua experiência na Rádio Globo ficou apenas nisso. Renata passou a narrar pela web rádio Ultra. Quatro anos depois, ela voltaria a se inscrever em um concurso de talentos, desta vez no Fox Sports, que buscava narradoras para uma cobertura alternativa da Copa do Mundo da Rússia em seu segundo canal.

Uma vez aprovada, ela permaneceu na Fox Sports. Mesmo depois da compra dos canais 1 e 2 pela Disney, ela foi aproveitada até pela ESPN Brasil na transmissão das partidas do campeonato brasileiro feminino de futebol. No último domingo (06) ela comandou a cobertura de Corinthians 4 x 2 Avaí Kindermann, partida válida pela grande final.

Ouça abaixo a narração de Renata Silveira para Uruguai 1 x 3 Costa Rica.

 

 

Morre Romeu Cesar

Por Rodney Brocanelli

Morreu na madrugada desta terça (11) o radialista Romeu César, vítima do Covid-19, mais conhecido como Coronavírus. Ele estava internado na Santa Casa de Valinhos havia 20 dias. Romeu se internou juntamente com a esposa, que também estava com os sintomas dessa doença. No entanto, a situação dele foi se agravando com o passar do tempo, chegando a ser entubado. Seu corpo foi cremado em uma cerimônia realizada na manhã de hoje na cidade de Piracicaba.  Ele tinha 59 anos.

Romeu César começou sua carreira na cidade de Franca, onde nasceu, trabalhando na Rádio Difusora. Foi para Campinas, onde trabalhou na Rádio Brasil. Em seguida, transferiu-se para a Rádio Globo, atuando por cerca de 20 anos  como repórter nas jornadas esportivas da equipe comandada por Osmar Santos. Deixou a emissora em 2007 e voltou para sua terra natal, trabalhando como representante comercial e assessor político.

Enquanto mais e mais pessoas morrem devido à esta nefasta doença, certas autoridades insistem em minimizar seu impacto.

Ouça Romeu César em ação, pela Rádio Globo.

 

 

Morre Xênia Bier

Por Rodney Brocanelli

Morreu nesta segunda (24) a apresentador Xênia Bier. A causa da sua morte não foi divulgada pela família, mas sabe-se que ela estava internada em um hospital havia 15 dias e ela sofria do Mal de Alzheimer. Tinha 85 anos. Seu corpo será cremado em uma cerimônia íntima no crematório da Vila Alpina, conforme informação divulgada pelo colunista Fefito, do UOL.

Xênia fez carreira na televisão, comandando programas na TV Cultura (ainda de propriedade dos Diários Associados). Depois, se transferiu para a TV Bandeirantes, onde apresentou na década de 1970 o “Xênia e Você”, grande sucesso da faixa diurna da emissora, que já contava com o Revista Feminina, que teve Maria Teresa Gregori à frente.

Com a reformulação promovida por Walter Clark, no começo dos anos 1980, Xênia deixou a Bandeirantes. Teve passagens pela Rede Globo, dentro do programa TV Mulher. No final dessa mesma década, esteve na Rede Manchete. Anos depois, teve uma curta e marcante passagem pela TV Gazeta, onde teve um quadro no programa Mulheres.

Em dois períodos curtos, Xênia apresentou seu programa nas rádios Globo e Capital.

Nos últimos anos, dedicou-se à imprensa escrita, assinando colunas em revistas da Editora Abril.

Não temos registros de Xênia atuando em rádio. Relembre uma de suas participações em televisão.

Rádio Globo deixa a praça de São Paulo sem surpresas

Por Rodney Brocanelli

Não houve qualquer surpresa na despedida definitiva da Rádio Globo em São Paulo. Tal como ocorreu durante o desligamento dos transmissores dos 1100Khz em fevereiro deste anos (clique aqui para ver). Não houve qualquer tipo de agradecimento ou anúncio oficial na virada do domingo para a segunda. A transmissão foi simplesmente interrompida durante a música que estava no ar. A Rádio Globo vinha ocupando a frequência dos 94,1Mhz.

No lugar da Globo, entrou uma programação musical, tal como já acontecerá logo após o término das transmissões da saudosa Bradesco Esportes FM, que até março de 2017  ocupava a mesma frequência. Não se sabe qual será seu destino e mesmo se ela terá algum destino imediato na atual conjuntura nacional. Vale destacar que os 94,1Mhz são administrados pelos herdeiros de José de Abreu, irmão de Paulo Abreu, conhecido nome da radiodifusão da Grande São Paulo.

Resta apenas lamentar que a atual direção da Rádio Globo não tenha desenvolvido um projeto de rádio específico para São Paulo, praça que deu a liderança absoluta no ranking de audiência do AM por muitos anos, especialmente em grande parte da década de 1980. A matriz carioca seguirá no ar, com uma programação direcionada para os jovens daquela região.

Para encerrar: foi muito comovente acompanhar a preocupação de Cosme Rímoli, colunista/blogueiro do Portal R7 com o fim da Rádio Globo. Em seu espaço, o jornalista dedicou dois textos ao tema (leia aqui e aqui).  Ele poderia informar também se o conglomerado onde ele trabalha tem algum projeto para a Rádio Record AM, de São Paulo, que opera em 1000Khz?

Ouça abaixo os últimos instantes da Rádio Globo

radiogloboantiga

Atenção: não confundam a Rádio Nacional (SP) com a Rádio Globo (SP)

Por Rodney Brocanelli

Com a recente notícia de que a Rádio Globo vai abandonar São Paulo, muita gente boa tem feito uma enorme confusão envolvendo a história da Rádio Nacional, de São Paulo, com a Rádio Globo, de São Paulo. De certa forma, isso é normal porque uma é sucessora da outra na hoje extinta frequência dos 1100Khz. Eu fiz uma thread no Twitter (chique, não) para procurar esclarecer essas diferenças (clique aqui). Trago essas informações aqui para o Radioamantes para obter maior alcance.

*

Bom, tem muita gente confundindo a história da Rádio Globo (SP) com a história da Rádio Nacional (SP), que a antecedeu…li uma manchete ontem que me deixou de queixo caído.

*

A Rádio Nacional (SP), era uma emissora das Organizações Victor Costa, que também era dona da antiga TV Paulista, canal 5. Em 1965, essas emissoras, mais a Rádio Excelsior, foram vendidas para Roberto Marinho/Globo.

*

Mesmo depois da venda, o nome Nacional foi mantido pelo novo dono, sabe-se lá o porquê. Isso durou até 1977 quando o governo da época pediu para que houvesse uma troca de nome. Isso devido ao fato de que já existia a Rádio Nacional, do Rio de Janeiro.

*

Aquela mesma Rádio Nacional, de tanta tradição e história, que já foi uma maiores rádios do país, na época em que o veículo era forte. Aliás, muita gente também confunde as rádios Nacional do Rio e de São Paulo. Elas não tem nada a ver uma com a outra.

*

Em 1977, a Nacional, de São Paulo, adotou o nome Globo-Nacional. Naquela transmissão de Corinthians x Ponte Preta, decisão do Paulista, o Osmar Santos fala muito nele. Veja abaixo.

*

Acho que no ano seguinte, é que ficou apenas o nome Globo. Tudo isso que eu contei até aqui se refere aos 1100Khz, de São Paulo.

*

Vale destacar que o Silvio Santos, de fato, foi comunicador da Rádio Nacional, mesmo depois da venda ao Roberto Marinho, conciliando com o programa na incipiente Globo. Mas o comunicador saiu em 1976, antes do começo da transição Nacional-Globo.

*

Até faria sentido fazer essa relação, quando a Globo decidiu abrir mão dos 1100Khz. Essa frequência, sim, digamos, revelou Silvio Santos, ainda como Nacional, mas não a Rádio Globo.

radiogloboantiga

Rádio Globo abandona São Paulo

Por Rodney Brocanelli

A Rádio Globo vai deixar o dial de São Paulo. Atualmente, sua programação é veiculada nos 94,1Mhz, uma frequência arrendada. Em comunicado interno divulgado na manhã de hoje, o qual o Radiomantes também teve acesso, a emissora informa que vai encerrar a operação paulistana no próximo dia 31 de maio, fechando assim o ciclo de desmobilização do projeto de rede para todo o Brasil.

Segundo o comunicado, a partir de 1º de junho, “a Rádio Globo passa a reproduzir totalmente o comportamento dos jovens do Rio na frequência 98,1 FM”. Essa medida se deve ao que se considera “crescimento expressivo de audiência não só na capital, como na Baixada Fluminense e na região Metropolitana”.

“Para seguir avançando, a Rádio Globo entende que é fundamental fortalecer a sua grade local e apoiar a vibração da cultura carioca para a evolução do atual modelo de negócios”, diz outro trecho do comunicado.

O futebol seguirá presente na Rádio Globo, do Rio de Janeiro. Não se sabe ainda qual será o destino da equipe de São Paulo, comandada por Oscar Ulisses.

Dessa forma, a marca Globo deixa o rádio de São Paulo após aproximadamente 43 anos. Ela começou a ser usada, em 1977, em um processo gradativo de substituição do nome Nacional, que operava nos 1100Khz. A partir de 1979, ficou apenas com o nome Globo. Ela alcançou a liderança no AM na Grande São Paulo nos anos 1980, com comunicadores do porte de Eli Corrêa, Altieris Barbieiro, Franco Carlos, entre outros. A equipe esportiva era comandada por Osmar Santos.

Após algumas mudanças de percurso no início do século XXI, a Globo partiu para um lance mais arrojado quando arrendou o canal dos 94,1Mhz, na Grande São Paulo, de propriedade de parte da família Abreu. A nova programação, com foco no entretenimento e no jornalismo, em detrimento do segmento popular, foi lançada em 2017.

Dois anos depois, uma nova reformulação, com a grade de programação passando a ser apenas musical, com a permanência das transmissões esportivas.

Não se sabe também qual será o futuro dos 94,1Mhz, que já abrigou o projeto da Bradesco Esportes FM, tocado pelo Grupo Bandeirantes, e da Oi FM.

 

rádio globo

Sem agradecimento ou despedida, Rádio Globo deixa melancolicamente o AM em São Paulo

Por Rodney Brocanelli

No começo da madrugada desta segunda (10), aconteceu o desligamento do transmissor de AM da Rádio Globo. Desde então, a tradicional frequência dos 1100Khz está fora do ar. Conforme amplamente divulgado por sites que cobrem o rádio, o Grupo Globo solicitou ao Ministério das Comunicações a revogação da outorga que permitia a veiculação da programação da Globo na faixa de Amplitude Modulada.  Tal solicitação aconteceu também com os 780Khz, canal do mesmo grupo por onde era transmitida a programação da CBN.

No player abaixo, é possível ouvir os últimos instantes na Globo no AM. Chama a atenção o fato de que não houve nenhuma despedida oficial, nenhuma retrospectiva e qualquer tipo de agradecimento. Um fim triste para uma frequência histórica. Antes da Globo, os 1100Khz abrigaram a programação da antiga Rádio Nacional que, apesar do nome,  não tinha nada a ver com o governo. Ela foi inaugurada em 1952 e pertencia às Organizações Victor Costa.

Em 1965, os veículos de comunicação que pertenciam à Victor Costa foram adquiridos por Roberto Marinho, entre eles a TV Paulista. Ela viraria a TV Globo, de São Paulo. A Rádio Nacional permaneceu com este nome até 1977, quando o Governo Federal exigiu a mudança.  Após um período de transição e ajustes na programação, a Globo conquistou a liderança de audiência no AM em meados dos anos 1980.

Com a constante depreciação da faixa do AM, a Rádio Globo buscou incessantemente uma canal de  FM para transmitir sua programação. Em 2017, após um acordo com a Rede Mundial de Comunicações, a programação passou a ser transmitida em 94,1Mhz. Para isso, houve uma reformulação total na grade, abandonando o segmento popular e apostando numa mistura de talk and news. Entretanto, essa reformulação não deu resultados e agora a Globo passou a ser musical, com algumas pitadas de futebol.

Ouça abaixo o triste fim da Rádio Globo no AM em São Paulo. Agradecimentos ao site Rádio Arquivo pelo registro.

rádio globo

Memória: ouça Jorge Curi narrando gols do Palmeiras

Por Rodney Brocanelli

No dia 23 de dezembro de 1985, o rádio esportivo perdia Jorge Curi, vítima de um acidente de automóvel, aos 64 anos. Ele estava a caminho de Caxambu (MG), sua cidade natal, após participar da confraternização da equipe esportiva da Super Rádio Tupi. Curi teve uma carreira bastante longeva no rádio, veículo pelo qual atuou desde os anos 1940. Apresentou programas de auditório, entre eles, o mais célebre, A Hora do Pato, um show de calouros da  época. Como narrador, esteve presente em nove edições de copas do mundo.

Vamos relembrar do trabalho de Jorge Curi como narrador esportivo de uma forma diferente, desta vez. Ele fez toda sua carreira na cidade do Rio de Janeiro, transmitindo os grandes feitos dos clubes locais. Entretanto, destacaremos aqui alguns registros de gol deixados por Curi de uma equipe de São Paulo: o Palmeiras. Curioso notar que, havia espaço para ele, um dos principais narradores cariocas, transmitir clássicos regionais de outras localidades na Rádio Nacional.

A lista de gols (ouça no player abaixo) começa com um marcado por Ademir da Guia no dia 04 de novembro de 1964, em um clássico entre Santos e Palmeiras, cujo placar terminou em 3 a 3. Em seguida, um gol do Verdão em uma vitória sobre o São Paulo por 3 a 0, em jogo disputado no dia 19 de maio de 1965. Depois, um tento de Artime, atacante argentino em um triunfo sobre o Vasco por 2 a 1. Todos esses foram narrados por Curi na Rádio Nacional.

Para encerrar, um histórico gol de Jorge Mendonça naquele que seria o “jogão do ano” de 1979, no qual o Palmeiras bateu o Flamengo em pleno Maracanã pelo placar de 4 a 1.

Aliás, Curi era flamenguista assumido, mas o fato de todos soubessem o time pelo qual torcia nunca lhe rendeu problemas do ponto de vista profissional. Ele era reconhecido por narrar os gols dos adversários com a mesma empolgação.

Jorge Curi Palmeiras

Globo/CBN e Super Rádio Tupi (RJ) vão transmitir o Mundial de Clubes 2019

Por Rodney Brocanelli

Globo/CBN e Super Rádio Tupi serão as emissoras do Rio de Janeiro que transmitirão os jogos do Mundial de Clubes da Fifa, que está em disputa no Catar. O interesse é justificável pela participação do Flamengo, atual campeão da Copa Libertadores  (saiba mais sobre a competição clicando aqui).

Até a última sexta (14), a participação da Super Rádio Tupi estava indefinida. Era o prazo final estipulado pelo detentor dos direitos em território brasileiro para o pagamento do valor de US$ 55 mil. Adivinhem só quem tem os direitos de transmissão deste torneio? O Grupo Globo, que um dia já foi um grande adversário da Tupi no rádio do Rio de Janeiro (informações do Mídia de Verdade, clique aqui).

No entanto, já nos acréscimos da segunda etapa, tal como o Flamengo na final da Libertadores contra o River Plate, a Super Rádio Tupi virou o jogo (leia aqui), conseguindo levantar a quantia necessária para fechar o acordo para a compra dos direitos com a Globo (Nota do Redator: não sei dizer se foi assim mesmo, mas não resisti à tentação de fazer essa relação no texto).

Voltando a falar sério, em se confirmando valor divulgado pelo Mídia de Verdade, nota-se que houve um aumento do valor cobrado para a transmissão. Em 2017, por ocasião da participação do Grêmio no Mundial de Clubes, o blogueiro gaúcho José Luiz Previdi publicou uma lista de custos para uma cobertura como essa. Os direitos estavam estipulados em US$ 20 mil (veja mais aqui e role a tela para baixo).

As rádios cariocas não deverão fazer grandes investimentos para a cobertura desta edição. A Globo/CBN enviou apenas o repórter Renan Moura ao Catar. A narração dos jogos, a cargo de Luiz Penido,  deverá ser feita dos estúdios. Mesmo caso da Tupi, que não deverá enviar profissionais para a cobertura in loco e deverá basear todo seu marketing no carisma do trio José Carlos Araújo, Washington Rodrigues e Gilson Ricardo, que já chamou bastante a atenção nas redes sociais, por ocasião da final da Libertadores (veja aqui).

Globo e Tupi

 

 

Rádio Globo demite profissionais do departamento de esporte

Por Rodney Brocanelli

O site Audência Carioca divulgou nesta quinta (12) a dispensa de três profissionais da área do esporte da Rádio Globo (veja aqui). Um deles, o ex-jogador Dé Aranha, fica  apenas até o final do ano. Outros dois, já deixaram a emissora: Guilherme Fernandes, do Zona Mista (RJ), e o apresentador  Maurício Bastos.

Em entrevista ao Lance!, Dé afirmou que saiu da emissora por opção. “Até que esse ano eu não estava mais feliz. Eu cheguei na direção da rádio, expus meu ponto. E cobrei o que foi combinado com a direção anterior que eu estaria de saída”, disse. (leia mais aqui).

Sobre Maurício Bastosvale destacar que até junho deste ano, ele apresentava o  Futebol à Manivela,  que era dedicado ao resgate da memória do futebol com o auxílio do vasto arquivo de áudio da emissora.

A atração era uma (senão a única) das que mais repercutia da antiga programação que contava com nomes da TV Globo. Tinha um excelente retorno de público e de crítica. O programa foi finalista do prêmio de rádio da APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) no ano de 2017. Sem demérito dos outros nomes, sua saída mostra que, lamentavelmente,  a planilha de custos não leva em consideração o retorno artístico.

rádio globo nova

Memória: um registro da estreia de Oscar Ulisses na Rádio Bandeirantes, em 1979

Por Rodney Brocanelli

Nesta semana, fez bastante sucesso no perfil do blog Radioamantes no Twitter a reprodução de um anúncio publicado em O Estado de S. Paulo referente a estreia de um então jovem narrador Oscar Ulisses na Rádio Bandeirantes, em 29 de setembro 1979 (clique aqui para ver).

O texto diz “Oscar Ulisses é mais uma grande contratação da Rádio Bandeirantes. Com este novo craque o escrete da vitória fica mais forte ainda. Imbatível como sempre foi nos últimos 25 anos. Ganhando todos os índices de audiência. Porque informa melhor, tem tradição, se renova, conta a história do futebol brasileiro. E conquista a Torcida Amiga vibrando com as grandes vitórias que fazem alegria do povo. Vibre hoje com Oscar Ulisses”.

Além de Oscar, foram escalados para aquela transmissão, o comentarista Luis Augusto Maltoni e os repórteres João Zanforlin e Eduardo Luis. Nas ocorrências (o famoso “outro lado do jogo), Pedro Luis. Desconfia-se que seja o Pedro Luiz Ronco, hoje uma celebridade da Band FM. No QG dos Esportes estava Ruy de Moura, além da participação de Walter Fonseca.

No dia marcado,  Oscar narrou a vitória do Corinthians sobre o Botafogo-RP pelo placar de 2 a 0. A partida era válida pelo campeonato paulista de futebol, que foi conquistado pelo mesmo timão. Geraldão fez os dois gols da vitória corinthiana, enquanto que Paulo Cesar fez os gol da equipe visitante. Segundo os jornais da época, estavam presentes 14.238 pagantes e 1569 menores (que na época não pagavam ingresso)..

Voltando à postagem no Twitter, alguns internautas demonstraram curiosidade para ouvir essa narração de Oscar. Pelo menos um registro foi encontrado na Internet. Pouco depois que o Corinthians faturou o Paulistão de 1979, a Rádio Bandeirantes lançou em parceria com a gravadora K-tel (saiba mais sobre ela aqui – a locução é de Fernando Solera) um disco com o registro dos gols mais importantes daquela campanha (ouça aqui). Nele, foi incluído a narração de Oscar para o segundo gol marcado pelo artilheiro Geraldão (ouça abaixo).

Oscar ficou na Bandeirantes até 1986, quando se transferiu para a Rádio Globo e nela está firme e forte até hoje.

250498_4716052381307_2071760899_n

 

Cantor Fabio diz que ainda espera por um acordo com a Rádio Globo

Por Rodney Brocanelli

O cantor Fabio, responsável por uma série de  vinhetas mais marcantes do rádio brasileiro, ainda espera por um acerto financeiro com a Rádio Globo. “Mas eu gostaria de fazer um acordo, até porque daqui a pouco “vou embora” desse planeta e não vejo essa grana”, disse ele em entrevista ao portal Eurio (clique aqui para ler) para divulgar um show para comemorar os 50 anos de uma de suas canções de maior sucesso: “Stella”.

Assim que a música se tornou popular, Fabio foi convidado pelo diretor Mario Luiz para uma troca: o cantor gravaria vinhetas para a emissora em troca da execução de “Stella” na programação.  O motivo? A música estava estourada na Rádio Tamoio, e ninguém da Globo queria dar o braço a torcer para veicular algo que estava em alta rotação em uma concorrente.

Fabio topou e gravou a vinheta dizendo Rádio Globo com o efeito sonoro que marcou “Stella”. De quebra, ele vez outras vinhetas com os nomes dos grandes clubes de futebol nacionais, que foram usadas durante anos na programação (ouça abaixo um exemplo). O cantor não cobrou nada por isso.

Na entrevista ao Eurio, Fabio contou o motivo pelo qual mudou de ideia e passou buscar seus direitos: “Uma vez eu encontrei o Waldir Amaral no Clube Caiçara. Ele já tinha tomado uns uísques e soltou um ‘Graças à você, estou milionário”. Eu fiquei pensativo com isso, pois não estava muito legal de grana. Ou seja, ajudei diversas pessoas da Rádio Globo a ganharem dinheiro. O justo é eu ser recompensado por isso”, afirmou.

Em 2009, ele procurou a emissora que fez uma proposta financeira: R$ 150 mil. “Eu fui para a Bahia e disse que pensaria a respeito. Minha advogada me deixou à vontade para decidir, mas nem dei continuidade. Pouco tempo depois. a direção trocou. Liguei pra lá e me ofereceram um valor menor, R$ 25 mil”, disse.

Mesmo acionando a emissora na Justiça, Fabio não deixa de demonstrar um grande carinho por ela: “Eu amo a história da Rádio Globo, mas espero que reconheçam o que eu fiz por ela. Você vê que mudaram a vinheta diversas vezes, mas não colou. Aliás, olha como a emissora está”. Segundo o cantor, o processo atualmente está no STF.

Ouça Stella:

Fabio

 

Osmar Santos, 70

Por Rodney Brocanelli

Osmar Santos comemora 70 anos  neste 28 de julho. Ele é um dos grandes nomes do rádio esportivo em todos os tempos. Vamos relembrar alguns de seus momentos mais marcantes no rádio e na televisão.

A seguir, um especial em duas partes produzido e apresentado por André York, então na Rádio Banda B, de Curitiba.

Abaixo, Osmar saúda a volta de José Carlos Araújo à Rádio Globo, do Rio, no final de 1984.

A imagem não está boa, mas o que importa é o som. Osmar Santos narrando pela TV Globo um gol do Brasil no torneio olímpico de futebol em Los Angeles, também em 1984.

Osmar Santos já narrou Fórmula 1 pela Rádio Globo. Ouça um trecho da transmissão do GP da Argentina de 1978.

Em São Paulo, Osmar Santos começou a escrever seu nome na história do rádio esportivo na Jovem Pan. Abaixo, o registro da primeiro jogo da grande final do Paulistão de 1974, reunindo Palmeiras e Corinthians. O primeiro jogo, no Pacaembu terminou empatado em 1 a 1.

Poucos dias depois, o Palmeiras iria surpreender e bater o favorito Corinthians no Morumbi. Osmar transmitiu as emoções dessa partida também pela Pan.

Uma das maiores homenagens recentes a Osmar Santos é a bola Gorduchinha. A intenção era que ela fosse a bola da Copa aqui no Brasil. No entanto, a empresa de material esportivo oficial preferiu utilizar uma outra opção. Mesmo assim, o sonho virou realidade, graças a uma grande fabricante de material esportivo aqui do Brasil. Ao Radioamantes no Ar, o pai da ideia, Delen Bueno, contou um pouco mais da história.

Em 1983, a Rádio Globo liderava a audiência nas transmissões de futebol com a equipe esportiva comandada por Osmar Santos. A segunda colocada da ocasião, a Rádio Bandeirantes, tentava de todas as formas recuperar o terreno perdido. E o sistema de auto falantes do estádio do Morumbi à época foi usado como parte dessa estratégia. Em dias de jogos, sempre quando o serviço iria divulgar alguma informação relevante para os espectadores, uma vinheta era executada antes: uma variação do logotom do Escrete do Rádio. Aquilo procurava funcionar como uma mensagem subliminar para fazer com que o ouvinte se lembrasse da Bandeirantes e mudasse de estação. Isso irritava Osmar, que sempre dava um jeito de alfinetar a estratégia do concorrente. Isto aconteceu na final do campeonato paulista de 1983, disputada por Corinthians x São Paulo.

No último dia 12 de julho de 2017, pouco antes da partida entre Palmeiras x Corinthians, válida pelo campeonato brasileiro de futebol, foi inaugurado oficialmente as novas instalações para a imprensa no Allianz Parque. O nome oficial será Centro de Imprensa Osmar Santos, uma homenagem mais do que justa a um dos grandes nomes da imprensa esportiva. Osmar ganhou uma camiseta do Palmeiras personalizada e uma placa. Depois, ele descerrou uma outra placa que encerrou a solenidade

osmarsantos

Fernando Ceylão estreia na SulAmérica Paradiso no próximo dia 8 de agosto

Por Rodney Brocanelli

Afastado da Rádio Globo antes do fim de seu programa Café das Seis (RJ) e demitido da emissora com a mudança para um perfil mais musical, Fernando Ceylão não ficará muito tempo longe do microfone. Ele será um dos apresentadores da nova fase do Hora do Blush, que vai estrear na Rádio SulAmérica Paradiso (95,7Mhz) no próximo dia 8 de agosto, a partir das 17h.

Além de Ceylão, a atração terá o comando de Carol Barreto. A profissional atuava como repórter aérea do Café das Seis. Renato Cantharino, produtor do programa da Globo, também estará nesse projeto.

Ceylão virou notícia nos últimos dias por ser afastado do comando da edição carioca do Café das Seis, da Rádio Globo. Ele fez um comentário (ouça abaixo), que foi mal recebido pela direção, pedindo aos orfãos do programa para que mandassem mensagens para outras emissoras, a fim de contratá-lo. Pelo jeito, a solicitação feita no ar deu muito certo.

Roberto Canázio é outro ex-Globo que se transferiu para a SulAmérica Paradiso. O apresentador comanda o Manhã Paradiso.

Fernando Ceylão