A origem (origem?) do Dia do Cronista Esportivo

Por Rodney Brocanelli

Dia 8 de dezembro é comemorado o Dia do Cronista Esportivo. Durante o programa Esperando o Futebol, da Rádio Guaíba, o apresentador Cristiano Silva recorreu a um texto de José Roberto Torero, publicado em 8 de dezembro de 1998 (clique aqui pra ler), contando a história (provavelmente fictícia) de Aulus Lépidus jornalista do Acta Diurna, considerado o primeiro jornal da história, colado nas paredes da Roma antiga. Lépidus, segundo o texto de Torero, teria introduzido a seção de Esportes no periódico, escrevendo sobre a tardes no Coliseu em que os cristãos primitivos eram devorados por leões. O jornalista (?) teve problemas quando ele se envolveu com uma mulher que era esposa de quem alimentava os leões e acabou sendo devorado por um deles. Com sua morte, teria começado a ser comemorado o Dia do Cronista Esportivo. Dia 8 de dezembro é comemorado o Dia do Cronista Esportivo.  O narrador Luís Magno ouviu atentamente o relato do colega.

Guilherme Baumhardt será o novo apresentador do Bom Dia, da Rádio Guaíba

Por Rodney Brocanelli

Guilherme Baumhardt será o novo apresentador do programa Bom Dia, da Rádio Guaíba. Sua estreia deverá ocorrer no dia 16 de dezembro, segundo informação do site Coletiva.net. Com isso, a emissora vai repor com um nome de fora a perda de Rogério Mendelski, antigo titular do programa, que se transferiu para a Rádio Bandeirantes, de Porto Alegre. Baumhardt, por sua vez, estava na Band RS, onde comandava programas na Bandeirantes e na Band News. Voltarie Porto, seguirá na equipe do programa Bom Dia, além dos comentaristas Jurandir Santos e José Aldo Pinheiro. A atração é levada ao ar, de segunda a sexta, entre 05h30 e 9h.

A  informação sobre a contratação de Guilherme Baumhardt pela Guaíba já havia sido antecipada pelo jornalista Felipe Vieira em seu site (veja aqui) no mesmo dia da saída de Mendelski.

Guaíba

 

Porto Alegre: Rogério Mendelski deixa a Guaíba e vai para a Bandeirantes

Por Rodney Brocanelli, com a colaboração de Edu Cesar, do Papo de Bola

Rogério Mendelski não é mais apresentador da Rádio Guaíba, de Porto Alegre, emissora em que estava desde o ano de 2007 comandando o programa Bom Dia. Ele se despediu dos ouvintes da emissora, não de forma aberta, com um tradicional discurso, seja ele de agradecimento ou não. Seus últimos momentos na emissora foram embalados com a canção Auld Lang Syne, interpretada pela conhecida voz de Rod Stewart. A melodia é bastante popular aqui no Brasil como a Valsa do Adeus (Adeus amor/Eu vou partir/
Ouço ao longe um clarim…).

Mendelski pediu que a canção fosse tocada durante o comentário esportivo de José Aldo Pinheiro, próximo ao encerramento do programa. O narrador aproveitou para falar dos eventos de confraternizações de final de ano dos quais participou e anunciou que entraria de férias. O comandante do Bom Dia fez uma breve explicação sobre a música, anunciou o boletim de notícias e deu o seu tradicional “bom dia”.

Não tardou para que o futuro de Rogério Mendelski no rádio de Porto Alegre fosse definido. A partir do dia 30 de dezembro, ele irá estrear na Rádio Bandeirantes, de Porto Alegre, apresentando a versão local do Primeira Hora, das 06h as 08h. Segundo o jornalista Felipe Vieira, havia a opção de que a estreia fosse em 02 de janeiro de 2020, mas Mendelski preferiu antecipa-la para a última segunda-feira do ano. Além do programa, ele terá também uma coluna na edição local do jornal Metro, que é distribuído gratuitamente.

O anúncio oficial da estreia de Mendelski na Rádio Bandeirantes foi feito dentro do programa esportivo Toque de Bola. Leonardo Meneguetti, diretor geral da Band RS, disse que o apresentador quase contratado pela Rádio Bandeirantes em 1995, que é quando começa a sua retomada local no comando do Bira Valdez. Além disso, ele disse que virão mais novidades na Bandeirantes nos próximos dias.

A contratação de Rogério Mendelski pode significar um ponto de virada para o Grupo Bandeirantes, de Porto Alegre, que passou por um processo de encolhimento nos últimos anos. A Rádio Bandeirantes não passou incólume por esse processo e perdeu diversos profissionais nos últimos meses. Leonardo Meneguetti, que até bem pouco tempo, dirigia a Band Paulista, unidade que reunia as emissoras de São José do Rio Preto e Presidente Prudente, foi chamado de volta para novamente tomar conta da filial rio-grandense.

No entanto, esse processo de retomada passa ainda prática muito comum do grupo neste e em outros momentos: com a chegada de profissionais egressos de outras emissoras ou pelo fato de serem demitidos ou por falta de ambiente (casos de Haroldo de Souza, Luiz Carlos Reche, Marco Antonio Pereira, entre outros, por exemplo).

Por sua vez, a Guaíba está se mexendo para repor a perda de um nome importante de seu horário nobre. Felipe Vieira divulgou em seu site a informação de que Guilherme Baumhardt poderá ser o substituto de Rogério Mendelski.

Mendelski deixa a Guaíba poucos dias depois de um incidente que o colocou no radar nacional. Ele fez comentários depreciativos a respeito do corte de cabelo de Marielle Franco, vereadora do PSOL pelo Rio de Janeiro, assassinada em assassinada em março de 2018. Ao ler mensagens a respeito do caso na edição do Bom Dia de 07 de novembro, ele disse “agora virou até moda o cabelo da Marielle. O que eu tenho visto de pessoas com o cabelo, aquele cabelo horroroso, feio, um coque na cabeça…”. No entanto, logo em seguida, há um silêncio no ar que é interrompido por ele mesmo: “Onyx?”. Provavelmente, uma pergunta a alguém da produção que sinalizava sobre alguma entrevista ou sonora. A manifestação do apresentador foi criticada via redes sociais por quem ouviu na hora ou quem tomou conhecimento posterior. Houve protestos na porta da sede da Rádio Guaíba, no dia seguinte.

A direção da Rádio Guaíba divulgou uma nota no mesmo dia: “Esclarecimento. Sobre o comentário do apresentador Rogério Mendelski hoje pela manhã no programa Bom Dia, quando fez considerações sobre a vereadora Marielle Franco, esclarecemos que repudiamos todo e qualquer tipo de comentário de conteúdo preconceituoso. Pedimos desculpas à família de Marielle e a toda a comunidade atingida pelo fato. Nos seus princípios, que estão expostos no site oficial da emissora, a Guaíba deixa bem claro isto aos seus ouvintes e colaboradores. A Rádio Guaíba repudia toda e qualquer forma de preconceito e discriminação. A Rádio Guaíba preza a pluralidade de ideias entre seus comentaristas e apresentadores, mas não aceita de forma alguma manifestações de conteúdo racista, homofóbico de xenofobia ou qualquer outra forma de discriminação. A opinião dos comentaristas e apresentadores não representa a opinião da empresa. Esta será apresentada em editoriais quando necessário”.

O apresentador deu sua versão do caso na edição seguinte do Bom Dia: “Eu não pude terminar o meu raciocínio que era um comentário rigorosamente estético, como eu costumo fazer sempre aqui. Eu faço brincadeiras aqui com roupas, desfiles de moda…”, disse. “Sempre que posso e surge uma oportunidade, eu faço elogios a mulheres que tem cabelos crespos: afros, louras, morenas, ruivas, etc.”, prosseguiu, citando os nomes de Leilane Neubarth, apresentadora da Globo News, e Maju Coutinho, apresentadora do Jornal Hoje, da Rede Globo e da atriz Meg Ryan. “Esteticamente, na minha opinião, coque fica horroroso em qualquer mulher”, completou.

Ouça abaixo a despedida subliminar de Rogério Mendelski da Rádio Guaíba.

Ouça abaixo o anúncio oficial da contratação de Mendelski pela Rádio Bandeirantes, de Porto Alegre.

Mendelski

Rogério Mendelski diz que seu comentário sobre cabelo foi “rigorosamente estético”

Por Rodney Brocanelli

Rogério Mendelski falou nesta sexta (08), dentro do programa Bom Dia, da Rádio Guaíba, a respeito de seu comentário feito na edição da manhã anterior sobre o cabelo de Marielle Franco, vereadora do PSOL (RJ) assassinada em março de 2018 (saiba mais aqui).

Ele iniciou repetindo as mesmas explicações que concedeu ao site Coletiva.net no dia de ontem: seu comentário fora interrompido devido ao aviso que recebera da produção acerca de uma entrevista com Onyx Lorenzoni, atual ministro da casa civil. “Eu não pude terminar o meu raciocínio que era um comentário rigorosamente estético, como eu costumo fazer sempre aqui. Eu faço brincadeiras aqui com roupas, desfiles de moda…”, disse.

Na sequência, Mendelski passou a ler uma nota encaminhada a Ariel Freitas, do Portal Independente Notícia Preta. Nela, o apresentador, em resumo, disse que gosta de cabelos crespos e soltos e não de coques, que seria o objeto de sua crítica. “Pra mim, a Marielle ficava muito mais bonita de cabelos soltos”.

“Sempre que posso e surge uma oportunidade, eu faço elogios a mulheres que tem cabelos crespos: afros, louras, morenas, ruivas, etc.”, prosseguiu, citando os nomes de Leilane Neubarth, apresentadora da Globo News, e Maju Coutinho, apresentadora do Jornal Hoje, da Rede Globo e da atriz Meg Ryan. “Esteticamente, na minha opinião, coque fica horroroso em qualquer mulher”, completou.

Mendelski fez críticas ao PSOL. “O PSOL vai querer pautar a minha preferência por cabelos femininos? Era só o que faltava(…) e tirar ilações subjetivas. O PSOL me dá licença de não gostar disso aí (coque) e preferir cabelos crespos e soltos?”

Sobre o caso Marielle Franco, ele diz que cobra todos os dias também no jornal Correio do Povo a identidade dos autores dos assassinatos dela e de seu motorista. “É isso que nos queremos saber. Nos queremos saber isso aí”.

Nesse trecho do programa em que se manifestou sobre o comentário do dia anterior, Mendelski não fez qualquer referência à nota oficial divulgada por Nando Gross, gerente geral da Rádio Guaíba pedindo desculpas à família de Marielle e a toda a comunidade atingida pelo fato.

Houve um protesto na porta da sede da Rádio Guaiba na manhã de hoje devido as declarações de Mendelski (saiba mais aqui).

Mendelski Guaíba

7 de novembro de 2019: um triste dia do radialista.

Por Rodney Brocanelli

Quem poderia imaginar que o dia 7 de novembro de 2019 se transformaria em um dia triste para o rádio? Logo hoje que é, de forma oficial,  o dia do radialista. Dois incidentes gravíssimos marcaram essa data.

O primeiro ocorreu na Rádio Guaíba, de Porto Alegre. Durante o programa Bom Dia, o apresentador Rogério Mendelski fez comentários depreciativos referentes ao penteado de Marielle Franco, vereadora do PSOL-RJ, assassinada em março de 2018. Mendelski estava lendo mensagens a respeito do caso e disse “agora virou até moda o cabelo da Marielle. O que eu tenho visto de pessoas com o cabelo, aquele cabelo horroroso, feio, um coque na cabeça…”. Logo em seguida, há um silêncio no ar que é interrompido por ele mesmo: “Onyx?”. Provavelmente, uma pergunta a alguém da produção que sinalizava sobre alguma entrevista ou sonora.

A manifestação infeliz do apresentador foi criticada via redes sociaispor quem ouviu na hora ou quem tomou conhecimento posterior. O “comentário” de Mendelski foi feito por volta das 06h30 da manhã, conforme o vídeo do programa transmitido no perfil da emissora do Facebook. Uma manifestação oficial aconteceu apenas próximo das 16h30, quando Nando Gross, gerente geral da Rádio Guaíba, divulgou uma nota via Twitter:

“Esclarecimento. Sobre o comentário do apresentador Rogério Mendelski hoje pela manhã no programa Bom Dia, quando fez considerações sobre a vereadora Marielle Franco, esclarecemos que repudiamos todo e qualquer tipo de comentário de conteúdo preconceituoso. Pedimos desculpas à família de Marielle e a toda a comunidade atingida pelo fato. Nos seus princípios, que estão expostos no site oficial da emissora, a Guaíba deixa bem claro isto aos seus ouvintes e colaboradores. A Rádio Guaíba repudia toda e qualquer forma de preconceito e discriminação. A Rádio Guaíba preza a pluralidade de ideias entre seus comentaristas e apresentadores, mas não aceita de forma alguma manifestações de conteúdo racista, homofóbico de xenofobia ou qualquer outra forma de discriminação. A opinião dos comentaristas e apresentadores não representa a opinião da empresa. Esta será apresentada em editoriais quando necessário”.

Apesar do pedido de desculpas e do reconhecimento de que o comentário teve cunho preconceituoso, a nota de Gross também sofreu críticas via redes sociais, uma vez que não há qualquer indicação de alguma medida administrativa em relação ao comportamento inadequado do apresentador.

ATUALIZAÇÃO (07/11 – 21h23) – O site Coletiva.net (saiba mais aqui) trouxe declarações de Rogério Mendelski sobre o caso: “Meu comentário foi interrompido por conta de uma entrevista que eu estava esperando com o Onyx [Lorenzoni]. Depois, o assunto não voltou mais”. A interrupção foi destacada neste blog logo no segundo parágrafo. Ele disse mais: “”Não gosto de coques. A Marielle, por exemplo, era muito mais bonita de cabelos soltos. É gosto pessoal. Não há qualquer tipo de conteúdo racista aí, não sei de onde tiraram isso. Eu não pude terminar o meu comentário, foi isso. Nós, da Guaíba, somos completamente contra preconceitos”. A grande questão é que coque é um tipo de penteado e em sua fala no programa ele citou literalmente a palavra cabelo.

Mas o dia não ficou apenas nisso.

Mais tarde, houve um episódio de agressão física durante o programa Pânico, da Rádio Jovem Pan. O entrevistado do dia era o jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept. Augusto Nunes, comentarista da emissora, fazia parte da bancada de entrevistadores. A temperatura começou a subir quando Gleen citou comentários feitos por Nunes a respeito de seus filhos. “Eu quero saber se você acredita que um juiz de menores deveria investigar nossa família com possibilidade de tirar nossos filhos de nossa casa, sem pai nem mãe, sem família nenhuma”. Glenn é casado com o jornalista e deputado federal David Miranda (PSOL-RJ) e ambos adotaram duas crianças.

Nunes reagiu: “Quem tem que se explicar é quem comete crimes, quem fica cobrando quem age honestamente. Ouça-me: o que eu disse, vocês vão perceber, é que ele não sabe identificar ironias, não sabe identificar um ataque bem-humorado. Convido ele a provar em que momento eu pedi que algum juizado fizesse isso. Disse apenas que o companheiro dele passa tempo em Brasília, passa o tempo todo lidando com material roubado. Quem vai cuidar dos filhos?”. A citação é relacionada às mensagens trocadas entre o então juíz Sergio Moro e o procurador Deltran Dallangol sobre a operação Lava Jato.

Glenn tentou replicar: “Você é um covarde! Você é um covarde! Eu vou falar o porquê”. No entanto, não houve espaço para novas explicações. Nunes o interrompeu e ambos discutiram com o dedo em riste. Houve uma primeira tentativa de agressão por parte de Nunes, que não deu certo, mas na segunda, o comentarista consegue acertar o rosto do convidado com um tapa de esquerda. Depois, homens de camiseta preta (seriam seguranças?) entram em cena para segurar os dois. O programa é tirado ar e retorna cerca de 12 minutos depois já sem a presença de Nunes.

Às 16h48, o site da Jovem Pan divulgou o seguinte comunicado:

“A Jovem Pan lamenta o episódio ocorrido ao vivo no programa Pânico desta quinta-feira (7) entre os jornalistas Augusto Nunes e Glenn Greenwald.

Defensora vigilante dos princípios democráticos, do pluralismo de ideias e da liberdade de expressão, a Jovem Pan sempre abriu suas portas para convidados de diferentes campos ideológicos e com opiniões dissonantes, para que cada brasileiro forme seu juízo tendo acesso a visões variadas sobre os temas mais relevantes do momento.

Uma das principais marcas do Pânico é receber personalidades para o debate aberto e franco, bem-humorado e eventualmente ácido. Glenn Greenwald já participou da bancada em diversas outras oportunidades.

A liberdade de expressão e crítica concedida pela Jovem Pan a seus comentaristas e convidados, contudo, não se estende a nenhum tipo de ofensa e agressão. A empresa repudia com veemência esses comportamentos.

A Jovem Pan pede desculpas aos ouvintes, espectadores e convidados desta edição do Pânico, inclusive Glenn Greenwald”.

Aqui também não há qualquer tipo de menção a respeito de alguma medida relacionada ao comportamento do comentarista contratado da emissora.

Apesar de ser um dia triste, este 7 de outubro de 2019, dia oficial do radialista, deve servir para profundas reflexões e não cair no esquecimento.

7 de novembro de 2019

Conmebol não deverá cobrar do rádio os direitos de transmissão. Por enquanto

Por Rodney Brocanelli

A Conmebol não deverá cobrar direitos de transmissão dos jogos das competições que organiza (Libertadores, eliminatórias para a Copa e Sul-americana) para o ano de 2020. No entanto, isso não significa que a entidade tenha deixado de lado essa ideia, pretendendo retomá-la mais adiante. Essas informações foram divulgadas pelo jornalista  Martin Gomez de Freitas, dirigente do Circulo de Periodistas Deportivos del Uruguay. Ele participou, via Whatsapp, do programa Esperando o Futebol, da Rádio Guaíba, nesta quinta (17 – ouça abaixo).

Em julho último, o jornalista Cristiano Silva, da Rádio Guaíba, divulgou a informação de que a Conmebol estaria propensa a cobrar das rádios os direitos de transmissão de suas competições (saiba mais) a partir do ano que vem.

Ainda segundo Freitas, em sua participação na Guaíba, existe um movimento de muitas rádios sul-americanas, lideradas por emissoras chilenas, para solicitar à Conmebol o não pagamento de direitos da próxima edição da Copa América de 2020, a ser disputada na Argentina e na Colômbia.

Esses veículos já pagaram para irradiar a edição disputada neste ano, aqui no Brasil. Eles até topam pagar pelas posições de transmissão no estádios, algo que é comum em competições dessa natureza, mas existe o incômodo de se pagar duas vezes os direitos de uma competição foi organizada dois anos em sequência.  (2019 e 2020). A Conmebol tomou essa medida para que a sua competição de seleções seja disputada no mesmo ano que a Eurocopa.

Embora Freitas não tenha dito claramente, provavelmente, as emissoras do continente não tenham neste momento caixa suficiente para pagarem duas vezes seguidas para transmitir a Copa América.

A proposta das emissoras sul-americanas será apresentada no próximo dia 10 de dezembro, na Colômbia, em uma reunião que antecederá o sorteio de grupos da Copa América 2020.

confdsulamericana

 

 

.

 

 

Futebol: para Nando Gross, direito de imagem é diferente de transmissão em áudio

Por Rodney Brocanelli

Neste domingo (13), Nando Gross, comentarista esportivo e gerente geral da Rádio Guaíba, se posicionou em relação a intenção da CBF de comercializar direitos de transmissão para as emissoras de rádio (entenda mais clicando aqui). Ele disse que a medida será uma tragédia para o mercado, desempregando muita gente. No entanto Gross considera que para haver alguma mudança é necessário passar por cima da lei atual (no caso a Lei Pelé, artigo 42, que apenas se refere ao direito de imagem – saiba mais clicando aqui). O profissional citou também que já existe uma jurisprudência em relação ao tema quando, em 2008, as emissoras de rádio de Curitiba tiveram ganho de causa na Justiça, contra a intenção do Athlético-PR (na época conhecido apenas como Atlético-PR) que desejava pagamento para a transmissão de seus jogos (clique aqui).

Outro ponto levantado por Nando é que existe uma diferença entre direito de imagem e transmissão em áudio. Segundo ele, o que o rádio apresenta é uma narração, ou seja a visão do locutor que está irradiando a partida. A televisão, por sua vez, ela compra os direitos de uma imagem que, para ele, já vem pronta. Se as emissoras quiserem, podem apenas exibir a imagem, com o som da torcida, sem qualquer tipo de narração. “O áudio é diferente. Tem alguém que está contado a história. Não nos dão pronto como dão para a televisão”, disse Nando.

“Fico muito triste quando vejo um representante gaúcho sendo protagonista deste projeto”, afirmou Nando, se referindo a Francisco Novelletto, atual vice-presidente da CBF, entusiasta dessa ideia, conforme declarações dadas ao site GaúchaZH na semana passada.

Ouça a manifestação de Nando Gross, no player abaixo.

Nando Gross