Arquivo

Posts Tagged ‘Rádio Jovem Pan’

Ouça os gols do final de semana

Por Rodney Brocanelli

No Maracanã, o Corinthians venceu o Fluminense pelo placar de 1 a 0. Ouça a narração de Ulisses Costa, da Rádio Bandeirantes.

Ouça também a narração de Nilson Cesar, da Rádio Jovem Pan.

E ainda, a narração de Marcos Couto, da Rádio Bandeirantes, de Porto Alegre. Como o Grêmio é o principal rival do Corinthians na competição, as emissoras de lá transmitiram essa partida na íntegra.

O time alternativo do Palmeiras venceu bem o Sport: 2 a 0. Ouça a narração de Aroldo Costa, da Rádio Jornal.

Paulinho, 17 anos, fez os dois gols da vitória do Vasco sobre o Atlético-MG. Placar final: 2 a 1. Ouça a narração de Ruy Fernando, da Rádio Nacional.

O Avaí segue em ascensão no campeonato brasileiro. Desta vez, venceu o Cruzeiro pelo placar de 1 a 0. Ouça a narração de Alberto Rodrigues, da Rádio Itatiaia.

De manhã, no Pacaembu, o Santos venceu o Bahia: 3 a 0. Narração de Ricardo Melo, da 105 FM.

O Flamengo sofreu, mas venceu o Coritiba na Ilha do Urubu. Ouça a narração de Jota Santiago, que está de volta à Super Rádio Tupi.

Vai de mal a pior a situação do Internacional na série B do campeonato brasileiro. Nova derrota, desta vez para o também colorado Vila Nova, de Goiânia. Ouça a narração de Marco Antônio Pereira, da Rádio Guaíba.

Ouça também a narração de Edson Rodrigues, da Rádio 730 AM.

E ainda a narração de Leonardo Dias, da Rádio Estação Web.

Em casa, o Criciúma venceu mais uma: 2 a 1 sobre o ABC. Ouça a narração de Joel Bernardo, da Rádio Difusora.

No Horto, o América-MG goleou o Figueirense: 4 a 2. Ouça a narração de Enio Lima, da Rádio Itatiaia.

Pela Copa Paulista, a Internacional, de Limeira, venceu o São Paulo pelo placar de 1 a 0. Ouça a narração de Edmar Ferreira, da Rádio Educadora.

Inspirada nos anos 70, Jovem Pan premia o melhor em campo, desta vez com um celular

A Jovem Pan, em parceria com a Motorola, acaba de lançar a campanha #DestaqueMotorola, que até o final de abril de 2018 premiará os destaques, dentro e fora de campo, durante algumas partidas de futebol, com um smartphone Moto E4 Plus.

O aparelho de design moderno apresenta tela em HD de 5,5 polegadas e duas câmeras: uma de 13 MP e outra frontal com flash e modo beauty, garantindo os melhores registros. A bateria de 5.000 mAh oferece uma durabilidade para mais de um dia de uso.

A iniciativa partiu do jornalista esportivo da rádio Jovem Pan, Beetto Saad, que, em parceria com a área comercial da emissora, se inspirou em uma ação dos anos 70: Motoradio, onde os jogadores que mais se destacavam durante o jogo eram premiados com um rádio portátil.

“Essa campanha foi um enorme sucesso antigamente e resgatar esse conteúdo e, trazê-lo para hoje, vai aguçar e movimentar os torcedores daquela época e, pelas suas características, vai ganhar muita aderência do mundo do futebol e da nova geração consumidora. #DestaqueMotorola é a maior e mais abrangente premiação da história do rádio a todos aqueles que fazem parte do espetáculo…Goleiros, treinadores e torcedores serão lembrados. Ninguém fica fora dessa”, explica Beetto Saad.

Para ampliar a divulgação da nova campanha, a Jovem Pan também aposta em ações de merchandising em sua programação. Serão feitas duas inserções semanais e o humorista Carioca (Márvio Lúcio), fará demonstrações do aparelho durante a transmissão do programa Pânico no Rádio – transmitido de segunda a sexta-feira, das 12h às 14h, via AM, FM e streaming.

A equipe de esportes da Jovem Pan será a responsável por decidir quem será premiado, mas futuramente os ouvintes poderão participar diretamente da escolha do Destaque Motorola, enviando seus palpites através dos canais de comunicação da rádio. O aparelho será entregue na semana posterior ao jogo.

LOGO JP_vermelhoNOVO

 

Jovem Pan apresenta Geraldo Samor como novo colunista do Jornal da Manhã

O jornalista Geraldo Samor estreou no Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan nesta quarta-feira (12), como novo colunista de negócios, fusões e aquisições. Ele participará do jornal matinal três vezes por semana (segunda, quarta e sexta) trazendo novidades e comentários envolvendo o mundo dos negócios.

Samor é o editor do site Brazil Journal, que se tornou leitura obrigatória de empresários e no mercado financeiro desde que foi lançado há um ano.

Formado pela Universidade de Kansas, nos Estados Unidos, o jornalista já manteve um blog na revista Veja e foi correspondente do The Wall Street Journal no Brasil.

Apesar de nunca ter trabalhado em rádio, Samor também fez por muitos anos o Podcast Rio Bravo, em que entrevistava empresários e pessoas do mercado financeiro.

“É muito interessante essa iniciativa da Jovem Pan de abrir um espaço para falar sobre negócios e empreendedorismo, principalmente no atual momento econômico do País. A vida empresarial é

muito mal compreendida, e o Brasil precisa apoiar seus empreendedores em vez de dificultar sua vida. Quando as empresas vão bem, as pessoas tem mais chance de subir na vida.”

Para Samor, “o rádio continua tendo uma força impressionante e, com o tempo, o ouvinte se sente parte de uma família.”

O Jornal da Manhã é o jornal de maior tradição do rádio brasileiro e é transmitido de segunda a sexta-feira das 5h às 10h e aos sábados, das 6h às 10h nas redes Jovem Pan AM, FM e streaming.

LOGO JP_vermelhoNOVO

Wanderley Nogueira comemora 40 anos de Rádio Jovem Pan

07/07/2017 1 comentário

Por Rodney Brocanelli

O rádio esportivo do Brasil está em festa. O dia 7 de julho marca a comemoração dos 40 anos de vínculo profissional de Wanderley Nogueira com a Rádio Jovem Pan, de São Paulo. Antes de chegar à emissora, Wanderley teve passagens pelas rádios Marconi e Piratininga. No entanto, antes de acertar com a Pan, ele trabalhou por muito tempo no Grupo Silvio Santos, especialmente na área de Propaganda e Marketing. A troca de emprego foi uma decisão muito bem pensada, e que contou com a ajuda de Nilde, sua esposa. Como executivo, ele ganhava muito bem, cinco vezes mais que a proposta salarial da Pan. Mesmo assim, ele optou pela vaga de repórter. O jornalismo saiu ganhando com isso.

Nas transmissões de futebol, Wanderley fazia “o outro lado do jogo”, levando ao ar curiosidades e fatos pitorescos ligados a uma partida de futebol (parêntese aqui: uma pena que isso se perdeu ao longo dos anos). Com o tempo, começou a participar de coberturas internacionais e não perdeu uma Copa do Mundo desde 1978. Mesmo quando a Jovem Pan não teve os direitos de transmissão do Mundial de 2002, lá estava ele participando das coletivas do então técnico Luiz Felipe Scolari. Enfrentando várias limitações, Wanderley contou a cumplicidade dos jogadores que iam até seu quarto para serem entrevistados.

Aliás, uma das qualidades reconhecidas de Wanderley é como entrevistador. Em entrevista à Álvaro Alves de Faria, no livro “Jovem Pan, A Voz do Rádio”, ele conta que não é necessário entrar em rota de colisão com o entrevistado para conseguir o que se deseja. “eu pergunto o que eu quero para quem eu quero perguntar, sem nenhum tipo de censura e o cara me responde porque eu pergunto com respeito. Eu não trato o entrevistado como interrogado. É diferente: as pessoas confundem entrevista com interrogatório. Não existe comigo esse negócio de brigar com entrevistado. E fazer a entrevista se transformar numa discussão. Isso ocorre e dizem que tudo aquilo ficou bonito naqueles trinta segundos no ar. Nossa, que impacto! E daí?”. Eu não quero brigar com o entrevistado. Quem tem de brigar com o entrevistado é o júri, é o promotor de justiça, não é o repórter. Eu quero perguntar e quero a resposta. A vida é prática assim. Você quer pegar uma formiga, você pega com um pratinho de mel, não pega com pratinho de vinagre. No vinagre, elas desaparecem, no mel, pulam todas. Então, acho que se você souber perceber que essa relação é importante, conversar com pessoas, acho que você cresce todos os dias. Acho que essa é a minha filosofia. Como jornalista, pergunto para todo mundo o que quero e obtenho as respostas sem precisar dar uma bofetada no entrevistado. Mas é uma questão de linha, postura, respeito. As minhas observações fazem com que eu perceba que essa é a linha que funciona”.

Fora do futebol, Wanderley Nogueira já tomou parte em outras coberturas de jornalismo geral pela Jovem Pan. Ele esteve no enterro do presidente eleito, mas não empossado, Tancredo Neves,  em São João Del Rey (MG), além de acompanhar catástrofes naturais na Colômbia e no México.

Atualmente, Wanderley comanda os programas “Jornal dos Esportes” e “Esporte em Discussão” e “Plantão de Domingo” Participa das transmissões esportivas da Pan e ainda comanda a cobertura dos desfiles das escolas de samba do grupo especial de São Paulo.

A seguir, alguns registros de Wanderley Nogueira na Jovem Pan.

De 1979, uma entrevista com Jorge Mendonça, atacante do Palmeiras, que estava as voltas com o nascimento de seu filho e além disso era multado em 20% de seu salário pelo clube.

De 2008, o detalhe no gol de Valdivia que definiu a vitória do Palmeiras sobre o Corinthians em partida válida pelo campeonato paulista.

De 2012, um momento divertido do Esporte em Discussão. Ele passou a ler a súmula do árbitro Elmo Alves Resende Cunha em que ele relata as circunstâncias da expulsão do atacante Luis Fabiano na partida entre São Paulo e Atlético-MG, válida pelo campeonato brasileiro. O relatório do apitador registrou todos os xingamentos do atleta são-paulino de forma literal. Na medida do possível, Wanderley conseguiu driblar os palavrões de maneira inteligente e bem-humorada, provocando risos dos outros participantes do programa.

De 2014, os momentos da última edição de No Pique da Pan, atração que esteve por quase 30 anos na grade da Jovem Pan.

De 1998, a apresentação da retrospectiva do futebol em 1998.

Aqui, ele participa do Intervalo Inteligente e do Terceiro Tempo da partida Brasil 3 x 4 Nigéria, partida válida pela semifinal do torneio de futebol dos Jogos Olímpicos de Atlanta (1996). Participam deste registro Israel Gimpel, Milton Neves e Flávio Prado.

E de 1994, Wanderley comanda as entrevistas pós-Brasil x Suécia, semifinal da Copa dos EUA.

Wanderley Nogueira

Com foco na resolução de problemas, Jovem Pan estreia o “Ligado na Cidade”

05/07/2017 2 comentários

A partir da próxima segunda-feira (10), às 11h30 a Jovem Pan terá uma nova atração em sua programação. O Ligado na Cidade será apresentado pelo repórter Fernando Martins, com foco na solução de problemas do cidadão, sendo transmitido para toda a rede AM, FM e internet.

O objetivo é solucionar problemas que incomodem o cidadão e o consumidor. Para isso é importante contar com a participação do ouvinte, que através do telefone e WhatsApp poderá enviar fotos e vídeos em tempo real, relatando problemas em sua rua ou bairro, por exemplo.

“É muito gratificante poder exercer o jornalismo bem perto da população, sendo porta-voz das necessidades das pessoas. Muitas vezes, as pessoas não têm mais a quem recorrer e é aí que os veículos de comunicação entram. Isso é serviço e, no caso do rádio, é sua essência”, comenta Fernando Martins.

A direção da Jovem Pan entende a necessidade de um programa com este formato para o rádio nos dias atuais, junto ao perfil do apresentador, que já desenvolvia este trabalho há 14 anos, no interior de São Paulo, onde começou sua carreira.

O Ligado na Cidade contará com uma equipe de reportagem na rua e será apresentado de segunda a sexta-feira, às 11h30, logo após o programa Morning Show.

LOGO JP_vermelhoNOVO

 

Memória: a Copa de 2002 nas ondas do rádio

30/06/2017 1 comentário

Por Rodney Brocanelli

-A Copa Japão/Coreia de 2002 foi a primeira cuja revenda dos direitos de transmissão ficou a cargo do Grupo Globo. Com isso, muitas emissoras de rádio optaram por não transmitir aquela competição. O valor  (US$ 25 mil) foi  considerado caro demais na ocasião. Segundo a Folha de S. Paulo, apenas 12 rádios toparam desembolsar a quantia pedida. Com isso, a Jovem Pan resolveu fazer uma cobertura alternativa. Ela contratou grandes nomes do futebol (Luxemburgo, Leão, Zagallo, Candinho, Romário, entre outros) para comentar os jogos do Brasil durante o seu desenrolar. Globo e Bandeirantes até chiaram. A segunda colocou seu departamento jurídico de prontidão, segundo a Folha, para tomar qualquer providência se houvesse uma “transmissão mascarada”. Um anúncio foi até publicado pela Band nos jornais: “Atenção. Aviso ao público: faça como as rádios que não compraram e não pagaram os direitos de transmissão da Copa do Mundo. Ouça os jogos pela Bandeirantes”. Em outra frente, a Pan enviou Wanderley Nogueira para a cobertura do dia-a-dia da seleção. O repórter tinha prioridade total para entrar na programação da emissora. O detalhe: Wanderley não tinha credencial. Isso não chegou a ser um impedimento e o fator sorte contou muito. A seleção brasileira não se hospedou no hotel determinado pela Fifa. A delegação se mudou justamente para o local onde estava hospedado Wanderley. Além disso, os jogadores fizeram seus treinos em locais que não foram indicados pela Federação. Outro ponto que facilitou o trabalho do repórter. Além disso, a cumplicidade dos atletas com Wanderley ajudou bastante. Cafu e Émerson chegaram a ir até o quarto do repórter para conceder entrevistas.

-José Silvério estava na Rádio Bandeirantes havia quase dois anos. Foi sua primeira Copa como titular na emissora. Na época, algo que chamou a atenção foi o fato de que as narrações de Silvério chegavam bem antes dos gols da seleção brasileira na televisão. Isso contou muitos pontos a favor do locutor, que ganhou a admiração de muitos ouvintes por “antever” um gol de Ronaldo ou Rivaldo. A explicação para o fenômeno é bem simples. Tanto a Rádio Bandeirantes como a TV Globo usaram o satélite para as suas transmissões. Porém, o sinal da Globo chegava frações de segundo mais atrasadas por estarem juntos som e imagem. Para a Bandeirantes, só chegava o áudio, por isso a não demora na entrega. Vale lembrar que estamos falando de tv aberta. O Sportv transmitiu também aquela Copa, mas a tv por assinatura ainda não era tão popularizada no país. José Silvério fez narrações memoráveis dos jogos do Brasil. O gol de Ronaldinho contra a Inglaterra ganhou a melhor descrição possível: “ele enganoooou o muunnnndo”. Dunga foi um dos comentaristas daquela Copa na Bandeirantes. O ex-jogador e técnico (ou ex, quem sabe) esteve ao lado de Silvério nos jogos disputados na Coreia (onde o Brasil ficou na primeira fase) e no Japão. Roberto Avallone, do Brasil, também participou daquelas transmissões. Os repórteres eram Leandro Quessada e Eduardo Castro. Curiosidade: as chamadas do evento na emissora tiveram a voz do ator e dublador Francisco Milani (quem aí lembra do Seu Saraiva, do antigo Zorra Total?)

-O Sistema Globo de Rádio decidiu economizar no que diz respeito aos direitos de transmissão da Copa de 2002 e decidiu formar uma equipe só para a cobertura do evento. Antes, as rádios do Rio e de São Paulo tinham autonomia para fazer cada uma as suas transmissões. Além disso, estava em prática o projeto de rede da emissora, que naufragou tempos depois. José Carlos Araújo, então na Globo carioca, foi a voz dos jogos do Brasil para todas as emissoras da rede, incluindo São Paulo. E profissionais das emissoras de todas as praças foram unidos para a transmissão dos outros jogos (offtube ou geladão). Um exemplo: a partida entre China e Costa Rica (adversários do do mesmo grupo do Brasil) foi transmitida pelo Edson Mauro e Rui Fernando, dos estúdios no Rio, Luiz Augusto Maltoni e Osmar Garrafa, de São Paulo. O Mauro foi o narrador, com o Maltoni comentando e a dupla Guilherme/Garrafa como os pontas/metas/goleira. A CBN optou por fazer o mesmo tipo de cobertura da Jovem Pan.

-Na Grande São Paulo, as rádios América e Difusora, esta de Osasco, também irradiaram a Copa de 2002. A primeira entrou em rede com a Rádio K do Brasil, na época de propriedade de Jorge Kajuru. A segunda entrou em cadeia com a Rádio Sociedade, de Salvador. A Itatiaia, de Belo Horizonte, Guaíba e Gaúcha, de Porto Alegre marcaram presença. Uma outra rádio de Porto Alegre também esteve presente: a Rádio Pampa. Do Paraná, a única que esteve presente foi a Rádio Paiquerê, de Londrina, como bem lembra Edu Cesar.

Vamos a alguns registros sonoros:

Ronaldo marca o primeiro gol do Brasil na grande final. José Silvério narrou na Rádio Bandeirantes.

Silvério narra o segundo gol de Ronaldo.

Abaixo, é possível ouvir os gols da final entre Brasil x Alemanha com a narração de Haroldo de Souza, então pela Rádio Guaíba.

Ouça o gol de Ronaldo (o segundo daquela decisão) narrado por Willy Gonser, da Rádio Itatiaia.

Os gols da semana

Por Rodney Brocanelli

Cazares fez mais um gol pelo Atlético-MG. Desta vez, o que garantiu a vitória do sobre o Fluminense. Ouça a narração de Mario Henrique Caixa, da Rádio Itatiaia.

Ouça também a narração de Ricardo Moreira, da Super Rádio Tupi.

Pela Copa das Confederações, a Alemanha venceu o México pelo placar de 4 a 1. Rogério Assis narrou pelo Grupo Bandeirantes.

E tem mais campeão regional na parada. O Sport venceu o Salgueiro pelo placar de 1 a 0 e ficou com a taça. Aroldo Costa narrou na Rádio Jornal.

Pela Copa do Brasil, o Flamengo venceu o Santos na Ilha do Urubu: 2 a 0. Ouça a narração de Edson Mauro, da Rádio Globo.

Pela Copa Sul Americana, o Corinthians empatou com o Patriotas. Ouça a narração de Ricardo Melo, da 105 FM.

Voltando à Copa do Brasil, o Grêmio aplicou uma goleada pelo placar de 4 a 0 sobre o Atlético-PR. Ouça a narração de Pedro Ernesto Denardin.

Ouça também a narração de Paulo Brito, da Rádio Bandeirantes.

E ainda, a narração de Julio Lemos, da Rádio Estação Web.

Na melhor partida da temporada, Palmeiras e Cruzeiro empataram pelo placar de 3 a 3. Ouça a narração de Alberto Rodrigues, da Rádio Itatiaia.

Ouça também a narração de Daniel Senna, da Premium Esportes.

Ouça também a narração de Nilson Cesar, da Rádio Jovem Pan.

Pela série B, o Juventude bateu o Goiás pelo placar de 3 a 0, em Caixas do Sul Ouça a narração de Luis Magno, da Rádio Caixas.

Na segunda, o Avaí venceu o Botafogo no Engenhão: 2 a 0. Ouça a narração de Salles Junior, da Rádio CBN Diário.

%d blogueiros gostam disto: